Elon Musk alerta Ucrânia: antenas Starlink podem ser alvejadas pelos russos

Elon Musk enviou antenas Starlink para ajudar Ucrânia a ter acesso à internet, mas alerta para uso moderado

Emerson Alecrim
Por

Acessar a internet na Ucrânia virou um desafio depois que o país foi invadido pela Rússia. Em uma tentativa de amenizar a situação, Elon Musk ordenou que a SpaceX enviasse equipamentos ao território ucraniano para permitir conexão à internet por meio dos satélites Starlink. Mas o próprio empresário alerta: as antenas do serviço podem ser alvejadas pelos russos.

Antena da Starlink (Imagem: divulgação/SpaceX)
Antena da Starlink (imagem: divulgação/SpaceX)

Na verdade, Musk repassou um aviso que ele recebeu de um especialista em telecomunicações. No Twitter, John Scott-Railton alertou que a Rússia é capaz de identificar a localização das antenas Starlink se obtiver o controle do espaço aéreo ucraniano.

Eis então que, na quinta-feira (2), Elon Musk alertou, também via Twitter, que o acesso à internet na Ucrânia a partir da rede Starlink deve ser feito com cuidado:

Alerta importante: Starlink é o único sistema de comunicação não russo que ainda funciona em algumas partes da Ucrânia, então a probabilidade de [uma antena] ser alvo [da Rússia] é alta. Por favor, use com cuidado.

Ter cuidado significa, basicamente, usar o serviço apenas quando necessário e colocar a antena tão longe quanto possível de pessoas, explica Musk, que também recomenda que uma “camuflagem leve” seja colocada sobre o equipamento.

Elon Musk atendeu a pedido do governo ucraniano

O conflito na Ucrânia afetou as operações de várias redes internas, inclusive a da GigaTrans, maior provedor de internet do país. Em reação, o vice-primeiro-ministro ucraniano, Mykhailo Fedorov, que também atua como ministro da transformação digital, fez um apelo para que Musk ajudasse o país a superar os problemas de telecomunicação.

Musk agiu rapidamente. Para começar, a SpaceX ativou os serviços da rede Starlink na Ucrânia na semana passada e, em seguida, enviou kits com antenas ao país. Em 28 de fevereiro, Fedorov chegou a publicar uma foto no Twitter mostrando o recebimento dos equipamentos.

Mas a interação com o empresário não terminou aí. Fedorov avisou que o país precisa de geradores para manter os aparelhos Starlink funcionando. Musk respondeu que a SpaceX estava atualizando o software dos equipamentos para reduzir o consumo de energia e permitir a sua alimentação elétrica a partir de uma tomada veicular (o clássico “acendedor de cigarros”).

Curiosamente, Musk também afirmou que o roaming móvel foi habilitado, o que, em tese, permite que a antena Starlink mantenha o sinal enquanto o veículo estiver em movimento. Mas, à Reuters, o especialista em comunicação por satélite Tim Farrar estranhou a afirmação. De acordo com ele, a antena não foi projetada para ser usada em movimento.

Se com o auxílio de veículos ou não, o apoio da SpaceX à Ucrânia tem dado resultados positivos. Pelo menos é o que afirma Mykhailo Federov. No mesmo tweet em que comenta sobre a necessidade de geradores, ele agradece à Elon Musk dizendo que a rede Starlink mantém cidades ucranianas conectadas e serviços de emergência salvando vidas.

Sobre o alerta de Musk quanto ao uso moderado do serviço, Federov respondeu: “Claro, @elonmusk [sobre ter cuidado]. Vamos usá-lo também após a nossa vitória”.

Relacionados

Relacionados