Arquivo Celular

Samsung muda fórmula para nomes da família Galaxy

Thássius Veloso
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

A Nokia não fica sozinha na tentativa de facilitar a vida do consumidor ao mudar a forma como dá nome aos seus produtos. Nessa quarta-feira a Samsung anuncia que também modifica o jeito como os produtos da linha Galaxy são nomeados – agora sim com uma fórmula que permite saber exatamente (ou quase isso) o que esperar de cada celular que é lançado com o selo “Galaxy” em sua caixa.

Hoje em dia nós temos o Galaxy S, que é considerado o aparelho top de linha da fabricante coreana. Isso continua do jeito que está, mas novas letras do alfabeto se juntam ao “S”: “R”, “W”, “M” e “Y”. São, portanto, cinco classes distintas de produtos dentro da mesma linha Galaxy que a Samsung comercializa faz pouco mais de dois anos.

Vamos às explicações para cada produto Galaxy:

  • Samsung Galaxy S – Compreende os aparelhos mais importantes da coreana. Normalmente os aparelhos Galaxy S concorrem diretamente com o iPhone, da Apple, além dos Androids superpoderosos de outras companhias (como os vários Milestones da Motorola).
  • Samsung Galaxy R (de Royal, ou “real” em inglês) – A linha premium de celulares da coreana inclui design, produtividade e poder de fogo na hora de ganhar esse nome.
  • Samsung Galaxy W (de Wonder, ou “maravilha” em inglês) – Está um nível abaixo dos smartphones Galaxy R. São os aparelhos considerados altamente estratégicos e com um preço que não assusta, como no caso dos aparelhos Galaxy S.
  • Samsung Galaxy M (de Magic) – Aparelhos mais simples com preço competitivo.
  • Samsung Galaxy Y (de Young, ou “jovem” em inglês) – Esse aqui deve fazer muito sucesso no Brasil. Os produtos Galaxy Y estão focados em mercados emergentes, e por isso mesmo têm um preço abaixo da média (ou é isso o que e a fabricante promete). Em tese têm um apelo mais forte junto ao publico jovem que vai comprar seu primeiro celular.

Você pensa que acabou? Ainda não. As cinco classes de produtos da família Galaxy permitirão um acréscimo em seus nomes para recursos bastante específicos que os consumidores provavelmente estão procurando nos dias de hoje.

Galaxy S II: sem nada mais no nome

Plus” no nome indica que é um novo modelo, uma atualização para um aparelho que já existe no mercado (essa me lembra bastante o Defy+, anunciado na semana passada). “Pro” indica os celulares que oferecem teclado físico QWERTY – ideal para quem passa o dia digitando e-mails e documentos no trabalho. E “LTE” serve para designar os celulares com conectividade 4G.

Algo me diz que a fórmula da Samsung ficou mais complexa que aquela utilizada pela Nokia, com apenas números e nada mais. Mas talvez seja apenas falta de hábito. Com o tempo, os clientes que pesquisarem por produtos da coreana antes de decidir sua compra de um novo celular terão mais facilidade nessa escolha. Isso se a própria Samsung levar seus critérios de nome a sério, claro.

Thássius Veloso

Ex-editor-executivo

Thássius Veloso foi editor e editor-executivo do Tecnoblog de 2008 a 2014. Liderou o noticiário e cobriu de perto os maiores acontecimentos do mercado de eletrônicos de consumo, games e serviços. É jornalista, palestrante e apresentador de tecnologia na rádio CBN e no canal de TV por assinatura GloboNews.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque