Início / Notícias / Telecomunicações /

Senacon multa TIM em R$ 600 mil por cortar internet em plano “ilimitado”

Processo de 2015 termina com decisão contra a TIM, que terá que pagar multa por não informar sobre bloqueio ao fim da franquia

Giovanni Santa Rosa

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça decidiu que a TIM deve pagar uma multa de R$ 600 mil. A operadora perdeu um processo em que foi acusada de não informar devidamente seus clientes sobre o bloqueio da internet ao fim da franquia.

Loja da TIM
Loja da TIM (Imagem: Lucas Braga / Tecnoblog)

O processo foi aberto ainda em 2015, quando as empresas de telecomunicação costumavam anunciar planos “ilimitados”, mas cortavam as conexões quando a franquia expirava. Em junho de 2020, saiu a primeira decisão, obrigando a operadora a pagar R$ 800 mil.

A TIM recorreu, mas a Senacon ainda entendeu que a operadora obteve vantagens com ofertas e publicidades desse tipo, sem assegurar que os consumidores tivessem direito a informações adequadas. Mesmo assim, a multa foi reduzida de R$ 800 mil para R$ 600 mil. O “desconto” é dado para empresas que aderem à plataforma Consumidor.gov.br.

A decisão foi publicada nesta segunda-feira (24) no Diário Oficial da União. A TIM tem 30 dias para pagar a multa.

TIM já foi multada por ligações ilimitadas

Não é a primeira vez que a Senacon decide que a TIM deixou de informar corretamente seus clientes sobre as condições dos planos.

Em 2020, a operadora foi multada em R$ 3,1 milhões por publicidade enganosa e abusiva. O processo corria desde 2013 e dizia respeito aos antigos planos Infinity Pré, que oferecia ligações a R$ 0,25 para números da própria empresa, sem limite de minutos.

O órgão decidiu que a empresa havia ofendido os princípios de transparência, confiança e boa-fé, além do equilíbrio nas relações de consumo. Uma investigação iniciada pela Justiça descobriu que a empresa derrubava as ligações para os clientes fazerem novas chamadas e pagarem mais R$ 0,25.

Com informações: Convergência Digital.