Instagram vai encerrar recurso de compras ao vivo em março

Ferrramenta que criadores usavam para marcar produtos durante transmissões ao vivo não funcionará mais a partir de 16 de março de 2023

Paula Alves
Por
• Atualizado há 6 meses
Logotipo do Instagram
Instagram (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Na última terça-feira (14), o Instagram anunciou que vai encerrar o “live shopping”, recurso da plataforma lançado em 2020 que permite que criadores de conteúdo marquem e vendam produtos durante transmissões ao vivo. A ferramenta é mais uma da longa lista de criações da Meta implementadas nas redes sociais para incentivar compras online que agora estão sendo descontinuadas pela empresa.

Segundo o Instagram, as “compras ao vivo” da plataforma deixarão de funcionar a partir de 16 de março, porém esse é o único recurso das transmissões em tempo real que sofrerá alguma alteração. Opções como convidar pessoas para participar de sua transmissão ou mesmo realizar uma sessão de perguntas e respostas ao vivo continuarão disponíveis.

Além disso, os recursos do “compras” do Instagram também permanecerão intactos, possibilitando que pessoas configurem e administrem uma loja na plataforma para vender online seus produtos.

Segundo a rede social, essa mudança pontual de descontinuar o “live shopping” foi decidida exatamente porque “ajudará a focar em produtos e recursos que agregam mais valor aos nossos usuários”, o que deixa pistas de que o engajamento em relação à ferramenta, atualmente, não corresponde ao esperado.

Meta não emplaca recursos de compras

Nascido em meio à pandemia, o recurso de “compras ao vivo” do Instagram foi lançado para impulsionar as vendas online da rede social.

Junto às marcações de produtos que já existiam em ferramentas como feed, Stories e Reels, as marcações ao vivo podem ajudar as empresas a interagir instantaneamente com os usuários, além de humanizarem a marca perante os clientes.

Saiba copiar o link do perfil no Instagram (Imagem: Brett Jordan/Unsplash)
ìcone do Instagram (Imagem: Brett Jordan/Unsplash)

A novidade, no entanto, parece não ter sido tão bem-sucedida quanto o esperado. E, após o fim da reclusão social, o próprio investimento feita pela Meta para o setor de vendas online parece não ter correspondido às expectativas.

Prova disso é que, em outubro do ano passado, a empresa decidiu encerrar o recurso de “live shopping” do Facebook e, ainda neste mês, pretende descontinuar a aba de “compras” do Instagram.

Com o anúncio de ontem, mais uma ferramenta de vendas da plataforma chega ao fim, mostrando que os esforços da companhia agora talvez estejam depositados em outros lugares.

Apesar disso, a Meta afirma que as “compras” ainda são um setor de investimento para a empresa, especialmente no que diz respeito à publicidade e anúncios de compras.

Com informações: The Verge e TechCrunch

Receba mais sobre Instagram na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paula Alves

Paula Alves

Repórter

Paula Alves é jornalista especialista em streamings e cultura pop. Formada pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), antes do Tecnoblog, trabalhou por sete anos com jornalismo impresso na Editora Alto Astral. No digital, escreveu sobre games e comportamento para a Todateen e sobre cinema e TV para o Critical Hits. Apaixonada por moda, já foi assistente de produção do SPFW.

Canal Exclusivo

Relacionados