Há tempos que desenvolvedores do Google trabalham em tecnologias de reconhecimento e interpretação de imagens. Uma destas frentes de pesquisa foi apresentada recentemente pela companhia: trata-se de um sistema que é capaz de reconhecer objetos e, tanto quanto possível, descrever cenários em fotos.

É um diferencial e tanto porque os algoritmos atuais não vão muito longe na contextualização das imagens. O sistema do Google, no entanto, consegue “legendar” as imagens fazendo uma associação entre os elementos identificados.

No exemplo abaixo, o sistema forneceu a seguinte descrição: “two pizzas sitting on top of a stove top oven”, em tradução livre, algo como “duas pizzas colocadas em cima de um fogão”.

Google: two pizzas sitting on top of a stove top oven

As descrições, às vezes, são redundantes ou falhas na identificação de uma característica ou outra. Em uma das imagens, o software descreveu “dois cachorros brincando na grama”, mas a foto mostra três.

De qualquer forma, são imperfeições que podem ser amenizadas com o tempo. Como talvez você tenha presumido, esta tecnologia é baseada em redes neurais artificiais, portanto, o sistema consegue aprender à medida que trabalha.

Google: imagens reconhecidas pela tecnologia, incluindo as erradas

Mais precisamente, a tecnologia se baseia em uma variação chamada Redes Neurais Recorrentes e, mais recentemente, em um tipo denominado Redes Neurais por Convolução, que é usada com mais frequência justamente no processamento de imagens e sinais.

Uma tecnologia como esta poderá ajudar o Google a oferecer buscas de imagens mais precisas. Mas a empresa ressalta outras aplicações relevantes, entre elas, sistemas que ajudam deficientes visuais a compreenderem o contexto de um foto.

O estudo detalhado foi publicado nesta página.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados