“R.I.P.”: Popcorn Time é encerrado por baixa audiência

Conhecida como a “Netflix da Pirataria”, plataforma que oferecia filmes e séries gratuitamente foi desativada por desenvolvedores

Ana Marques
Por

O Popcorn Time, famoso por facilitar o acesso a filmes e séries piratas, chegou ao fim. O anúncio veio por meio de uma mensagem de “R.I.P.” (Rest in Peace) no site do serviço. Conhecida como a “Netflix da Pirataria”, a plataforma sofreu com uma grande queda em interesse ao longo dos últimos anos, enquanto alternativas ilegais e aplicativos de streaming legalizados se popularizavam ao redor do mundo.

Hoje, ao entrar no site do Popcorn Time, você é impactado pela mensagem de descanse em paz ao lado do logotipo da plataforma, um balde de pipoca — dessa vez, com expressão de morte.

Logo abaixo, há um gráfico de interesse que mostra a busca por “popcorn time” no Google Trends, de 2015 até janeiro de 2022, o que deixa claro que a plataforma vem sofrendo ano após ano com baixa popularidade.

O cenário, provavelmente, se traduz na queda de audiência — motivo pelo qual os desenvolvedores resolveram acabar com o serviço.

Segundo a Bloomberg, os responsáveis pelo Popcorn Time confirmaram o encerramento. Criada em 2014, a plataforma teve seu auge entre 2015 e 2016, quando uma onda de perseguições e restrições da Justiça começou a acompanhá-la.

Popcorn Time enfrentava disputas judiciais

Chega a ser irônico que a falta de popularidade seja o motivo para o fim do Popcorn Time. No início, a própria Netflix reconheceu o tamanho (e a ameaça) da plataforma ao declarar que o Popcorn Time era um de seus principais concorrentes.

O serviço enfrentou bravamente uma série de processos judiciais, o que levou à saída de seus fundadores e ao surgimento de novas versões do app. A perseguição aconteceu até 2021.

Em março do ano passado, o programa foi retirado do ar depois de uma acusação por pirataria liderada por um grupo de estúdios cinematográficos, mas depois voltou a funcionar. Já no segundo semestre, uma nova ação na Justiça pedia que um dos domínios do serviço fosse bloqueado e que seus responsáveis pagassem uma indenização de US$ 3,1 milhões.

Apesar do desligamento do Popcorn Time, pirataria ainda é um problema com o qual estúdios e empresas como a Netflix devem se preocupar. No Brasil e no mundo, a caça aos IPTVs piratas se intensifica à medida que esse tipo de serviço se expande para o público.

Com informações: The Independent e Bloomberg

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados