Funcionários do Google terão que dividir mesas para reduzir custos

Para se adequar a nova realidade econômica pós-pandemia, empresa realizou demissões em massa e busca desocupar alguns de seus edifícios

Paula Alves
Por
• Atualizado há 6 meses
Funcionários do Google irão dividir mesas para reduzir custos / Divulgação / Google
Escritório do Google em Kirkland (Imagem: Divulgação / Google)

Após reduzir 6% da sua força de trabalho, o Google está agora empenhado em desocupar alguns de seus edifícios. Para isso, de acordo com um memorando enviado aos trabalhadores do Google Cloud, nos EUA, os funcionários da empresa terão que compartilhar suas mesas com seus colegas de setor, trabalhando presencialmente em dias alternados.

O aviso foi enviado recentemente aos trabalhadores, afetando os cinco maiores escritórios do Google Cloud do país, localizados nas cidades de Kirkland, em Washington; Nova York; São Francisco; Seattle e Sunnyvale, na Califórnia.

Segundo a CNBC, que teve acesso ao e-mail enviado, o novo modelo de organização visa diminuir o espaço ocupado pelo Google, desocupando alguns dos escritórios até então utilizados. Dessa maneira, será possível cortar custos e possibilitar que a companhia continue a investir no crescimento do próprio Google Cloud.

Para a distribuição dar certo e duas pessoas não precisarem ocupar uma mesa simultaneamente, os funcionários deverão se alternar entre segundas e quartas-feiras ou terças e quintas-feiras. E, em casos atípicos, quando um deles precisar ir ao escritório fora do seu dia de escala, ocupar um “espaço extra” já previamente separado pela companhia.

Escritório do Google em Sunnyvale (imagem: Greg Bulla/Unsplash)
Escritório do Google em Sunnyvale (imagem: Greg Bulla/Unsplash)

“A maioria dos Googlers agora divide uma mesa com outro Googler. Através do processo de correspondência, eles concordarão com uma configuração básica de mesa e estabelecerão normas com seus parceiros e equipes de mesa para garantir uma experiência positiva no novo ambiente compartilhado”, detalhava o memorando.

Chamada oficialmente de Cloud Office Evolution, a proposta do compartilhamento de mesas não é uma estratégia temporária, sendo adotada como o padrão para o modelo de trabalho híbrido da empresa no setor.

Em janeiro, Google demitiu 12 mil funcionários

A desocupação de parte de seus escritórios não é a primeira medida que o Google toma para se reorganizar financeiramente, após um período de crescimento que não se estendeu no pós-pandemia.

No final de janeiro, o Google demitiu 12 mil trabalhadores – número que, atualmente, representa 6% do seu quadro de funcionários. A decisão foi comunicada por e-mail aos afetados, que incluíam profissionais também de fora dos EUA.

Logotipo do Google
Google (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Na época, a medida foi compartilhada também no blog do Google, com assinatura do CEO da empresa e da Alphabet, Sundar Pichai. Segundo ele, “nos últimos dois anos, vimos períodos de crescimento dramático. Para acompanhar e alimentar esse crescimento, contratamos para uma realidade econômica diferente da que enfrentamos hoje.”

Devido a isso, segundo o executivo, foi feita uma revisão rigorosa em todas as áreas e funções dos produtos do Google, de maneira a garantir que as equipes estivessem alinhadas com as prioridades da empresa.

“As funções que estamos eliminando refletem o resultado dessa revisão. Eles atravessam a Alphabet, áreas de produtos, funções, níveis e regiões”, detalhou o CEO.

Com informações: Neowin

Relacionados