Google Brasil cancela eventos e viagens em meio ao coronavírus

Com 76 casos confirmados no Brasil, várias empresas tomam providências para garantir a segurança de funcionários

Victor Hugo Silva
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Google - escritório

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira (12) que o Brasil conta com 76 casos confirmados do novo coronavírus, sendo 41 deles no estado de São Paulo. Nesse cenário, empresas como Google, Facebook e Samsung têm tomado algumas providências em seus escritórios no país.

Procurado pelo Tecnoblog, o Google Brasil indicou que cancelou eventos que tinha em sua agenda para evitar aglomerações. Um deles é o “Cresça com o Google – Women Will”, programa gratuito de liderança e empreendedorismo para mulheres que seria realizado na sexta-feira (13).

Ele aconteceria no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, e receberia até 10 mil pessoas. Em seu site, o Google informa que o evento foi cancelado “devido às preocupações com o coronavírus” e às orientações de autoridades como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Como participante do programa Cresça com o Google, sua saúde e segurança são nossas prioridades”, indica a empresa, que agora busca outras formas de oferecer os treinamentos.

O coronavírus também provocou mudanças na rotina em escritórios em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. A empresa permitiu que os funcionários optem pelo home office. A ação foi tomada após a empresa fazer esse pedido para profissionais nos EUA e no Canadá.

“Diante da evolução do coronavírus (COVID-19) na América Latina, estamos oferecendo aos nossos funcionários na região a opção de trabalhar de casa. É uma medida preventiva que prioriza a saúde e a segurança de nossos colaboradores”, afirma o Google. As viagens ao exterior que não são consideradas essenciais e algumas visitas à empresa também foram proibidas.

Medidas se estendem por outras empresas

Facebook liberou seus funcionários no Brasil para trabalharem de casa até 10 de abril. A ideia é permitir o home office quando possível para atender às pessoas que não se sentirem à vontade em aglomerações.

E, como acontece há mais tempo em outros países, a empresa também pediu para seus profissionais no Brasil evitarem viagens à trabalho que não sejam de extrema importância. A determinação vale tanto para viagens ao exterior, quanto viagens dentro do país.

Já a Samsung afirma que o coronavírus não impacta sua produção no Brasil neste momento. Entre 12 e 14 de fevereiro, a empresa paralisou a produção de celulares no país por conta da falta de peças e cerca de 2.500 funcionários da unidade de Campinas (SP) ficaram em casa.

Agora, a Samsung informa que “as fábrica de Campinas e Manaus operam normalmente”. A empresa diz ainda que está se pronunciando sobre o coronavírus por meio da Associação Brasileira de Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

Na segunda-feira (9), a associação divulgou uma nova sondagem em que 70% das empresas consultadas relatavam problemas no recebimento de materiais vindos da China. No início de fevereiro, o índice era de 52%.

A Microsoft, por sua vez, afirmou que a saúde e a segurança de seus funcionários é sua maior prioridade. A empresa, no entanto, não indicou se pretende mudar algo na rotina dos seus colaboradores no Brasil.

“Nós estamos providenciando orientações em tempo real para todos os funcionários em áreas afetadas”, indica a empresa. “Nós continuaremos a monitorar a situação e tomar as providências necessárias para ajudar a proteger nossos colaboradores”.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva

Ex-autor

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi autor, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Canal Exclusivo

Relacionados