Proteste recorre ao Ministério da Justiça para Samsung resolver “morte súbita” do Galaxy S III

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 3 meses

Nenhum dispositivo eletrônico é imune a falhas, por mais sofisticado que seja, mas quando determinado problema se manifesta em várias unidades, o fabricante deve investigar criteriosamente e oferecer uma solução, certo? Só que a Samsung não está respondendo assim às inúmeras queixas de travamento do Galaxy S III. Para tentar resolver o problema, a Proteste decidiu recorrer à Justiça.

A entidade contatou a Samsung depois que a quantidade de reclamações referentes ao problema passou a indicar a necessidade de recall. Diante da ausência de resposta, a Proteste enviou nesta segunda-feira (14) um ofício ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, braço do Ministério da Justiça, solicitando providências.

Há vários relatos da falha na internet, muitos no Reclame Aqui. Os primeiros deles remetem ao final de 2012 e, desde então, a quantidade de queixas só aumenta. É um problema que não afeta apenas aparelhos comercializados no Brasil, é bom frisar. Lá fora, a falha ganhou o apelido de “morte súbita” (sudden death), inclusive.

Este vídeo é um dos vários casos relatados no YouTube:

Os “sintomas” são os mesmos na maioria esmagadora dos relatos, reforçando a tese de que se trata de um problema digno de recall: após alguns meses de uso, o Galaxy S III começa a travar com cada vez mais frequência, muitas vezes antes de completar o boot. Há casos de unidades que, depois de tantos travamentos, apagaram de vez.

A causa do problema está, de acordo com relatos de casos já resolvidos, no chip eMMC utilizado para o armazenamento interno de dados. Em poucos meses de uso, o componente começa a apresentar falhas de leitura ou gravação, como se tivesse se desgastado, o que não faz sentido algum para um produto que não tem sequer um ano de utilização.

Este chip é integrado à placa-mãe do Galaxy S III, logo, é necessário trocá-la por completo para resolver o problema, gerando um custo alto de reparo. Talvez seja por este motivo que muitos consumidores tiveram seus aparelhos devolvidos sem solução após levá-los à assistência técnica. Revoltante, né?

A Proteste disponibilizou e-mail e telefone nesta página para orientar quem está passando pelo mesmo problema e não encontra solução. Também é possível registrar queixa em órgãos de defesa do consumidor, é claro. Há casos de pessoas que conseguiram atendimento satisfatório somente depois de procurar o Procon.

Leitores do Tecnoblog enviaram nos últimos meses vários relatos com o problema de “morte súbita” do Galaxy S III. Entramos em contato com a assessoria de imprensa da Samsung, mas a empresa havia permanecido em silêncio sobre o assunto. Caso a companhia se manifeste dessa vez, atualizaremos este post para publicar a resposta. Enquanto isso, se você passou pelo mesmo problema, compartilhe sua história nos comentários. 🙂

Atualização (17/10 às 12h40): a Samsung nos enviou o seguinte posicionamento:

“Asseguramos aos nossos clientes que não foram encontrados problemas técnicos inerentes ao modelo GALAXY S III. Nossos consumidores são orientados a procurar a assistência técnica da Samsung em caso de dúvida ou qualquer questão relacionada aos nossos produtos. Estamos comprometidos com a satisfação de nossos clientes.”

Com informações: INFO

Relacionados