Criadora de Destiny processa autores de falsas queixas por direitos autorais

Bungie recorre à Justiça dos EUA após ter seus próprios vídeos derrubados do YouTube, devido a pedidos falsos de violação de direitos autorais

Murilo Tunholi
Por
Destiny 2 (Imagem: Divulgação/Bungie)

Vários youtubers de Destiny 2, assim como a própria desenvolvedora do jogo — a Bungie —, tiveram seus conteúdos derrubados por supostas violações de direitos autorais, na última semana. As solicitações, porém, não partiram da criadora do game. Para evitar que a situação se repetisse, a empresa começou a processar pessoas que enviam pedidos falsos de remoção ao YouTube.

No decorrer da última semana, usuários anônimos abusaram do Digital Millennium Copyright Act (DMCA) para derrubar de propósito conteúdos de Destiny 2. Nas solicitações, as pessoas alegaram que os vídeos — incluindo publicações do canal da própria desenvolvedora — infringiam os direitos da Bungie. Sem demora, o YouTube removeu os conteúdos denunciados.

O DMCA é um instrumento da Justiça dos EUA que garante os direitos autorais sobre propriedades intelectuais. Em outras palavras, se uma pessoa usa em um vídeo o conteúdo protegido pela lei, esse vídeo pode ser desmonetizado ou tirado do ar a qualquer momento. Vale mencionar que o DMCA também pode aplicar multas e sanções legais para queixas falsas ou de má-fé.

Em seu perfil no Twitter, a Bungie informou não ser a responsável pelas solicitações de remoção dos vídeos. Inclusive, a empresa compartilhou suas regras internas de criação de conteúdo, as quais permitem a publicação de vídeos produzidos com imagens de Destiny 2. Nos tweets, a desenvolvedora disse o seguinte:

“Estamos cientes de uma série de remoções por direitos autorais no YouTube e estamos investigando ativamente. Isso inclui conteúdos em nossos próprios canais da Bungie.

Essas ações NÃO estão sendo tomadas a pedido da Bungie ou de nossos parceiros. Aguarde atualizações futuras”.

Bungie.

Bungie criticou o Google por falhas no YouTube

Para evitar novas remoções de vídeos, a Bungie iniciou uma investigação para encontrar e processar os autores dos pedidos de violação de direitos autorais. Em comunicado, a produtora explicou que as solicitações foram enviadas de um e-mail falso, cujo dono se passava por um representante da empresa antipirataria Corporation Service Company (CSC).

A pedido da Bungie, o Google baniu a conta usada para solicitar as remoções dos vídeos e republicou os conteúdos no YouTube. Mesmo assim, a produtora de Destiny 2 criticou o gigante das buscas por aceitar reivindicações falsas de direitos autorais com tanta facilidade. O Google se desculpou e prometeu incluir melhorias para reduzir erros no futuro.

Autores das falsas solicitações são processados

Não satisfeita, a Bungie recorreu à Justiça dos EUA e processou 10 pessoas envolvidas nos pedidos falsos de violação de direitos autorais. Entre as acusações do processo estão abuso de marca registrada e violação das leis de proteção ao consumidor.

Segundo os advogados da Bungie, a situação não só prejudicou a comunidade de jogadores e criadores de conteúdo de Destiny 2, como também causou “danos quase incalculáveis” à produtora. A empresa ainda citou que os problemas foram causados devido a falhas nos sistemas do próprio YouTube.

Com informações: TorrentFreak.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Murilo Tunholi

Murilo Tunholi

Ex-autor

Jornalista, atua como repórter de videogames e tecnologia desde 2018. Tem experiência em analisar jogos e hardware, assim como em cobrir eventos e torneios de esports. Passou pela Editora Globo (TechTudo), Mosaico (Buscapé/Zoom) e no Tecnoblog, foi autor entre 2021 e 2022. É apaixonado por gastronomia, informática, música e Pokémon. Já cursou Química, mas pendurou o jaleco para realizar o sonho de trabalhar com games.

Canal Exclusivo

Relacionados