Medidor de glicose no Apple Watch pode chegar no fim da década

Especialista em Apple aponta que a empresa está ainda está longe de lançar o medidor em seus smartwatches; Apple precisa realizar melhorias no recurso

Felipe Freitas
Por
• Atualizado há 3 meses
Apple Watch SE
Apple Watch pode receber monitor de glicose somente em 2030 (Imagem: Reprodução / Apple)

Uma nova publicação de Mark Gurman, da Bloomberg, atualiza o prazo sobre quando o Apple Watch terá um equipamento para medição de glicose. Gurman informa que o medidor deve chegar no smartwatch da Apple nos próximos três ou sete anos. Logo, no pior cenário, o Apple Watch só terá medidor de glicose em 2030.

A mais recente publicação do repórter, um dos principais especialistas em Apple, altera o que ele havia publicado em fevereiro. No mês passado, Gurman disse que a empresa seria capaz de lançar o medidor de glicose no Apple Watch “em poucos anos”. A Apple tem alguns desafios antes de finalizar a ferramenta.

Medidor de glicose no Apple Watch tem obstáculos

Segundo Gurman, a Apple precisa melhorar o algoritmo e os sensores para entregar resultados mais precisos. Além disso, é necessário reduzir o tamanho do monitor de glicose para caber em um Apple Watch. No momento, a empresa está testando o monitor em protótipos. Esses obstáculos devem demorar de três até sete anos para serem resolvidos.

A Apple trabalha nesta tecnologia há mais de 12 anos, mas pode chegar ao Apple Watch somente depois que o produto já tiver uma década de mercado. O primeiro smartwatch da Apple foi lançado em abril de 2015.

Depois de finalizar o produto, será a vez da Apple ter monitor de glicose aprovado pela FDA, órgão americano responsável pela aprovação de medicamentos, equipamentos médicos e alimentos. A FDA é equivalente à Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A aprovação com o órgão americano também adicionará alguns anos ao desenvolvimento do monitor de glicose do Apple Watch.

Apple Watch no pulso de um cliente, na Apple Store Orchard Road, Singapura
Apple Watch com medidor de glicose tem vários obstáculos antes de chegar no pulso do consumidor (Imagem: Divulgação/Apple)

Diabetes atinge quase 10% dos brasileiros

No Brasil, de acordo com dados mais recentes de uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, 9,14% da população possui diabetes. O recurso da Apple pode levar outros fabricantes a acelerar o desenvolvimento de seus medidores de glicose. A Huawei já anunciou que está trabalhando em um recurso do tipo.

Como o Apple Watch é um produto caro para a maioria da população, o medidor de glicose terá que chegar aos concorrentes para que a tecnologia seja mais acessível. Um smartwatch barato com esse recurso permitirá que os pacientes com diabetes diminuam o uso dos medidores que furam o dedo. Estes medidores acabam sendo um incômodo para a medição da glicose.

Pacientes que usam medidor de glicose contínuo (conhecidos pela sigla CGM), também caros e não fornecidos pelo SUS, conseguem parear o CGM com smartphones e smartwatches.

Com informações: ExtremeTech e Mark Gurman

Receba mais sobre Apple Watch na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Relacionados