Firefox 79 para Android é mais moderno, mas tem gerado queixas

Usuários do novo Mozilla Firefox para Android reclamam principalmente da falta de extensões

Emerson Alecrim
Por

Lançado oficialmente na última semana de agosto, o Firefox 79 para Android trouxe mudanças significativas em relação à versão anterior. Pudera: o navegador ficou mais de um ano sem atualizações. O problema é que as novidades, que envolvem principalmente a interface, deixaram muitos usuários descontentes. Nas redes sociais e em fóruns, as reclamações só crescem.

Firefox para Android

Por razões um tanto óbvias, o Google Chrome é o navegador mais popular entre usuários de Android. Mas a Mozilla se esforça para tornar o seu browser mais relevante na plataforma. Esse trabalho fez a organização pausar as atualizações rotineiras do Firefox para Android e direcionar os esforços de desenvolvimento a uma versão mais moderna.

É por isso que o Firefox para Android pulou da versão 68, lançada em julho de 2019, para a 79. A nova versão trouxe interface mais limpa, barra de endereços movida para a parte inferior (mas é possível configurá-la para a parte superior), reforço de privacidade (como a proteção contra rastreamento), modo escuro sincronizado com ativação desse recurso no Android e desempenho aprimorado graças ao novo motor GeckoView.

O grande destaque vai para o modo Coleções, que permite marcar páginas para serem acessadas mais tarde, útil para quando você quer conferir um conteúdo com mais calma, por exemplo.

YouTube video

De modo geral, são novidades bem-vindas. Então, qual o problema? A maior parte das queixas diz respeito à perda de extensões. O novo Firefox para Android tem suporte a esse recurso, mas com mudanças técnicas para evitar degradação do desempenho. O efeito disso é que pouquíssimas extensões são compatíveis com a versão 79.

Usuários também têm reclamado da remoção do about:config (modo que dava acesso rápido a um série de configurações do navegador), de falhas relacionadas ao Firefox Sync, de problemas na alternância entre guias abertas, entre outros.

Talvez a Mozilla estivesse esperando que as mudanças trouxessem queixas, mas não tantas. De todo modo, espera-se que a “pressão” faça os principais problemas serem resolvidos.

Há chances de que o about:config volte em algum momento, por exemplo. Além disso, a Mozilla já trabalha para permitir que um número muito maior de extensões fique disponível — por ora, há apenas nove liberadas para a versão 79. Só não está claro quando isso acontecerá.

Com informações: Android Police.

Relacionados

Relacionados