Embaixada americana quer pedir sua senha do Facebook para emitir visto

Quem se recusar a entregar o acesso pode ser barrado de entrar no país

Jean Prado
Por

Aparentemente, os Estados Unidos acreditam que ainda não têm informações suficientes do que acontece no resto do mundo para emitir vistos. O secretário de segurança interna dos EUA, John Kelly, afirmou em sessão no Congresso que a embaixada americana pode ser orientada a pedir a senha das contas em redes sociais de quem solicitar um visto americano.

O motivo, segundo ele, é adicionar outra camada de segurança no processo de veto para visitantes dos Estados Unidos. Essa medida tem direta relação com a ordem executiva do presidente Donald Trump de suspender o acolhimento de refugiados de sete países muçulmanos, incluindo Iraque, Irã, Síria, Líbia e Iêmen.

“Quando alguém diz que vive em tal cidade e trabalha com tal coisa, [os agentes] são obrigados a acreditar na palavra deles. Francamente, não acho que é o suficiente, e certamente o presidente Trump também não. Então precisamos adicionar algumas camadas [de verificação]”, disse Kelly. Quem se recusar a entregar o acesso vai ser barrado de entrar no país, segundo o secretário.

É verdade que o recrutamento pelas redes sociais tem sido muito usado por grupos terroristas, como o Estado Islâmico, para se comunicar com membros sem deixar muitos rastros. A medida, no entanto, não se limita a refugiados, e reforça o endurecimento das políticas de visto dos Estados Unidos, inclusive para turismo.

Caso entre em vigor, a medida poderá ser usada arbitrariamente em qualquer embaixada americana, inclusive no Brasil. Ela também deixa redes sociais, como o Facebook, de mãos atadas. Se o governo americano não conseguir justificar legalmente o acesso a uma conta de alguém para o Facebook, basta pedir a senha à pessoa, com a ameaça de negar a entrada no país.

“Nós queremos acessar as redes sociais deles [quem se candidata para obter o visto], com senha. É bem difícil verificar todas as informações das pessoas desses sete países. Se eles quiserem vir [aos Estados Unidos], nós queremos ver os sites que eles visitam e pedir a senha deles. Assim conseguimos ver o que eles fazem na internet”, completou Kelly.

Essa medida até chegou a ser considerada por alguns agentes do governo Obama, como aponta a MSNBC, mas nunca foi implantada. O assunto ainda está em discussão e não tem previsão para começar a valer.

(Ainda bem que eu já garanti o meu visto no ano passado.)

Com informações: NBC, Fox News.