Os modelos de ar-condicionado mais econômicos de 2023, segundo o Inmetro

Marcas como Consul e Elgin figuram entre as que menos consomem energia; nota de IDRS precisa ser acima de 5,5 para ter classificação A

Ricardo Syozi
Por
Ar-condicionado
Ar-condicionado (Imagem: Divulgação / Samsung)

O Inmetro divulgou a lista dos modelos de ar-condicionado que garantem a maior economia para o consumidor. Dessa forma, diversas marcas dão às caras, apresentando níveis baixos de consumo. O foco é o de facilitar a compreensão do usuário na hora de decidir qual equipamento adquirir. Abaixo, você vai conferir quais são as opções mais econômicas, conforme as regras da instituição.

É claro que a lista divulgada é bastante extensa, por isso pegamos o primeiro lugar no quesito consumo para separar os itens. Ao todo, a entidade divulgou mais de 100 aparelhos distintos, quase todos com o selo A. Para quem quiser conferir cada um dos objetos, é válido visitar a página do Inmetro.

Faixa de BTU ModeloConsumo
7.000Consul CCK07BBXNA399,0 KWh/ano
7.500Consul CCS07FBBNA584,0 KWh/ano
9.000Elgin HJFI09C2IA287,0 KWh/ano
9.000Elgin HJQI09C2IA292,0 KWh/ano
12.000Consul CBR12CBXNA529,0 KWh/ano
18.000Midea 42AEVQA18M5566,2 KWh/ano
18.000Elgin HJFI18C2IA573,0 KWh/ano
24.000Daikin FTKP24Q5VL708,4 KWh/ano
24.000Daikin FTHP24Q5VL708,4 KWh/ano
30.000Midea 42AEVQA30M5956,0 KWh/ano
30.000Springer Midea 42AGVCC30M51.009,0 KWh/ano
36.000Carrier 40KVQC36C5 1.282,2 KWh/ano
36.000Elgin PVFI36B2DM1.371,0 KWh/ano

Quais são os critérios usados?

Há dois importantes parâmetros usados pelo Inmetro para definir os condicionadores de ar mais econômicos e eficientes. O primeiro já é conhecido de muitos consumidores. Trata-se do nível de consumo de energia de cada aparelho. Quanto mais baixo, uma quantidade menor de eletricidade será consumida pelo gadget. Este foi o principal que usamos em nossa lista.

O segundo é o Índice de Desempenho de Resfriamento Sazonal (IDRS), que “classifica a eficiência energética dos modelos de ar-condicionado de uma maneira mais precisa e rigorosa”. Ele é apresentado através do cálculo do índice de eficiência, exigindo que os produtos tenham a tecnologia “inverter” para serem classificados com o selo “A”.

Ele é o mais importante para apontar a eficiência do objeto.

Todas as opções da lista de mais econômicos trazem a nota “A” em suas embalagens, mas alguns gastam menos do que outros. Por isso, o Inmetro realiza testes para comprovar a competência de cada item que chega oficialmente ao Brasil.

Ar-condicionado
Modelos diferentes de ar-condicionado (Imagem: Unsplash / Chromatograph)

Como o Inmetro faz os testes?

De acordo com a instituição, os sistemas de avaliações são rigorosos. Eles calculam o “consumo de energia do condicionador de ar no ano inteiro e levam em consideração o hábito de consumo do brasileiro ao longo dos 12 meses”.

Além disso, um ponto de grande relevância para o ensaio é a eficiência energética para refrigeração de ar. Isto é, quanto de eletricidade o aparelho precisa para alcançar uma temperatura baixa razoável. Esse desempenho é fundamental na hora do Inmetro definir quais produtos merecem se destacar em sua lista.

No geral, são três testes de IDRS.

O primeiro foca no uso do ar-condicionado em potência média com muito calor. Por exemplo: 50% do compressor com 35º de temperatura externa.

Já o segundo traz a potência máxima com muito calor. Algo como 100% do compressor e 35º de temperatura externa.

Por fim, o terceiro teste usado é de potência média com calor médio. Dessa maneira, 50% do compressor com 29º de temperatura externa.

Ao finalizar cada uma das avaliações, os especialistas do Inmetro definem um selo de “A” até “F”, sendo “A” o mais econômico e “F” o que mais gasta energia.

Com informações: Inmetro.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ricardo Syozi

Ricardo Syozi

Ex-autor

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. No Tecnoblog, autor entre 2021 e 2023. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral.

Canal Exclusivo

Relacionados