EUA ampliam sanções contra Huawei após marca lançar notebook com chip Intel

Licenças especiais que permitiam envio de chips à Huawei foram derrubadas depois que marca chinesa anunciou notebook com processador Core Ultra 9

Emerson Alecrim
Por
Laptop MateBook X Pro 2024 (imagem: reprodução/Huawei)
Laptop MateBook X Pro 2024 (imagem: reprodução/Huawei)

Os Estados Unidos restringem relações entre empresas americanas e a Huawei desde 2019. Existiam exceções que permitiam que companhias como Intel e Qualcomm negociassem com a empresa chinesa, mas elas acabaram de ser derrubadas. Isso aconteceu depois que a Huawei anunciou um notebook com chip Intel Core Ultra.

As sanções comerciais à Huawei foram aplicadas a partir de 2019 pela governo Trump sob a alegação principal de que a companhia é suspeita de praticar espionagem para a China. Por conta disso, a Huawei foi incluída na lista de organizações que ameaçam a segurança dos Estados Unidos.

Com essa restrição, companhias americanas só podem negociar com a Huawei (ou com qualquer outra organização presente na lista) se obtiverem autorização do governo dos Estados Unidos.

Companhias como Intel e Qualcomm tinha autorização para vender determinados modelos de chips para notebooks e celulares à Huawei pelo menos desde 2022. Há informações de que essas licenças iriam perdurar até o fim de 2024. Mas elas foram revogadas nesta semana.

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos confirmou as revogações à CNBC, mas não informou o motivo exato da decisão. Em nota, um porta-voz do órgão deu a seguinte explicação:

Nós avaliamos continuamente como nossos controles podem proteger melhor a a segurança nacional e nossos interesses de políticas externas, levando em conta as constantes mudanças no ambiente de ameaças e no cenário tecnológicos.

Huawei na Mobile World Congress (imagem: Karlis Dambrans/Flickr)
Huawei na Mobile World Congress (imagem: Karlis Dambrans/Flickr)

O novo MateBook X Pro pode ter sido o gatilho

Coincidência ou não, a decisão surge depois que a Huawei anunciou a nova versão do MateBook X Pro. O notebook é equipado com a avançada linha de processadores Core Ultra 9, da Intel.

O anúncio do notebook fez legisladores americanos criticarem o Departamento de Comércio por ter permitido que a Huawei recebesse chips da Intel.

Entre eles está o republicano Michael Gallagher, que declarou que “um dos maiores mistérios de Washington é o porquê de o Departamento de Comércio continuar permitindo que tecnologias dos Estados Unidos sejam fornecidas à Huawei”.

MateBook X Pro 2024 com chip Intel Core Ultra 9 (imagem: reprodução/Huawei)
MateBook X Pro 2024 com chip Intel Core Ultra 9 (imagem: reprodução/Huawei)

Intel vê tensões entre EUA e China como risco

A pressão parece ter funcionado. Inesperadamente, as licenças que permitiam que determinadas companhias americanas negociassem chips com a Huawei foram derrubadas. Entre essas companhias estão Intel e Qualcomm.

De acordo com o The Verge, a Intel sinaliza que as novas restrições devem afetar as suas receitas no próximo trimestre, ainda que elas permaneçam dentro da faixa prevista de US$ 12,5 bilhões a US$ 13,5 bilhões.

A companhia também sinaliza as “tensões geopolíticas e comercias entre Estados Unidos e China” como um dos riscos para as suas operações.

Relacionados