Twitter começa a desativar curtidas, retweets e respostas em posts com links do Substack

Plataforma de publicações independentes é usada por jornalistas e criadores de conteúdo; fundadores do Substack se pronunciam sobre o caso

Felipe Freitas
Por
Twitter
Twitter (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Nas últimas horas, as reações aos tweets que contêm links do Substack estão sendo desativadas. Usuários da rede social que tentarem retuitar, curtir ou responder as publicações que compartilham conteúdos da plataforma receberão o seguinte aviso: “Algumas ações neste tweet foram desativadas pelo Twitter”. A rede de Elon Musk não se pronunciou sobre o caso, ao contrário dos fundadores do Substack.

Para quem não conhece, o Substack é uma plataforma de publicação, na qual jornalistas e outros criadores de conteúdo podem postar textos, vídeos e podcasts. Fundada em 2017 por Chris Best, Hamish McKenzie e Jairaj Seth, o Substack permite que os criadores gerenciem assinaturas do conteúdo (cobrando 10% de comissão) — é como uma plataforma de publicação com Patreon/Apoia-se integrado.

Problemas entre Twitter e Substack apareceram na quinta

Ontem (6), o Substack publicou no Twitter que estava ciente de um problema ao incorporar (“fazer o embed”) tweets em novas publicações. A plataforma estava trabalhando para resolver o problema.

Nesta sexta-feira, surgiu o novo problema. Alguns tweets que compartilham links do Substack tiveram as funções de curtir, retuitar e responder desativadas — até mesmo o autor do tweet não pode dar um reply no post. Até o momento, só a opção de “Comentar o tweet”, popularmente conhecida como retuitar com comentário, está disponível.

Responder um dos tweets com link do Substack retorna esta mensagem (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
Responder um dos tweets com link do Substack retorna esta mensagem (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
Tentativa de retuitar um tweet com link do Substack mostra a função foi desativada pelo Twitter (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
Tentativa de retuitar um tweet com link do Substack mostra a função foi desativada pelo Twitter (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Importante ressaltar que alguns tweets compartilhando publicações do Substack ainda podem ser reagidos.

O Twitter não se pronunciou sobre o caso (e provavelmente nem irá fazer isso), mas em dezembro a rede social bloqueou o compartilhamento de links de outras redes sociais. O “banimento” foi suspenso após a reação negativa da comunidade. Antes de encerrar o bloqueio, Musk, disse que não haveria mais propaganda gratuita de concorrentes no Twitter.

Já os fundadores do Substack deram uma declaração sobre o assunto para o The Verge.

Nós estamos desapontados que o Twitter escolheu restringir a capacidade dos escritores compartilharem o seu trabalho. Escritores merecem a liberadade de compartilhar links para o Substack e qualquer outro lugar.

Essa mudança abrupta é um lembrete de porque autores merecem um modelo [de serviço] que os coloquem no comando, que recompense o bom trabalho com dinheiro e proteja a imprensa livre e a liberdade de expressão.

Seus sustentos não devem ser atrelados às plataformas das quais eles não são donos da relação com a sua audiência e onde as regras mudem a bel-prazer.

Não há nenhuma indicação de que a restrição esteja relacionada às mudanças da API do Twitter. Ainda nesta semana, o Substack divulgou uma atualização na qual autores poderão recomendar conteúdos da plataforma em um feed muito parecido com o Twitter.

Todavia, o propósito está longe de roubar o espaço da rede social do passarinho. O Substack informa que a ideia é converter os leitores em assinantes dos criadores de conteúdo. Logo, um criador famoso compartilhando uma Nota (nome da ferramenta) de outro autor ajudaria na conversão.

Com informações: The Verge e Mashable

Relacionados