Galaxy S7 e S8 recebem atualização surpresa da Samsung

Atualização de sistema tem entre 31 MB e 420 MB; o patch não afeta nada no quesito segurança para nenhum dos celulares

Ricardo Syozi
Por

Smartphones com uma certa idade não costumam receber atualizações de firmware por parte das empresas. Normalmente, aparelhos com mais de cinco anos tendem a ser colocados de lado para dar espaço às novidades das marcas. No entanto, o Galaxy S7, S7 Edge e S8 da Samsung acabaram de ganhar updates. Sim, do nada. Mas será que isso traz algo interessante para os celulares? A resposta é: nem tanto.

Samsung Galaxy S8 (Imagem: Tecnoblog)
Samsung Galaxy S8 (Imagem: Tecnoblog)

Para o S7 e S7 Edge, a atualização pesa 31 MB e os coloca na versão G93*FXXU8EVG3. Já no caso do S8, a versão do firmware fica na G95*FXXUCDVG4, com 420 MB no total. Vale destacar que nada disso toca em qualquer nível de segurança dos sistemas. A novidade, por outro lado, afeta unicamente o GPS do aparelho, o atualizando e melhorando sua estabilidade.

Lançados entre 2015 e 2017, os smartphones Samsung Galaxy S7, S7 Edge e S8 já não são mais os queridinhos dos fãs de gadgets há bastante tempo. Atualizações de firmware não são aguardadas para eles, contudo, não é algo para descartar totalmente.

O update foi liberado na última sexta-feira (19), pegando muitos usuários de surpresa. É verdade que isso não é lá muito empolgante, mas se a Samsung o disponibilizou, então é algo importante, sem dúvida.

Mais atualizações deverão chegar

Foram descobertas outras informações nos servidores de firmware da Samsung, elas sugerem que atualizações similares devem surgir para outros aparelhos. O Galaxy S9 é um deles, mas celulares mais antigos como o S6 e o Galaxy J7 também são mencionados.

Seja como for, a sul-coreana não é novata no que se refere a dar uma força para gadgets que já saíram de linha. Em dezembro de 2021, por exemplo, a companhia liberou updates para o S8 e S8+. Eles trouxeram correções de segurança e de vulnerabilidade, segundo a empresa.

Com tudo isso em mente, faz sentido imaginar que smartphones de cinco anos atrás ou mais poderão continuar sendo usados pelas pessoas.

Com informações: Android Police.,