Crise da Huawei deve fazer lucro da Samsung cair mais de 50%

Como a Huawei reduziu a produção de smartphones, teria encomendado menos chips à Samsung

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 1 ano
Samsung Research America, em Mountain View (Foto: Divulgação/Samsung)

As restrições comerciais impostas pelos Estados Unidos à Huawei podem ter prejudicado uma companhia que não tem nenhuma relação com esse imbróglio: a Samsung. Tudo porque, com a queda das vendas de smartphones Huawei, o fornecimento de chips de memória DRAM e NAND por parte da empresa sul-coreana também teria caído.

É o que estimam analistas de mercado ouvidos pela Reuters. Eles acreditam que, nesta sexta-feira (5), a Samsung divulgará um balanço financeiro referente ao segundo trimestre que apontará redução de mais 50% no lucro com a causa principal sendo justamente a queda na demanda por chips de memória.

A divisão de semicondutores da Samsung já não vinha apresentando números animadores. No primeiro trimestre de 2019, a empresa registrou queda de 60% nos lucros devido, em parte, ao desempenho reduzido das vendas de chips.

Com as sanções que os Estados Unidos aplicaram à Huawei, a situação aparentemente piorou. É uma conta fácil de entender: impedida de negociar componentes e softwares com empresas americanas, a Huawei reduziu a fabricação de eletrônicos, especialmente smartphones, o que teria resultado em menos encomendas de chips à Samsung.

Como a Huawei está entre as maiores fabricantes de celulares do mundo, a Samsung simplesmente não teria conseguido encontrar outros compradores para preencher essa enorme lacuna. Com chips sobrando, a saída é reduzir preços para não haver acúmulo nos estoques. O problema é que essa manobra também reduz a margem de lucro.

A TrendForce, empresa especializada em análises de mercado, estima que os preços de memórias DRAM caíram 25% apenas no segundo trimestre. Além do problema da Huawei, o mercado passa por uma queda sazonal na demanda por chips, o que também contribuiu para o agravamento da situação.

Huawei P30 Pro

Após a divulgação dos resultados do primeiro trimestre, a Samsung sinalizou que o mercado de chips só deverá se reaquecer no segundo semestre. Mas, com as recentes reduções de preço, essa recuperação exigirá um prazo maior, provavelmente.

Talvez a Samsung tenha tido alguma compensação no segmento de smartphones: além de ser a maior fabricante de celulares do mundo, a companhia pode ter absorvido parte da demanda não atendida pela Huawei.

Não que esse seja um grande alívio: a Samsung também é líder em vendas de chips DRAM e NAND, portanto, não vai ter sossego enquanto esse mercado não se recuperar.

Nas estimativas de analistas, a companhia sul-coreana irá registrar queda de aproximadamente 60% no lucro operacional do segundo semestre na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados