Início » Legislação » Pix pode ser usado para pagar custas judiciais, primeiro na Paraíba

Pix pode ser usado para pagar custas judiciais, primeiro na Paraíba

Tribunal de Justiça da Paraíba deve adotar pagamentos Pix via QR Code para cobrir custos de processos a partir de setembro devido à parceria com Banco do Brasil

Pedro Knoth Por

Despesas de disputas judiciais no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) vão poder ser pagas usando o Pix a partir de setembro. Mais de 700 instituições financeiras devem permitir que o cidadão utilize o meio de pagamento do Banco Central (BC) para cobrir custas judiciais no TJPB, que antes só poderiam ser pagas em agências bancárias.

Pix (Imagem: Divulgação/Banco Central)

Pix (Imagem: Divulgação/Banco Central)

Órgãos públicos e federais estão, cada vez mais, adotando o Pix como uma das possibilidades de pagamento para agilizar processos burocráticos. A Receita Federal, por exemplo, já aceita pagamentos do Darf (Documento de Arrecadação da Receita Federal) usando a ferramenta do BC.

TJPB se une a Banco do Brasil para usar pagamento com Pix

Na Paraíba, o novo método de pagamento de custas judiciais é fruto de uma parceria entre as diretorias de Economia e Finanças e Tecnologia do TJPB e o Banco do Brasil (BB).

O pagamento das despesas por Pix no TJPB será realizado por meio de um QR Code dinâmico, solicitado pelo BB ao Banco Central e emitido na guia no sistema de Custas Judiciais Online, no site oficial do tribunal.

As partes envolvidas e advogados podem, a partir da emissão, fazer uma leitura do código pelo aplicativo do próprio banco e realizar o pagamento.

Pix deve eliminar pagamentos duplicados, diz TJPB

Em nota, a diretora de Economia e Finanças do TJPB, Izabel Isidoro, afirmou que a opção do Pix elimina pagamentos duplos — algo comum aos escritórios com grande volume de ações e contas —, já que a ferramenta não permite mais de uma transação.

Isidoro ainda afirma que o Pix deve ser adotado para transferências do SARE — Sistema de Arrecadação de Emolumentos — que cobre despesas extrajudiciais e pagamentos em avanço. “E estamos também estudando a possibilidade de pagamento de custas judiciais pelo cartão de crédito”, complementa a diretora.

Fachada do TJPB (Imagem: TJPB/Divulgação)

Fachada do TJPB (Imagem: TJPB/Divulgação)

O presidente do TJPB e desembargador Saulo Henrique Sá de Benevides disse que o Pix vai facilitar a vida de quem frequenta a Corte:

“O objetivo principal é simplificar e ampliar as possibilidades de pagamento. A parte poderá pagar as custas judiciais pelo celular, por meio do Pix, sem a necessidade de ser cliente ou de se deslocar a um terminal de autoatendimento de um banco. Isto representa comodidade e celeridade”

É de se assumir que a digitalização do pagamento de despesas jurídicas atraia os olhares de criminosos, que poderiam forjar documentos para se disfarçarem de agentes do TJPB e aplicar golpes.

O Tecnoblog entrou em contato, mas ainda não recebeu uma resposta sobre possíveis medidas de segurança que o tribunal pode adotar para prevenir golpes que usam Pix.

Com informações: TJPB

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando