Apple mantém posto de marca mais valiosa do mundo

Google e Microsoft aparecem logo atrás da dona do iPhone. Relatório da Kantar BrandZ inclui gigantes do setor de tecnologia.

Thássius Veloso
Por
Pódio de marcas mais valiosas de 2023 tem Apple, Google e Microsoft (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Pódio de marcas mais valiosas de 2023 tem Apple, Google e Microsoft (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A Apple novamente conquistou o título de marca mais valiosa do planeta, com US$ 880,4 bilhões. Logo atrás dela aparecem Google (US$ 577,7 bilhões) e Microsoft (US$ 501,8 bilhões) no ranking elaborado pela Kantar BrandZ e divulgado nos últimos dias. Na prática, porém, a empresa da maçã desvalorizou 7% em relação ao resultado de 2022.

O top 10 traz ainda Amazon e Tencent como empresas diretamente associadas à tecnologia, com valores de marca estimados em US$ 468,7 bilhões e US$ 141,0 bilhões, respectivamente. Visa e MasterCard, que mantêm robustas operações digitais (desde processamento de pagamentos até prevenção de fraudes) também estão na lista.

O diretor da Kantar BrandZ, Martin Guerrieria, declarou em nota divulgada pela empresa que ocorre uma tendência de crescimento de longo prazo das marcas. Ela começou após a crise financeira global de 2008, foi interrompida durante a pandemia e agora está de volta. “As marcas mais valiosas do mundo continuam tão bem-conceituadas como sempre”, disse ele.

Novatas do universo digital e velhas conhecidas

O ranking da Kantar BrandZ serve de parâmetro para compreender o impacto de empresas no campo dos negócios, mas principalmente no marketing. O relatório aponta alguns movimentos interessantes para quem, como nós, tem particular interesse pela tecnologia.

Por exemplo, a varejista chinesa de vestuário Shein fez sua estreia na listagem, na posição 70. Já o conglomerado japonês Sony está de volta na posição 99.

Tesla de Elon Musk aparece na posição 25 do ranking (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Tesla de Elon Musk aparece na posição 25 do ranking (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A rede social com origem chinesa TikTok aparece em 41º lugar, mas é considerada a segunda marca mais disruptiva do top 100. Ela aparece logo atrás da indústria automobilística Tesla, do bilionário Elon Musk, na posição 25. Cabe lembrar que o polêmico proprietário do Twitter é considerado um visionário com real impacto no processo de eletrificação.

PosiçãoMarcaPaís de origemValor em 2023 (em US$ bilhões)
1AppleEUA880,4
2GoogleEUA577,7
3MicrosoftEUA501,8
4AmazonEUA468,7
5McDonald’sEUA191,1
6VisaEUA169,1
7TencentChina141,0
8Louis VuittonFrança124,8
9MasterCardEUA110,6
10Coca-ColaEUA106,1
Fonte: Kantar BrandZ

Luxo lá em cima

A pressão inflacionária ocorre no mundo todo. Os indicadores econômicos estão aí, nas manchetes dos jornais. Apesar do cenário macroeconômico difícil, no entanto, o documento indica que os mais abastados seguem consumindo. A categoria Luxo mostrou-se “mais resistente à flutuações do mercado”, de acordo com a Kantar BrandZ, assim como Fast Food e o setor de Alimentos e Bebidas.

Apple Vision Pro na sede da Apple nos Estados Unidos (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)
Apple Vision Pro na sede da Apple nos Estados Unidos (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A própria Apple deve passar por uma provação da sua capacidade de convencer clientes com grana a desembolsar por novos dispositivos. O headset de realidade virtual Apple Vision Pro, anunciado há duas semanas, tem preço sugerido de US$ 3.500. Dá mais de R$ 17,2 mil em conversão direta. As maiores publicações da imprensa estrangeira o consideraram caro, apesar da alta tecnologia embarcada, conforme eu mesmo comprovei numa demonstração realizada em Cupertino.

Receba mais sobre Apple na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Thássius Veloso

Thássius Veloso

Editor

Thássius Veloso é jornalista especializado em tecnologia e editor do Tecnoblog. Desde 2008, participa das principais feiras de eletrônicos, TI e inovação. Na mídia, também atua como comentarista da GloboNews e da CBN, além de ser palestrante, mediador e apresentador de eventos. Já apareceu no Jornal Nacional, da TV Globo, e publicou artigos na revista Galileu e no jornal O Globo. Ganhou o Prêmio Especialistas em duas ocasiões e foi indicado diversas vezes ao Prêmio Comunique-se.

Canal Exclusivo

Relacionados