Correios passarão a exigir CPF ou CNPJ para envio de encomendas nacionais

Correios dizem que exigência de CPF, CNPJ ou passaporte traz mais segurança e ajuda no rastreamento das encomendas; dados não ficarão expostos nas etiquetas

Giovanni Santa Rosa
Por

Depois de meses de boatos, os Correios confirmaram uma mudança importante: agora, será obrigatório fornecer CPF ou CNPJ na hora de enviar encomendas nacionais. A medida vale a partir de 1º de setembro e visa dar mais segurança ao processo, segundo a estatal. Estrangeiros poderão usar passaporte como documento.

Agência dos Correios em Brasília
Agência dos Correios em Brasília (Imagem: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Paula Guinatti, superintendente executiva de canais de vendas dos Correios, diz que, além de trazer mais segurança, a informação possibilita o rastreamento das encomendas e permite usar outras funcionalidades.

Para encomendas com destino a lockers dos Correios e ao serviço Clique e Retire, serão necessárias as informações de remetente e também CPF, CNPJ ou passaporte do destinatário, bem como celular ou e-mail.

Se o remetente não fornecer a informação, o atendimento não fará a postagem.

Os Correios dizem ainda que os dados não ficarão expostos nas etiquetas. A informação constará apenas nos sistemas internos, que seguem as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

CPF ou CNPJ do destinatário já eram exigidos em encomendas internacionais.

Mudança é especulada desde fevereiro

Os rumores sobre a exigência vêm de meses. Em fevereiro de 2022, o Tecnoblog apurou que algumas agências dos Correios já avisavam seus clientes que o CPF ou o CNPJ do remetente e do destinatário seriam exigidos a partir de abril.

A mesma informação circulava entre funcionários. Enquanto isso, algumas empresas de logística consideravam que a regra já estava valendo desde 1º de janeiro.

Na ocasião, a reportagem entrou em contato com a estatal, que disse que a informação era opcional e servia apenas para dar acesso a alguns serviços e funcionalidades. A recomendação para as agências era remover estes avisos.

Com informações: Correios.