Arquivo Negócios

Lojas online chinesas terão entregas internacionais mais rápidas e menos taxas

Emerson Alecrim
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Em breve, ficará mais difícil resistir à tentação de comprar acessórios, componentes, roupas, bugigangas e outros em sites como DealExtreme e FocalPrice. É que, numa tentativa de aumentar as exportações, o governo chinês decidiu incentivar as compras online internacionais, o que deverá resultar em taxas e prazos de entrega menores, mesmo para países longínquos como o Brasil.

O primeiro passo neste sentido está na facilitação do despacho de pedidos nas barreiras aduaneiras, incluindo aí redução de eventuais taxas de envio e geração mais eficiente de documentos. Isso significa que os produtos poderão sair com mais rapidez da China e chegar aos países de destino em menor tempo. Outra medida visa facilitar o recebimento dos pagamentos, muitos dos quais feitos via PayPal.

E não para por aí: o governo chinês também pretende, entre outras iniciativas, fornecer linhas de crédito atraentes para promover a expansão das lojas, reduzir os impostos pagos por estas empresas e até mesmo construir um monumental centro de distribuição na cidade litorânea de Hancheu.

Só em sites chineses você pode comprar um "Luigi brazuca" sem culpa

Só em sites chineses você pode comprar um “Luigi brazuca” sem culpa

Os brasileiros estão entre os maiores clientes de sites chineses, mesmo em época de dólar alto, como agora. E há motivos de sobra para isso: pode-se adquirir produtos dos mais diversos tipos por preços muito menores que os praticados no Brasil, sem contar a imensa variedade de itens inusitados que só podem ser encontrados nestes sites.

É claro que é necessário considerar também a outra extremidade deste sistema. Quem já fez compras em sites estrangeiros sabe que, quando o pacote chega ao Brasil, pode levar semanas para ser entregue pelos Correios e, de acordo com as leis de importação, está sujeito à taxação.

Mas nem isso, nem o risco de adquirir produtos de qualidade duvidosa é capaz de amenizar a sede de compra dos brasileiros. Levando em este aspecto em conta, não me surpreenderia saber que as medidas do governo chinês têm como foco justamente os compradores do nosso país.

Com informações: Estadão

Emerson Alecrim

Autor / repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais, negócios e transportes. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém um site chamado InfoWester.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque