Notícias Computador

MacBook Pro com M2 sofre com engasgos por aquecimento, aponta usuário

Sistema de resfriamento do novo MacBook Pro de 13 polegadas não dá conta de tarefas pesadas, e sistema precisa limitar desempenho

Giovanni Santa Rosa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Os chips da Apple vêm fazendo muito sucesso desde a estreia, mas isso não quer dizer que eles não tenham limites. Um teste recente mostrou que o M2 do MacBook Pro de 13 polegadas, quando submetido a uma renderização de 8K, chega a uma temperatura altíssima, e a única maneira para resfriá-lo é limitar sua potência.

MacBook Pro com M2 mantém visual do modelo anterior
MacBook Pro com M2 mantém visual do modelo anterior (Imagem: Divulgação/Apple)

As informações são de Vadim Yuryev, do canal de YouTube Max Tech. No Twitter, ele contou que o chip do notebook chegou a 108°C ao exportar um vídeo em 8K no formato RAW da Canon. “Isso é mais que tudo que vimos em um MacBook, mesmo quando os processadores eram da Intel.”

As ventoinhas chegaram a 7.200 rotações por minuto durante todo o tempo. Isso quer dizer que o resfriamento não foi suficiente para evitar que o chip chegasse ao extremo do aquecimento.

A saída do sistema é limitar o desempenho. A velocidade dos núcleos de performance cai de 3.200 MHz para 1.894 MHz. Nos de eficiência, de 2.228 MHz para 1.444 MHz. Já a GPU vai de 1.292 MHz para 289 MHz. Assim, o uso de energia passa de 29,46 W para 7,31 W.

Yuryev diz que as reduções aconteceram em ondas. A temperatura caía para 84°C quase instantaneamente, o que permitia ao computador aumentar de novo as velocidades de clock.

M1 Pro tem desempenho melhor que M2

Enquanto o MacBook Pro de 13 polegadas com M2 tem dificuldades na tarefa, o modelo de 14 polegadas com M1 Pro, lançado em 2021, se sai muito melhor.

O tempo que os dois levam para completar a tarefa é de, respectivamente, 19 minutos e 40 segundos e 11 minutos e 21 segundos.

Nos testes, Yuryev observou que o modelo com M1 Pro não sofre throttling, como são chamadas as reduções de desempenho. “A GPU e a CPU rodam na potência máxima durante todo o tempo”, relata o youtuber. Ele atribui isso à eficiência do sistema de resfriamento.

Isso ajuda, claro, mas não é a única explicação para a diferença de desempenho. Enquanto o M2 tem uma CPU de 8 núcleos e uma GPU de 10, o M1 Pro tem uma CPU de 10 núcleos e uma GPU de 32.

Yuryev admite que este é o teste mais exigente que ele encontrou, já que coloca uma carga pesada de trabalho tanto na CPU quanto na GPU. A intenção é mesmo chegar ao limite.

MacBook Pro de 14 e 16 polegadas (Imagem: Reprodução / Apple)
MacBook Pro de 14 e 16 polegadas (Imagem: Reprodução / Apple)

Não é a primeira vez que o youtuber descobre que o novo modelo do MacBook Pro de 13 polegadas, com M2, tem desempenho inferior a seu antecessor, com M1.

Em testes, a velocidade de leitura do SSD caiu pela metade, enquanto a de escrita teve uma redução de 33%.

Como observa o iMore, isso pode não ser um problema, na prática. Na verdade, a grande questão é que o MacBook Pro de 13 polegadas com M2 não tem muita razão de existir.

Quem quer portabilidade provavelmente vai optar pelo MacBook Air, que é mais compacto. Quem procura desempenho tem a opção dos MacBook Pro com M1 Pro e M1 Max, que contam com muito mais potência.

Com informações: iMore.

Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque