WhatsApp dobra capacidade de servidores por pico de chamadas de voz

Uso de chamadas de voz no WhatsApp disparou por conta do coronavírus

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
ícone do aplicativo do WhatsApp no iPhone

Em conferência realizada na quarta-feira (18) para explicar os planos do Facebook no combate ao novo coronavírus (Covid-19), Mark Zuckerberg falou rapidamente sobre medidas adotadas em outro serviço da companhia: o WhatsApp teve a capacidade de seus servidores dobrada recentemente.

O motivo é um tanto óbvio: o atual cenário de quarentena e isolamento social tem feito usuários no mundo todo se comunicarem com mais frequência via serviços de mensagens instantâneas. O WhatsApp, por ser o mensageiro mais popular, sentiu o impacto rapidamente.

Na Itália e outros países com uma quantidade grande de infectados, o número de chamadas de voz no WhatsApp e Facebook Messenger mais do que dobrou nos últimos dias, situação que, obviamente, elevou o fluxo de dados nos servidores desses serviços. A demanda tem sido maior que a de Ano Novo, a única época do ano em que o uso do WhatsApp praticamente dobra.

Não demorou para o Facebook aumentar a capacidade de processamento desses serviços para evitar instabilidades ou interrupções. Zuckerberg explicou também que a companhia continuará expandindo essa infraestrutura, se necessário: muitos países não enfrentam um quadro tão grave quanto o da Itália, por exemplo, mas podem chegar lá em breve.

É o caso, presumivelmente, do Brasil. O número de casos confirmados de Covid-19 vem aumentando de modo alarmante no país, mas, em muitas cidades, as ações de prevenção ao coronavírus ainda são tímidas e devem aumentar apenas no decorrer dos próximos dias.

Facebook Mark Zuckerberg

A parte negativa dessa história é que o WhatsApp também vem sendo usado para propagação de informações falsas sobre o coronavírus. Com relação a esse problema, Zuckerberg comentou que uma série de medidas preventivas já foi adotada. Entre elas está a limitação de encaminhamento de mensagens via WhatsApp, em vigor desde o início de 2019.

Nesse sentido, vale lembrar que, recentemente, o WhatsApp doou US$ 1 milhão para um grupo internacional de checagem de fatos: a organização tem, desde janeiro, uma divisão focada apenas no combate a notícias falsas relacionadas ao coronavírus.

Com informações: Mashable.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados