Haddad planeja regulamentar Uber em São Paulo

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 1 mês

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), planeja regulamentar o funcionamento de serviços de transporte privado, como o Uber, na capital paulista. Durante um evento em Paris nesta quinta-feira (24), o prefeito afirmou que estuda “um caminho que não afaste a moderna tecnologia”, citando Nova York como um exemplo de cidade que encontrou uma solução para resolver o impasse entre taxistas e motoristas privados.

O projeto de lei 349/2014, do vereador Adilson Amadeu (PTB), proíbe o uso de carros particulares para transporte remunerado de passageiros, o que afeta diretamente o funcionamento do Uber em São Paulo. O texto foi aprovado na Câmara Municipal em duas votações, acompanhadas de perto pelos taxistas, e aguarda apenas a sanção do prefeito para valer.

Uber faz projeção durante a votação na Câmara (Foto: Tiago Silva)
Uber faz projeção durante a votação na Câmara (Foto: Tiago Silva)

Haddad declarou que não quer se fechar à tecnologia, embora defenda que deva haver uma vigilância do estado em relação aos aplicativos de transporte privado. Ao Estadão, o prefeito diz: “Estamos estudando os modelos no mundo e encontrando soluções muito inovadoras, que preservam o direito dos taxistas, mantêm a regulação do Estado, mas não se fecham à tecnologia, que é a qualidade do serviço”.

Em Nova York, o Uber opera com várias modalidades: além do uberX (econômico) e UberBlack (carro de luxo), disponíveis em São Paulo, é possível pedir um uberXL (econômico espaçoso), UberSUV (carro de luxo espaçoso) ou uberT (táxi comum). Também existe o UberPOOL: você informa o destino e o Uber se encarrega de encontrar um usuário que queira uma corrida para a mesma região, dividindo a tarifa.

O Uber funciona normalmente em Nova York, mas muitas discussões ainda estão em andamento. Este texto do Fusion explica o que aconteceu com a indústria de táxis após o surgimento do Uber. Atualmente, existem mais carros do Uber do que táxis na capital novaiorquina. O prefeito Bill de Blasio tentou limitar o crescimento da frota do Uber em 1% ao ano, mas voltou atrás. No mercado paralelo, uma licença de táxi pode custar US$ 1 milhão, mas poucas estão mudando de mãos porque… bem, ninguém sabe quanto elas realmente valem.

Para competir com o Uber, os taxistas de Nova York se uniram e criaram um aplicativo chamado Arro, que suporta cartão de crédito e pagamento automático da gorjeta. Diferentemente do Uber, que aumenta o preço das corridas dinamicamente em situações de muita demanda, o aplicativo dos taxistas cobra sempre por tempo e distância.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados