O Google é líder no mercado educacional nos EUA, onde os Chromebooks dominam as vendas de computadores para escolas. Depois de apresentar um tablet com Chrome OS, a empresa quer chegar a ainda mais estudantes.

O projeto Rolling Study Halls vai ajudar alunos de áreas rurais dos EUA que costumam passar mais de uma hora no ônibus para ir às aulas. Os 70 veículos estão equipados com Wi-Fi gratuito e Chromebooks, para ajudar os estudantes a realizar deveres de casa e estudar para as provas.

Além disso, o projeto contará com educadores dentro dos veículos para ajudar os estudantes com as tarefas escolares. Isso estava sendo testado na Carolina do Norte e na Carolina do Sul, e foi liberado para mais 16 distritos escolares.

Segundo o Google, as escolas é que definem regras de uso dos aparelhos dentro dos ônibus para limitar o acesso a sites relacionados ao conteúdo de aula. A empresa acredita que, até o final do ano, os alunos economizem cerca de 1,5 milhão de horas ao aproveitar melhor o tempo no ônibus.

O programa de estudos durante as viagens também é administrado pelo Consortium for School Networking, uma associação que atua na área educacional, e o Kajeet, provedor de banda larga voltado para consumidores de baixa renda.

O programa do Google não envolve somente uma boa ação, obviamente. Ainda que ajude muitos alunos, a empresa poderá ser a grande beneficiada, já que os Chromebooks passarão a ser os primeiros computadores usados por uma parcela de estudantes. Com isso, a briga por esse setor com empresas como Apple e Microsoft deve ficar ainda mais acirrada.

Com informações: Google, Engadget.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva

Autor

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi redator, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Relacionados