Windows 10 terá mais três anos de atualizações (desde que você pague)

Microsoft anunciou programa de extensão de atualizações para o Windows 10; empresa forneceu serviço idêntico para o Windows 7

Felipe Freitas
Por
• Atualizado há 5 meses
Logotipo do Windows sobre logotipos da Microsoft
Microsoft anunciou que Windows terá programa de extensão de updates (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Microsoft divulgou nesta terça-feira (5) que a Extensão de Atualizações de Segurança (ESU, na sigla em inglês) estará disponível para o Windows 10. O ESU é um programa pago da empresa para que usuários do sistema operacional recebam atualizações de segurança por mais três anos. Originalmente, o Windows 10 teria o seu suporte descontinuado em 14 de outubro de 2025.

Ao assinar o ESU – vendido com uma assinatura anual –, o usuário receberá mensalmente atualizações de segurança para o seu computador com Windows 10. A Microsoft ainda não revelou o preço dessa assinatura e nem quando começará a vendê-la. Porém, como fez com o Windows 7, o valor do ESU deve subir anualmente — estratégia para forçar o usuário a migrar para o Windows 11

Por falar no querido Windows 7, em janeiro deste ano a Microsoft encerrou a Extensão de Atualizações de Segurança do sistema operacional. O ESU do Windows 7 (também funcionava para o Windows 8, mas ninguém quer lembrar dele) já adianta como será o funcionamento do programa no Windows 10.

Windows 11
Estratégia da Microsoft para forçar migração para o Windows 11 é aumentar anualmente o preço do ESU (Imagem: Guilherme Reis/Tecnoblog)

Extensão de Atualizações de Segurança no Windows 10

O programa de Extensão de Atualizações de Segurança é focado em empresas e outros usos comerciais. Por exemplo, uma escola ou um pequeno negócio pode precisar do ESU para seguir rodando algum programa compatível apenas com o Windows 10. Nesse meio tempo, a empresa pode preparar uma atualização deste software.

Outro motivo para que essas empresas optem pela Extensão de Atualizações de Segurança é não ter um PC compatível com as especificações do Windows 11 — impossível não citar o TPM 2.0 nesse caso. Sabe o mercadinho da esquina da sua rua? Ele pode ter um programa PDV antigo e até capaz de rodar no Windows 11, mas o PC pode ser de 2015 ou anterior.

Com informações: Ars Techinica e Microsoft

Receba mais sobre Windows 10 na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Relacionados