Intel tenta, mas supercomputador com AMD ainda é o mais rápido do mundo

Com tecnologia AMD, supercomputador Frontier lidera novo ranking TOP500; Intel fica em segundo lugar com o Aurora, mas ganha em IA

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 1 semana
Supercomputador Frontier (imagem: divulgação/ORNL)
Supercomputador Frontier (imagem: divulgação/ORNL)

Com tecnologia AMD e sistema operacional Linux, o Frontier liderou a lista TOP500 dos supercomputadores mais rápidos do mundo pela quinta vez seguida. A Intel tentou assumir o ranking com o Aurora, mas esse supercomputador ficou em segundo lugar, embora tenha sido o mais rápido em inteligência artificial (IA).

O fenômeno Frontier

O Frontier é mantido pelo Oak Ridge National Laboratory (ORNL), nos Estados Unidos. Ele assumiu a liderança da 63ª edição do TOP500 ao registrar 1,2 exaflop (ou 1.206 petaflops) no benchmark High Performance Linpack (HPL).

Isso significa que o Frontier é capaz de realizar mais de 1,2 quintilhão de operações por segundo. Talvez fique mais fácil entender esse número olhando para a sua a quantidade de zeros: 1.200.000.000.000.000.000.

Para alcançar esse feito, a ORNL equipou o Frontier com 8.699.904 núcleos combinados de CPU e GPU. O supercomputador é baseado em processadores AMD Epyc de 3ª geração e conta ainda com aceleradores gráficos AMD Instinct MI250X.

O sistema operacional é o HPE Cray OS, que é próprio para computação de alto desempenho e tem como base o SUSE Enterprise Linux.

Todo esse conjunto fez o Frontier superar a marca de 1 exaflop de desempenho em 2022.

Parte da estrutura do supercomputador Frontier (imagem: divulgação/ORNL)
Parte da estrutura do supercomputador Frontier (imagem: divulgação/ORNL)

Supercomputador com Intel vence em IA

O Aurora é um supercomputador com 9.264.128 núcleos combinados de CPU e GPU. Ele tem como base processadores Intel Xeon Max 9470 52C de 2,4GHz. O sistema operacional é o SUSE Linux Enterprise.

Havia expectativa de que o Aurora superaria o Frontier nesta edição do TOP500, mas ele ficou no segundo lugar da lista. De acordo com o Tom’s Hardware, o Argonne National Laboratory (ANL) vem enfrentando problemas de hardware, refrigeração e rede na implementação do Aurora.

O ANL é a organização responsável pelo supercomputador. Essas dificuldades e o fato de o Aurora ainda não estar totalmente operacional explicam a segunda posição no ranking.

Embora a Intel destaque que o Aurora alcança quase 2 exaflops de desempenho, superando o Frontier, esse número corresponde a uma medida em Rpeak, que representa o valor máximo teórico.

O que mais interessa no TOP500 é a pontuação Rmax, que é baseada no já mencionado benchmark HPL e representa um desempenho sustentado, mais próximo da realidade. Em HPL, o Aurora registrou 1,01 exaflop (ou 1.012 petaflops).

Apesar disso, o Aurora ficou em primeiro lugar no benchmark de precisão mista HPL-MxP, com 10,6 exaflops. Essa é uma medida mais apropriada para avaliar o desempenho do supercomputador com cargas de trabalho de inteligência artificial.

Se levarmos em conta que a demanda por aplicações de IA está crescendo exponencialmente, faz sentido a Intel celebrar essa marca.

Estrutura do supercomputador Aurora (imagem: divulgação/ANL)
Estrutura do supercomputador Aurora (imagem: divulgação/ANL)

Os supercomputadores mais rápidos do ranking

Os dez supercomputadores mais rápidos da 63ª edição do TOP500 são os seguintes:

SupercomputadorPetaflopsBase tecnológicaPaís
1. Frontier1.206HPE + AMDEstados Unidos
2. Aurora1.012IntelEstados Unidos
3. Eagle561Nvidia + Microsof AzureEstados Unidos
4. Fugaku442FujitsuJapão
5. Lumi380HPE + AMDFinlândia
6. Alps270HPE + NvidiaSuíça
7. Leonardo241Eviden + NvidiaItália
8. MareNostrum 5 ACC175Eviden + NvidiaEspanha
9. Summit149IBM + NvidiaEstados Unidos
10. Nvidia DGX SuperPOD121Nvidia + IntelEstados Unidos

Receba mais sobre Intel na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados