Intel aposta no Aurora para reinar em supercomputadores, mas AMD é obstáculo

Supercomputador Aurora deve alcançar 2 quintilhões de operações por segundo em 2024, mas ainda não supera o Frontier, com tecnologia AMD

Emerson Alecrim
Por
Supercomputador Aurora (imagem: divulgação/Intel)
Supercomputador Aurora (imagem: divulgação/Intel)

A 62ª edição do TOP500, lista dos supercomputadores mais rápidos do mundo, é marcante para a Intel. A companhia viu o supercomputador Aurora, baseado em CPUs e GPUs da companhia, aparecer na segunda posição do ranking logo em sua estreia. A celebração só não é maior porque o Frontier, com chips AMD, manteve a liderança.

O Aurora foi projetado para alcançar 2 exaflops de desempenho. Isso quer dizer que, quando (e se) essa marca for alcançada, o supercomputador será capaz de realizar 2 quintilhões de operações por segundo (ou 2.000.000.000.000.000.000 de operações por segundo).

Essa capacidade é quase o dobro do que o Frontier alcançou no ranking mais recente: 1.194 petaflops. Se é assim, por que o Aurora não ficou na primeira posição? O supercomputador teve sua instalação finalizada em junho, mas o seu desempenho no TOP500 ficou em 585,34 petaflops. Ele ainda não é 100% operacional.

O projeto do Aurora atrasou várias vezes

O Aurora foi anunciado em 2015 pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE), com a sua construção estando a cargo da Intel e a HPE Cray. Originalmente, o supercomputador deveria alcançar 180 petaflops e entrar em operação em 2018.

Em 2017, a Intel revelou que o projeto seria adiado para 2021. Em compensação, o Aurora passaria a ter capacidade superior a 1 exaflop. Porém, em outubro de 2020, o DOE informou que o projeto seria adiado novamente. Em outubro de 2021, a Intel anunciou que o Aurora ultrapassaria a marca de 2 exaflops de capacidade, o que levou a um novo atraso.

Um obstáculo chamado AMD

Após todos os atrasos, o Aurora teve a sua instalação concluída em junho de 2023. Mas, como já ficou claro, ele ainda não é capaz de cumprir a promessa dos 2 exaflops. Intel e HPE Cray ainda trabalham para torná-lo totalmente operacional, o que só deve acontecer em 2024.

Se essa previsão se confirmar, o Aurora estará apto a liderar o TOP500. Mas isso não é garantido, pois a AMD não está parada. Atualmente, a rival da Intel trabalha no supercomputador El Capitan, que também promete superar a marca dos 2 exaflops e entrar em operação justamente no próximo ano.

Supercomputador Frontier (imagem: divulgação/ORNL)
Supercomputador Frontier (imagem: divulgação/ORNL)

Números grandes, muito grandes

O líder Frontier é um supercomputador equipado com 9.472 CPUs AMD Epyc 7453s e 37.888 GPUs Radeon Instinct MI250X. Ele ocupa 74 racks, com cada um deles abrigando 64 servidores blades.

Já o Aurora é supercomputador composto por 166 racks com 21.248 CPUs Xeon Max Series e 63.744 GPUs Data Center Max Series, de acordo com a Intel. O supercomputador conta ainda com quase 20 petabytes de memória RAM.

Com especificações tão generosas, não surpreende que os dois supercomputadores se destaquem no ranking. Mas eles não são os únicos a impressionar, como mostra as dez primeiras posições da 62ª edição do TOP500:

PosiçãoSupercomputadorTecnologiaCapacidadePaís
1FrontierAMD + HPE Cray1.194 pflopsEUA
2AuroraIntel + HPE Cray585,34 pflopsEUA
3EagleMicrosoft + Intel + Nvidia561,2 pflopsEUA
4FugakuFujitsu442,01 pflopsJapão
5LumiAMD + HPE Cray379,7 pflopsFinlândia
6LeonardoBullSequana + Intel + Nvidia238,7 pflopsItália
7SummitIBM + Nvidia148,6 pflopsEUA
8MareNostrum 5 ACCBullSequana + Intel + Nvidia138,2 pflopsEspanha
9Eos Nvidia DGX SuperPODNvidia + Intel121,4 pflopsEUA
10SierraIBM + Nvidia94,64 pflopsEUA

Relacionados