Chrome, Safari, Edge e Firefox se unem para melhorar extensões na web

Google, Apple, Mozilla e Microsoft querem tornar as extensões de navegadores mais seguras, eficientes e fáceis de desenvolver

Ana Marques
Por
• Atualizado há 2 anos
Extensões do Chrome (Imagem: Reprodução/Google)

Extensões do Chrome (Imagem: Reprodução/Google)

As extensões de navegadores web podem se tornar mais seguras e eficientes em breve, devido a um esforço em conjunto dos times de desenvolvimento responsáveis pelo Chrome, Safari, Firefox e Edge. As empresas por trás desses browsers estão deixando a rivalidade de lado para trabalhar na melhoria desses recursos – o que acontecerá por meio de um fórum de discussão unificado, o WebExtensions Community Group.

O fórum em questão pretende permitir que engenheiros construam uma base central comum e mais segura para extensões, e criem um padrão para facilitar o desenvolvimento desses plugins. Segundo os membros do grupo, a ideia é que os navegadores possam evoluir a partir de um ponto em comum.

É claro, ainda haverá divergências e as particularidades de cada navegador. Além disso, as lojas de extensões e regras para submissão desses plugins não serão as mesmas para Google, Apple, Mozilla e Microsoft. As discussões do fórum devem girar apenas em torno dos temas mais técnicos e basais.

Apesar do anúncio, ainda não há um calendário para que esse padrão seja lançado, mas a constituição desse fórum de discussão dá o pontapé inicial em um objetivo que vem sendo cogitado há bastante tempo. Em 2010, o Opera já havia pensado em unificar extensões utilizando o padrão do Chrome.

Compatibilidade é o principal objetivo do grupo

Atualmente, várias empresas acabam seguindo o Google em muitos pontos relacionados a extensões. O Firefox adotou algumas tecnologias semelhantes às do Chrome ao longo do tempo, e a Apple anunciou durante a WWDC 2020 que iria usar a abordagem de extensão do Chrome). O Edge também entrou na lista quando passou a ser baseado no Chromium.

Colocando tudo isso em discussões e grupos oficiais, a integração entre as empresas para oferecer maior compatibilidade entre navegadores deve se tornar ainda mais rápida e funcional.

Além disso, o projeto não deve começar do zero. Espera-se que as equipes desenvolvam interfaces de programação compatíveis com as extensões em circulação hoje, porém com maior foco em desempenho, privacidade e segurança.

Com informações: CNET

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Relacionados