SpaceX lança seus primeiros satélites de banda larga para testar rede Starlink

Felipe Ventura
Por
• Atualizado há 2 meses

A SpaceX está acostumada a transportar carga até o espaço, mas seu lançamento mais recente teve algo de especial. Ela está dando os primeiros passos para cobrir a órbita da Terra com satélites de internet rápida e com baixa latência.

O foguete Falcon 9 foi lançado a partir da Base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia. Ele levou dois satélites experimentais de órbita não-geoestacionária, apelidados Tintin-A e Tintin-B (também conhecidos como Microsat-2A e Microsat-2B).

Eles serão usados na primeira fase de testes para criar a Starlink, uma rede global de internet via satélite. Segundo Elon Musk, o Tintin-A e o Tintin-B foram ativados e estão se comunicando com bases terrestres.

A SpaceX planeja ter 4.425 satélites até 2024, fornecendo conexões de até 1 Gb/s com latência de até 25 milissegundos. O custo previsto para essa rede de satélites é de US$ 10 bilhões.

First two Starlink demo satellites, called Tintin A & B, deployed and communicating to Earth stations pic.twitter.com/TfI53wHEtz

— Elon Musk (@elonmusk) February 22, 2018

Elon Musk planeja utilizá-la como uma fonte adicional de receita para a SpaceX, para financiar projetos como futuras missões a Marte.

O foguete Falcon 9 também levou o PAZ, um satélite de observação de radar com mais de 1 tonelada. Ele consegue gerar imagens de alta resolução da superfície da Terra, mesmo com nuvens cobrindo o solo; e pertence ao governo da Espanha.

Successful deployment of PAZ satellite to low-Earth orbit confirmed. pic.twitter.com/xOEuyaFrcZ

— SpaceX (@SpaceX) February 22, 2018

O lançamento estava previsto inicialmente para o último sábado (17), mas a SpaceX queria testar a carenagem que protegeria o satélite PAZ. Ele foi reagendado para a quarta-feira (21) mas, devido a ventos fortes, só ocorreu nesta quinta (22) de manhã.

Pela primeira vez, a SpaceX tentou recuperar uma das carenagens que protegia a carga levada no foguete. A peça custa cerca de US$ 6 milhões, então seria interessante reutilizá-la no futuro.

A carenagem se separa do foguete cerca de três minutos após o lançamento, e pode ser guiada pela SpaceX até uma base no oceano. No entanto, ela cai do espaço “a cerca de oito vezes a velocidade do som”, segundo Musk.

A peça despencou no oceano “a algumas centenas de metros” do navio que iria recuperá-la, e aparentemente não sofreu danos.

Com informações: Ars Technica.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Ventura

Felipe Ventura

Ex-editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. No Tecnoblog, atuou entre 2017 e 2023 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados