Nova York faz teste e quer aerotáxis elétricos voando até 2025

Aeronave da Joby Aviation realizou voo experimental em Manhattan no último domingo. Empresa que transportar passageiro do aeroporto JFK até o centro financeiro.

Thássius Veloso
Por
Aeronave com formato que lembra helicóptero, nos ares da cidade
eVTOL sobrevoa a cidade de Nova York (Imagem: Reprodução/Joby Aviation)

Os aerotáxis podem estar mais perto do que se imaginava: a empresa Joby Aviation fez a demonstração do veículo voador que cruza os céus de Nova York em 7 minutos. A ideia da empresa é fazer o transporte de passageiros que chegam no Aeroporto Internarcional JFK, um dos mais movimentados dos Estados Unidos, até o centro da ilha de Manhattan. O prazo seria de mais dois anos.

O voo experimental ocorreu num heliporto da Big Apple no último domingo (12), mas só agora a empresa por trás do projeto divulgou os detalhes deste feito. Classificado como um eVTOL, o veículo decola e pousa na vertical, utiliza alimentação por bateria, e tem formato que lembra bastante nossos conhecidos helicópteros.

Elétrico sim, autônomo não

Aeronave em solo. Na imagem é possível ver o piloto.
Aeronave conta com piloto e alcança 500 metros de altitude (Imagem: Divulgação/Joby Aviation)

Cabe destacar que não se trata de um veículo autônomo. O eVTOL da Joby tem espaço para quatro tripulantes, dentre os quais o piloto. A aeronave é tem autonomia para 160 quilômetros e altitude alcançada é de 500 metros.

Foi a primeira vez que a Joby realizou um voo numa região urbana. Nova York foi escolhida por causa do potencial de interessados no trajeto do aeroporto até a cidade de fato. Além disso, a Joby mantém uma parceria com a companhia aérea Delta.

Silencioso e livre de carbono

Uma das promessas da Joby é de maior conforto sonoro, isso porque o aerotáxi faz bem menos barulho do que um helicóptero tradicional. Eles registraram o equivalente a 45,2 dBA, o que seria mais baixo do que uma conversa entre duas pessoas.

O prefeito de Nova York, Eric Adams, destacou o fato de o veículo não emitir gases do efeito estufa. Seria uma opção de transporte mais verde – para quem puder pagar, naturalmente.

Com informações: Joby Aviation, Reuters eAirport Technology

Relacionados