Google abre domínio .meme para registro

Terminação .meme é a mais nova na lista de domínios pouco convencionais, que também conta com .ing, .dad e .boo. Registro está em acesso prévio até 5 de dezembro.

Giovanni Santa Rosa
Por
Keyboard Cat
Keyboard Cat já tem seu domínio .meme (Imagem: Reprodução/YouTube)

Sites ligados à cultura de internet terão uma opção bem curiosa: o Google vai liberar o domínio .meme para registro. Interessados já podem pagar uma tarifa extra pelo acesso prévio. A partir do dia 5 de dezembro, os endereços estarão disponíveis para todos, mediante pagamento de uma taxa anual, como acontece com outros domínios.

Alguns sites já usam o domínio .meme. O mais famoso deles talvez seja o Know Your Meme, espécie de enciclopédia dos memes que circulam na internet. O site possui o domínio knowyour.meme. O Tenor, repositório de GIFs, também está disponível nos endereços find.meme e create.meme.

Outros sites relacionados a memes clássicos também usam a terminação: grumpycat.meme tem imagens do famoso gato rabugento, o keyboardcat.meme hospeda o famoso vídeo e o nyancat.meme traz a animação do gato cinza voador.

Nyan Cat
Nyan Cat, outro meme clássico, está no nyancat.meme (Imagem: Reprodução)

O acesso prévio foi disponibilizado pelo Google e está no endereço get.meme. Ele vai até 5 de dezembro, às 13h (horário de Brasília). A partir daí, a terminação está disponível em todos os serviços de registro.

Google cria domínios “diferentões”

O Google vem se destacando por criar domínios pouco convencionais. Em outubro, a empresa lançou o .ing, muito interessante para empresas e serviços em inglês.

O “ing” é uma terminação comum no idioma para substantivos de funções e atividades, adjetivos e verbos no gerúndio. Os endereços edit.ing (editando) e draw.ing (desenhando), por exemplo, já foram comprados por Adobe e Canva, respectivamente.

Além do .ing e do .meme, o Google Registry tem outros domínios pouco convencionais, como .new, .day, .dad e .boo.

Domínios rendem milhões a pequenos países

Algumas terminações de domínio específicas pertencem a países e acabam se tornando uma boa fonte de renda para eles.

Um clássico é o de Tuvalu, país de 11 mil habitantes que fica na região da Polinésia. Ele detém o .tv, usado por emissoras de todo o mundo

Vista aérea das praias da ilha de Anguila
Venda de domínios se tornou importante para Anguilla (Imagem: Roy Googin/Wikimedia Commons)

Já o .ai, por exemplo, pertence a uma pequena ilha no Caribe, chamada Anguilla. Como a inteligência artificial está em alta, muitas empresas compraram domínios com AI (sigla em inglês para “artificial intelligence”). Com isso, Anguilla lucrou US$ 25 milhões em um ano.

Com informações: Google, The Verge

Receba mais sobre Google na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados