Musk acusa Substack de tentar roubar dados para desenvolver “cópia” do Twitter

CEO da plataforma se defendeu de acusações no Substack Notes, ferramenta que Musk chamou de clone do Twitter; rede social impediu reações em tweets com links do Substack

Felipe Freitas
Por
Elon Musk com boca aberta, de onde saem pássaros do Twitter
Elon Musk se pronunciou sobre "treta" com Substack (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Elon Musk, dono do Twitter, se pronunciou sobre os “bloqueios” em tweets que contam com links para o Substack. Musk acusou a plataforma de tentar baixar dados do Twitter para criar o Substack Notes, uma ferramenta de feed que se assemelha à rede social do passarinho. A diferença é que o Notes será voltada para o conteúdo publicado no Substack.

O caso é uma continuação do “ataque” do Twitter contra a plataforma de newsletter. Na semana passada, tweets com links do Substack tiveram as reações (curtir, responder e retweet) desativadas. Alguns dias antes dos problemas com as reações, o Substack divulgou a criação do Substack Notes.

No fim de semana, os usuários do Twitter que clicavam em links do Substack receberam o aviso de que o link não era seguro. Nos testes feitos pelo Tecnoblog nesta segunda-feira, a mensagem parece ter sumido. De acordo com Elon Musk, a notificação foi aplicada pelo fato do Substack tentar baixar dados do Twitter.

Todavia, o CEO não publicou nenhum documento provando a sua fala. Chris Best, um dos fundadores do Substack, se defendeu afirmando que a plataforma sempre usou a API do Twitter de acordo com as diretrizes e com foco em ajudar o trabalho dos autores do site. Best ainda respondeu que, se houvesse algum problema com o uso da API, eles estariam abertos para conversar.

Outra situação envolvendo a “briga” entre os dois sites envolve a busca por “Substack” no Twitter. Sempre que um usuário pesquisa o termo “Substack”, ele marca os resultados de “newsletter”.

Substack e Twitter
Digitar por “Substack” na pesquisa traz os resultados de “newsletter” (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Musk acusa “antigo aliado” de trabalhar para o Substack

Matt Taibbi, jornalista americano de política, publicou que os links do Substack também foram bloqueados no Twitter. Elon Musk afirmou que o jornalista estava mentindo e que ele “é ou era um funcionário do Substack”. Ironicamente, Taibbi foi um dos repórteres escolhidos “a dedo” por Musk para publicar os materiais do Twitter Files — série de temas que a antiga gestão repreendeu por denúncias de fake news, mas cuja liberação também foi “escolhida a dedo”.

Chris Best, em resposta a Elon Musk, informou que Matt Taibbi nunca foi empregado pelo Substack. Taibbi é apenas um usuário da plataforma e é pago pelos assinantes da sua newsletter.

Mas o que é o Substack?

Substack Notes, ferramenta anunciada pela plataforma que é similar ao Twitter (Imagem: Divulgação/Substack)
Substack Notes, ferramenta anunciada pela plataforma que é similar ao Twitter (Imagem: Divulgação/Substack)

O Substack é uma plataforma para autores e criadores de conteúdo enviarem newsletter para assinantes. “Unindo os conceitos” do Mailchimp, Patreon e Apoia-se, os usuários da plataforma podem gerenciar sua newsletter e criar serviços de assinaturas, entregando conteúdos exclusivos para os pagantes.

Desde a sua fundação, a plataforma expandiu os formatos disponíveis. Além da tradicional newsletter de “texto corrido”, os criadores podem publicar vídeos e podcast. No dia 5 de abril, o Substack divulgou que lançará em breve o Substack Notes, recurso similar ao Twitter, mas focado no compartilhamento e recomendações de conteúdos da própria plataforma. Existe até um “restack” nos textos, recurso equivalente ao “retweet”.

Mas se você está buscando um “substituto do Twitter”, sinto muito. O Substack Notes não será nada disso. Exceto se você é um criador de conteúdo no Substack.

Com informações: The Verge

Relacionados