Microsoft anuncia que demitirá 10 mil funcionários até março

Demissão em massa foi divulgada nesta quarta-feira e será a segunda maior da história da Microsoft; CEO da empresa cita cenário atual como motivo do layoff

Felipe Freitas
Por
Microsoft
Microsoft (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Microsoft é mais uma empresa de tecnologia a anunciar uma demissão em massa. Em um comunicado divulgado no site da empresa, Satya Nadella informou que a Microsoft demitirá 10.000 funcionários nas próximas semanas. As primeiras notificações serão envidas nesta quarta-feira (18) e todo o processo de demissão será finalizado em março.

No comunicado, Nadella informa que o cenário mundial, na qual empresas estão sofrendo com recessões em diferentes partes do globo ou se antecipando a quedas de crescimento, aliado aos novos hábitos de consumo de eletrônicos pós-pandemia, levou a Microsoft a tomar essa decisão. Desse modo, apenas Google e Apple não realizaram demissões em massa (ainda?) nos últimos 12 meses.

Layoff é o segundo maior da Microsoft — com gostinho de primeiro

Como lembrou o The Verge, o “passaralho” na Microsoft é o segundo maior da história da empresa. Porém, se levarmos em conta que a demissão em massa de 18.000 funcionários teve 12.500 empregados da divisão de smartphones comprada da Nokia, este caso se torna o maior layoff “puro” da Microsoft.

Ontem, dia 17, começaram a circular os primeiros rumores de que a Microsoft realizaria uma demissão em massa. Agora, confirmado o fato, fica também explicado como esse processo será realizado. A ideia da Big Tech é comunicar os primeiros demitidos nessa quarta, finalizando o layoff dos 10.000 em março, junto do fim do terceiro trimestre do ano fiscal de 2023.

Os números de demitidos equivalem à 5% do quadro de funcionários da Microsoft. Nadella não informa quais regiões serão atingidas, todavia, podemos esperar que o impacto será global. Uma empresa do tamanho da Microsoft não deixaria alguns países ilesos — e o comunicado sugere isso quando cita a recessão em escala mundial e fala que a Microsoft seguirá.

Satya Nadella, CEO da Microsoft (Imagem: Reprodução)
Satya Nadella, CEO da Microsoft, disse em 2014 e em 2023 quase a mesma coisa: “essas decisões são difíceis, mas necessárias” (Imagem: Reprodução)

Contratações seguirão em áreas estratégicas

Apesar de demitir 10.000 funcionários, a Microsoft não suspenderá as contratações. Nadella explica no comunicado que a empresa continuará contratando em áreas estratégicas, nas quais a Microsoft enxerga como fundamentais para o lançamento de novos produtos, como desenvolvimento de inteligências artificiais — um foco adotado por quase todas as big techs.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados