Oppo desmente rumores e continua na briga dos celulares dobráveis

Rumores publicados na semana passada diziam que a fabricante chinesa e a vivo, também da China, abandonariam segmento de dobráveis

Felipe Freitas
Por
(Imagem: Divulgação/Oppo)
Oppo não vai abandonar os dobráveis e afirma que seguirá investindo no formato (Imagem: Divulgação/Oppo)

A Oppo desmentiu os rumores de que abandonaria o mercado de smartphone dobráveis. A fabricante chinesa, proprietária da marca OnePlus, respondeu ao site GSMArena que são falsas as informações de que encerraria a divisão dos foldables. Na última semana, uma fonte disse que a Oppo e a vivo, outra fabricante chinesa, desistiriam do smartphones dobráveis.

Na mensagem enviada ao GSMArena, a Oppo informou que seguirá comprometida no desenvolvimento de smartphones dobráveis. Apesar da fabricante não vendê-los no Brasil, vemos que as reviews internacionais dos seus dobráveis costumam ser positivas — inclusive na China ela e as outras marcas chinesas superam a Samsung nesse segmento.

O próprio GSMArena até considera o OnePlus Open, smartphone da subsidiária da Oppo, o melhor foldable tipo tablet de 2023. Quem é nerd de celular deve estar ciente da competição entre as chinesas e Samsung. Apesar de pioneira e liderar o mercado dobrável globalmente, a sul-coreana viu as rivais da China lançarem foldables mais finos e sem a marca no meio da tela logo nas primeiras gerações.

Rumor é furada, mas fácil de acreditar

Oppo Find N3 é o dobrável tipo caderno mais novo da marca, que supera a Samsung neste segmento na China (Imagem: Divulgação/Oppo)
Oppo Find N3 é o dobrável tipo caderno mais novo da marca, que supera a Samsung neste segmento na China (Imagem: Divulgação/Oppo)

Este que vos escreveu soube da história, porém, não publicamos o caso por considerar a informação bem questionável — acertamos. No entanto, ainda que o rumor fosse fraco, não é um cenário impossível. E há algumas razões para isso:

  • As vendas dos dobráveis e dos smartphones caíram nos últimos meses, o que deixaria custoso manter um portfólio de celulares premiums e com os caríssimos foldables.
  • O dobrável do tipo caderno/tablet, aquele que abre horizontalmente como o Galaxy Z Fold, não se tornou popular. Ele é grosso quando aberto e usá-lo aberto sem caneta pode ser difícil. Assim, pode ser melhor manter apenas um flip — ou nenhum dobrável.
  • A Oppo e a vivo superam a Samsung no mercado chinês, mas o alcance global da sul-coreana é um ponto forte para seguir investindo nos dobráveis.

Esse último merece umas linhas separadas. A Samsung é a fabricante com o maior portfólio de celulares, a maior parte no segmento de entrada e intermediário. Isso permite que ela arrisque o investimento em smartphones ultra-premium, que é o caso dos dobráveis.

Smartphone com tela aberta sobre suporte de acrílico
Galaxy Z Fold 5 pode perder o título de dobrável do ano, mas presença global da Samsung o torna a única opção em vários países — e azar das rivais (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Para destacar a palavra ultra-premium, pesquisando bem, você acha Galaxy Z Fold 5 de 1 TB por um preço próximo ao do iPhone 15 Pro Max. E este tem câmeras melhores que a do Z Fold 5. Boa parte do preço destes smartphones está na tecnologia que o permite ser dobrável.

A Oppo e a vivo (que até o momento não se pronunciou sobre os rumores) não tem o mesmo alcance global e nem um portfólio grande como a Samsung. Ainda que atuem em alguns mercados asiáticos, europeus e até na América do Norte, a rival está vendendo smartphones baratos em praticamente todos os cantos do mundo. Isso permite que a Samsung compense possíveis resultados ruins na linha S e na custosa linha Z.

Com informações: GSMArena

Relacionados