Samsung inicia produção em massa de memórias LPDDR3

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 1 semana

Smartphones e tablets mais rápidos estão chegando: a Samsung anunciou hoje que está começando a produção em massa de memórias do tipo LPDDR3. Os módulos são baseados no DDR3 que você provavelmente usa no seu PC, mas foram modificados para consumir menos energia e caber no espaço físico limitado dos aparelhos.

O primeiro módulo LPDDR3 a ser vendido pela Samsung será fabricado num processo de 30 nanômetros e terá capacidade de 2 GB. Assim, tablets e smartphones com essa quantidade de RAM serão cada vez mais comuns e devem melhorar o desempenho de sistemas com multitarefa real. A própria Samsung já anunciou o Galaxy Note 10.1 com 2 GB de RAM — ele será lançado oficialmente no Brasil no dia 27 de setembro, e nós estaremos no evento.

Segundo a Samsung, o LPDDR3 consegue transferir dados a 1.600 Mb/s por pino, uma velocidade aproximadamente 50% mais rápida que a atingida pelo LPDDR2. Considerando o conjunto de 2 GB, que é formado pela união de quatro chips de memória de 512 MB, a velocidade chega a 12,8 GB/s.

As memórias LPDDR3 serão utilizadas em gadgets com processadores mais poderosos, telas de alta definição e GPUs mais potentes. Elas permitem a execução em tempo real de vídeos em 1080p nos smartphones e tablets, sem necessidade de fazer download e sem perda de frames. Os primeiros dispositivos com a nova tecnologia devem chegar em 2013.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Relacionados