A IA está deixando o Google Maps mais imersivo e com prédios 3D realistas

Immersive View faz Google Maps mostrar modelos 3D detalhados de prédios em algumas cidades; também há um modo que encontra locais úteis rapidamente

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 11 meses
Google Maps
Google Maps (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O assunto inteligência artificial (IA) está em alta por causa de sistemas como o ChatGPT. Mas nos lembremos de que o conceito existe há anos, inclusive nos serviços do Google. Nesse sentido, a companhia usou esta quarta-feira (8) para anunciar novidades interessantes do Google Maps. Começa pelo Immersive View, que usa IA para montar prédios 3D.

Apresentada em 2022, a ideia do Immersive View (visualização imersiva) é permitir que você explore uma área no mapa como se estivesse sobrevoando ou caminhando pelo local. Até certo ponto, trata-se de uma mistura da experiência do Google Earth com a do Street View.

Se você usa o Google Earth, já deve ter visto que, em determinados locais, a ferramenta recria os prédios em modelos tridimensionais. É uma forma de tornar as imagens capturadas por satélite mais realistas.

O Immersive View segue o mesmo princípio, mas de modo incrementado. Os modelos dos prédios 3D são ainda mais realistas e as imagens áreas podem exibir informações complementares, como clima ou nível de ocupação de um lugar.

Para isso, o Google vem usando seus avanços em inteligência artificial e visão computacional para fundir bilhões de imagens áreas do Street View. O resultado é um modelo digital bastante preciso do prédio visualizado.

Immersive View do Google Maps (imagem: reprodução/Google)
Immersive View do Google Maps (imagem: reprodução/Google)

O efeito não é só estético

A ideia não é só deixar a imagem mais bonita. Um modelo mais bem construído entrega detalhes revelantes para o usuário. O Google dá um exemplo:

O Immersive View pode ser usado para coisas como planejar idas a museus, parques ou atividades, permitindo que os usuários sobrevoem virtualmente prédios para localizar entradas, checar o trânsito ou estacionamentos ao redor, e visualizar áreas que tendem a atrair mais gente.

Ainda de acordo com o Google, o recurso também oferece um controle deslizante que permite ao usuário visualizar o local em diferentes horários ou condições meteorológicas.

Em muitos prédios, também há modelos tridimensionais do interior. Assim, você pode saber, por exemplo, se o ambiente interno de um restaurante é aconchegante.

Os resultados são bem realistas, de fato. O Google conta que, para chegar a isso, o Immersive View transforma fotos em modelos 3D usando campos de radiância neural (NeRF). Essa é uma técnica de IA que gera uma imagem tridimensional mapeando cores e luz de fotos a partir de ângulos variados.

Só é uma pena a visão imersiva ainda não cobrir muitas cidades. Por ora, o recurso funciona somente com Londres, Los Angeles, Nova York, São Francisco e Tóquio.

Entre as próximas cidades a serem contempladas pelo Immersive View estão Amsterdã, Dublin, Florença e Veneza.

Immersive View interno de um restaurante (imagem: reprodução/Google)
Immersive View interno de um restaurante (imagem: reprodução/Google)

Live View para encontrar locais úteis

O Live View já funciona com as cidades de Londres, Los Angeles, Nova York, Paris, São Francisco e Tóquio. Em breve, o recurso será expandido para funcionar em cidades como Barcelona, Dublin e Madrid. A ideia é permitir que você encontre equipamentos ou locais específicos ao seu redor.

Suponha que você está em uma viagem e precisa achar um caixa eletrônico ou a estação de trem mais próxima. O Live View usa inteligência artificial e realidade aumentada para te ajudar com isso.

Live View no Google Maps (imagem: reprodução/Google)
Live View no Google Maps (imagem: reprodução/Google)

Basta abrir o Google Maps e apontar o celular para a rua que o serviço irá mostrar o que os lugares visualizados oferecerem. Por exemplo, se você estiver em busca de um restaurante, ele mostrará quais dos pontos comerciais do local são caracterizados como tal.

indicações visuais também podem ser usadas para mostrar como chegar a pontos de táxi, caixas eletrônicos e outros.

Um detalhe interessante é que o Live View pode ser usado em lugares internos. Nos próximos meses, o Google levará o recurso a mais de mil aeroportos, incluindo os de São Paulo.

Facilidades para carros elétricos

O Google Maps também recebeu recursos para facilitar a vida de proprietários de veículos elétricos. A partir de agora, será possível usar o serviço para localizar mais facilmente estações de recarga.

Para uma viagem, por exemplo, é importante mapear os pontos de recarga de modo a evitar que o veículo fique sem energia no meio da rodovia. O Google Maps poderá fazer isso para o condutor.

Pontos de recarga de carros no Google Maps (imagem: divulgação/Google)
Pontos de recarga de carros no Google Maps (imagem: divulgação/Google)

Outro recurso relacionado é a possibilidade de filtrar a busca por estações de recarga com base na capacidade oferecida. Por exemplo, o usuário pode pedir para o Maps exibir apenas os pontos que oferecem níveis a partir de 150 a 350 kW.

O problema é que, pelo menos por enquanto, esses atributos estão disponíveis apenas para determinados veículos elétricos que trazem o Google Maps em seu painel. Entre eles estão modelos da Volvo, GM e Renault comercializados nos Estados Unidos.

Receba mais sobre Google Maps na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados