Workflow

No início de 2014, os estudantes Conrad Kramer e Ari Weinstein venceram um hackathon criando um app que automatiza fluxos de tarefas no iOS. O Workflow, como foi chamado, logo ganhou destaque na plataforma. Tanto destaque que, três anos após o seu surgimento, a Apple decidiu comprá-lo. E dá para dizer logo de cara que a empresa fez um excelente negócio.

Não está claro se a Apple pagou muito dinheiro pela ferramenta. Os valores não foram revelados. O negócio é excelente porque o Workflow deve enriquecer ainda mais a experiência de uso do iOS ao se integrar profundamente à plataforma, sem contar que, com a aquisição, as chances de uma versão para Android ser lançada se tornam praticamente nulas. Levemos em conta também que a Apple vai incorporar um time pequeno, mas muito talentoso de desenvolvedores.

Mas o que o Workflow tem de tão especial? Basicamente, a ferramenta permite que aplicativos com diferentes propostas se comuniquem de modo bastante eficiente. Assim, você pode determinar quais tarefas devem ser executadas, como e em qual ordem. É algo que lembra o bom e velho IFTTT, só que muito mais enraizado no iOS, por assim dizer.

Só para citar alguns exemplos simples — extraídos do site do Workflow —, você pode usar a ferramenta para gravar lembretes de voz pelo Apple Watch e guardá-los no Dropbox, encurtar URLs automaticamente, extrair áudio de um vídeo no YouTube, criar senhas seguras, dividir a conta do restaurante ou bar, entre muitas outras atividades.

Workflow

A Apple vem há algum tempo tentando melhorar a integração de recursos dentro do iOS, mas a empresa se deu conta de que o Workflow funciona tão bem para isso que seria mais sensato incorporá-lo. Se não a Apple, provavelmente outra empresa iria, cedo ou tarde, fazer a compra: o aplicativo se destacou tanto que até ganhou o prêmio Apple Design Awards 2015.

Vai demorar um pouco para o Workflow se tornar um recurso nativo do iOS, mas já dá para imaginar algumas funcionalidades que a plataforma terá com essa integração, como criação de rotinas mais amplas de backup (que consideram inclusive serviços de terceiros) e melhoramento dos recursos de acessibilidade (essa foi uma das razões para a premiação em 2015, aliás).

Por ora, os usuários de iOS podem se beneficiar da aquisição simplesmente baixando o Workflow: com o negócio, a ferramenta se tornou gratuita na App Store.

Relacionados

Autor(a)

Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.