Investir na Amazon, Apple, Google e outras empresas estrangeiras será mais fácil

Não será mais necessário ter R$ 1 milhão para comprar BDRs, ativos equivalentes às ações de empresas do exterior

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
B3 e Totvs criam empresa de tecnologia financeira Dimensa (Foto: Jason Briscoe/Unsplash)

Investir em empresas estrangeiras, como Amazon, Apple e Google, ficará mais fácil a partir de 1º de setembro de 2020. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) anunciou na terça-feira (11) uma mudança nas regras de aplicação em BDRs, ativos que até então só estavam disponíveis para os chamados investidores qualificados, aqueles com mais de R$ 1 milhão.

Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) não são as ações propriamente ditas, mas sim certificados de depósitos emitidos no Brasil que representam as ações das companhias de capital aberto com sede no exterior. Ou seja, ao comprar AAPL34 na bolsa de valores brasileira B3, por exemplo, você está investindo em um ativo equivalente às ações da Apple (AAPL) na americana Nasdaq.

As ações equivalentes realmente existem, ficando depositadas e bloqueadas em um agente custodiante para garantir que elas sejam suas, mas esse detalhe é importante para os mais puristas, que preferem investir especificamente nas ações. Se é o seu caso, ainda será necessário abrir uma conta em uma corretora no exterior e realizar os trâmites de um investimento internacional.

Pelas novas regras da CVM, os BDRs poderão ser negociados mesmo por investidores que não são considerados qualificados, “a depender do mercado em que os valores mobiliários lastro dos BDR Nível I sejam listados”. A norma atualizada também permite que empresas nacionais com capital aberto em outros países, como XP e PagSeguro, emitam BDRs para investidores brasileiros.

No setor de tecnologia, os BDRs são negociados na B3 por códigos como GOGL34 (Alphabet), AMZO34 (Amazon), AAPL34 (Apple), ITLC34 (Intel), MSFT34 (Microsoft), NFLX34 (Netflix), NVDC34 (Nvidia) e TSLA34 (Tesla). A lista completa dos ativos pode ser consultada nesta página.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados