EUA proíbem ligações telefônicas automáticas geradas por inteligência artificial

FCC, agência de telecomunicações do país apontou riscos do uso dessas ligações para desinformações e golpes em consumidores

Felipe Freitas
Por
Inteligência artificial
Agência americana proíbe empresas de usar ligações com inteligência artificial (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Comissão Federal de Comunicações (FCC) dos Estados Unidos, órgão com atribuições similares a nossa Anatel, proibiu as ligações telefônicas feitas por IA no país. A decisão foi tomada levando em conta os riscos dessas chamadas em campanhas de desinformação e possíveis golpes em consumidores. Os conselheiros da FCC, que votaram de forma unânime pela proibição, destacaram que essas ligações também podem ser usadas para spams.

Neste ano, os Estados Unidos passarão por uma nova eleição presidencial. Com a popularização das IAs generativas, uma parte do debate sobre a tecnologia busca compreender o seu risco na geração de notícias falsas. Nos Estados Unidos a votação não é obrigatória, o que leva as campanhas dos candidatos a ligarem para a população pedindo que eles participem da votação.

Esse é um dos motivos que leva a FCC a se preocupar com o uso das ligações de IAs generativas na campanha. Afinal, é mais fácil usar uma IA para ligar e falar alguma mentira que preocupe o leitor do que pedir para um humano fazer diversas chamadas em um dia. Um exemplo prático aconteceu nos últimos dias, quando uma ligação de IA simulando a voz do presidente americano Joe Biden pediu que os eleitores não participassem das primárias em New Hampshire.

Celebridades pedindo dinheiro por telefone?

Print do celular com Spotify Wrapped aberto
Não, a Taylor Swift não vai te ligar pedindo dinheiro para a gasolina do jatinho (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Além do uso político, essas ligações de IA podem ser usadas em golpes financeiros que simulam a voz de famosos. Esse tipo de golpe existe desde que os telefones se popularizaram, mas dependiam da imitação. Com a internet atingindo mais pessoas, esse crime foi para o email e para as redes sociais — e venda de ícone de verificação deixou mais fácil para os estelionatários.

Os golpes com essas chamadas ficarão mais críveis e, consequentemente, mais rentáveis. Nos Estados Unidos, com a decisão da FCC, a simples tentativa de usar uma chamada por IA já será o suficiente para permitir a abertura de uma investigação.

Naturalmente, a decisão da FCC nos faz pensar no Brasil. Quem tem Instagram já deve ter visto, por exemplo, a propaganda deep fake usando a imagem de Luciano Hang, dono da Havan. No anúncio, um texto diz que uma decisão do Procon obrigou a loja a vender smartphones com 95% de desconto.

Com apenas vozes de famosos, não seria loucura imaginar alguém acreditando que algum cantor ou ator pediu dinheiro para uma ação de meet & greet ou fã-clube. E não podemos esquecer de como isso pode piorar a experiência com telemarketing.

Com informações: BBC, Folha de São Paulo e AP News

Receba mais sobre FCC na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados