Xiaomi é acusada de bloquear apps na MIUI 13 e usuários temem vigilância

Usuários dizem que MIUI 13 bloqueia instalação de aplicativos, mas Xiaomi nega que recurso contra fraude vá além de ligações e mensagens

Giovanni Santa Rosa
Por

O novo recurso de segurança da MIUI 13 da Xiaomi está dando o que falar. De acordo com relatos de usuários, alguns apps não podem mais ser instalados após atualizar o sistema, levantando suspeitas de vigilância. A companhia nega.

MIUI 13 é oficializada pela Xiaomi (Imagem: Divulgação/Xiaomi)
MIUI 13 é oficializada pela Xiaomi (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

O Tecnoblog falou sobre este recurso na terça-feira (4). Feito em parceria com a agência nacional chinesa contra fraudes, ele alerta usuários quando alguém está tentando se passar por uma empresa, seja por SMS, ligações ou instalação de apps.

Este último ponto é importante. Ao baixar um app fraudulento, a MIUI impede a instalação, com um aviso que diz que “leis e regulamentos relevantes exigem que a instalação seja proibida”, já que o “uso deste aplicativo trará maiores riscos”.

E aí começa o problema.

Recurso bloqueia instalação de apps

De acordo com o editor Mishaal Rahman, usuários da Xiaomi vêm relatando na rede social Weibo que o serviço bloqueia aplicativos populares, como ports de Gcam e o YouTube Vanced, que são versões não oficiais. A suspeita é que haja uma lista de pacotes a ser bloqueados.

Port da Gcam e YouTube Vanced não podem ser instalados
Port da Gcam e YouTube Vanced não podem ser instalados (Imagem: Reprodução/Twitter)

O South China Morning Post traz mais exemplos: um app para mudar de 5G e 4G não pôde ser instalado, segundo um usuário. Outro conta que o BillRoaming, que permite recorrer a arquivos APK sem precisar de lojas de apps, não foi autorizado.

Enquanto isso, aplicativos banidos na China continuam rodando, como o YouTube oficial e o ExpressVPN, segundo fontes anônimas.

Usuários temem vigilância, Xiaomi nega

No Weibo, usuários mostram preocupação com o que poderia ser uma forma de vigilância estatal nos smartphones. Alguns dizem que só comprarão as versões globais dos smartphones da Xiaomi, que não têm o recurso, ou que não vão instalar a MIUI 13 quando estiver disponível para seus aparelhos.

A empresa nega que a ferramenta tenha laços com a agência nacional chinesa contra fraudes. Um porta-voz da marca diz ainda que o recurso é projetado apenas para emitir avisos sobre chamadas de spam, mas não bloquear apps.

Com informações: South China Morning Post, Gizmochina.