Google terá filtro “Web” para mostrar apenas links nos resultados de busca

Nova opção remove itens que incomodam alguns usuários, como trechos extraídos de sites, produtos de lojas online, imagens e vídeos

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 1 semana
Logotipo do Google
Google aposta em IA, mas dá alternativa para quem não quer usar (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

O Google terá uma opção chamada “Web” para exibir apenas links para sites nos resultados da busca, sem mostrar outros tipos de mídia ou respostas geradas por inteligência artificial. Ela ficará na barra superior, ao lado de opções como “Imagens”, “Videos” e “Notícias”, entre outras.

A novidade foi anunciada nesta terça-feira (14) por Danny Sullivan, representante da busca do Google. “Acrescentamos esta opção após tomar conhecimento que os usuários, às vezes, preferem ver apenas links nos resultados de busca, seja para procurar por documentos longos ou usando um aparelho com acesso limitado à internet”, explicou Sullivan.

Botão web nos resultados de busca do Google
No computador, é necessário clicar em “Mais” para encontrar a opção “Web” (Imagem: Reprodução / Google)

Filtro é opção às ferramentas de IA do Google

Os resultados “puros” surgem em um momento em que o Google aposta na inteligência artificial para responder a perguntas e realizar buscas complexas para o usuário. Na apresentação de abertura da Google I/O 2024, nesta terça (14), a empresa lançou as AI Overviews, resumos automáticos que aparecem no topo dos resultados da busca.

A ferramenta era anteriormente conhecida como Search Generative Experience (SGE) e estava disponível apenas para quem se inscrevesse nos testes. Agora, ela será liberada para todos, começando pelos Estados Unidos.

O Google também vai usar inteligência artificial para entender buscas complexas — a companhia usou o exemplo “encontre os melhores estúdios de ioga ou pilates em Boston e mostre detalhes sobre suas promoções para novos clientes e o tempo de caminhada desde Beacon Hill”. Outra possibilidade é pedir para planejar cardápios ou viagens.

Busca vem sendo alvo de críticas

Mesmo antes das ferramentas de IA, o Google passou a ser alvo da insatisfação de usuários. Segundo um levantamento da Semrush, 27,6% das buscas realizadas nos EUA precisam ser refeitas logo em seguida, com algum refinamento nos termos da pesquisa.

Um dos problemas é o excesso de conteúdo indesejado nos primeiros resultados da busca. Logo de cara, aparecem produtos em lojas online, listas extraídas de sites, respostas às questões mais frequentes de outros usuários, imagens e mais. Ao clicar no filtro “Web”, a ideia é que nada disso apareça.

Com informações: Search Engine Land, The Verge

Receba mais sobre Google na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados