Funcionários da Ubisoft planejam uma greve e culpam o CEO

Após falas para acionistas e uma mensagem para os profissionais, CEO da empresa irritou o sindicato; greve está marcada para o fim de janeiro

Ricardo Syozi
Por

O começo de 2023 não está nada fácil para a Ubisoft. Além de amargar vendas abaixo do esperado, a companhia agora está próxima de ter que lidar com uma greve de seus profissionais. O sindicato francês Solidaires Informatique é quem está organizando o ato. Ele quer que os funcionários parem por metade de um dia na sede em Paris por causa das alterações estratégicas da empresa e das falas “desastrosas” de seu CEO.

Jogos da Ubisoft  (Imagem: Divulgação/Ubisoft)
Jogos da Ubisoft (Imagem: Divulgação/Ubisoft)

O sindicato acredita que Yves Guillemot, CEO da Ubisoft, realizou declarações catastróficas em uma ligação para os investidores sobre a ideia de redução de custos operacionais. Ele deu como razões “uma reestruturação direcionada, da alienação de alguns ativos não essenciais e do desgaste natural habitual”.

Assim, as lideranças do Solidaires Informatique afirmaram que “quando o Sr. Guillemot fala de ‘desgaste’ e ‘ajustes organizacionais’, isso significa: reduções de pessoal, fechamentos discretos de estúdios, cortes salariais, demissões disfarçadas, etc”.

Além disso, o CEO enviou um e-mail na semana do dia 9 de janeiro para as equipes. O principal assunto foi o enorme desafio que a companhia está enfrentando na indústria. A partir daí, ele usou expressões como “a bola está na sua quadra” e “dê seu máximo”.

Na opinião dos profissionais do sindicato, o objetivo é o de desviar a culpa para os desenvolvedores e fazer pressão nos trabalhadores. Eles ressaltam:

O Sr. Guillemot pede muito aos seus funcionários, mas sem qualquer compensação. Os salários acompanharam a alta inflação dos últimos anos? E a implementação da semana de quatro dias? O que foi colocado em prática para as equipes que saem das produções exaustas (como as de Just Dance ou Mario)?

Sendo assim, o Solidaires Informatique chamou os profissionais para uma greve de quatro horas no dia 27 de janeiro. O grupo exige um aumento de 10% nos salários e melhores condições de trabalho.

Pouco sucesso e jogos cancelados

Mesmo com um alto investimento em marketing e críticas muito positivas, o jogo de RPG estratégico Mario + Rabbids: Sparks of Hope (tem review no Tecnoblog) não conseguiu alcançar os números de vendas que a Ubisoft esperava. Just Dance 2023 também ficou muito abaixo. Dessa forma, Yves Guillemot espera por “grandes perdas” no ano.

Em seguida, o CEO afirmou aos acionistas que três projetos ainda não anunciados foram cancelados pela empresa. O motivo disso foi para tentar fechar a fonte de gastos e lidar com o que foi perdido.

Para piorar, a companhia adiou o jogo de piratas Skull & Bones pela sexta vez. O título chegará às lojas em março de 2023, mas eu não me surpreenderia se o game ficasse no forno por mais alguns meses.

Como consequência, alguns funcionários disseram ao Kotaku que já estão se deparando com cortes ou vendo que contratos já não estão mais sendo renovados.

Por enquanto, apenas o Solidaires Informatique na França está promovendo a greve, mas isso pode ser estendido para outras regiões da Ubisoft.

Com informações: Destructoid.

Relacionados

Relacionados