YouTube libera modo PiP para mais usuários de iPhone e admite demora 🐌

“Nós reconhecemos que foi uma liberação lenta para uma função muito desejada”, diz YouTube; picture-in-picture estava em testes desde 2021

Giovanni Santa Rosa
Por
YouTube

Demorou, mas parece que finalmente vai chegar. O YouTube anunciou que o picture-in-picture estará disponível para todos os usuários do YouTube Premium no iOS. O modo permite ver vídeos em uma janelinha suspensa, enquanto você o uso de outros apps. Até então, o recurso estava em testes para alguns usuários — e a própria empresa confessa que isso levou mais tempo do que deveria.

A novidade foi publicada em um post na comunidade. “O picture-in-picture (PiP) está sendo distribuído para iPhones e iPads nos próximos dias”, escreve o funcionário da empresa.

“Nós reconhecemos que foi uma liberação lenta para uma função muito desejada”, diz a publicação. “Queremos agradecer a todos que enviaram feedback durante os testes e aguardaram pacientemente por este momento.”

Usar o PiP é bem simples. Primeiro, coloque um vídeo para tocar no YouTube. Depois, saia do app. Uma janela suspensa aparecerá na tela. É possível redimensioná-la, movê-la e até mesmo ocultá-la, empurrando para uma das laterais.

O recurso era aguardado desde o iOS 14, quando iPhones e iPads passaram a ter suporte ao picture-in-picture. Os testes começaram há mais de um ano. Quem recebeu a ferramenta precisava ativá-la nas configurações do app.

Alguns usuários até estranharam a notícia do lançamento para todo mundo, por ter acesso há muito tempo. Outros receberam a função, mas ela desapareceu depois de um tempo, enquanto alguns continuam sem o recurso até agora.

Um jeito de contornar essa limitação era acessar o YouTube pelo Safari. Usando o navegador, era possível ativar o PiP, sair do site e continuar assistindo ao vídeo.

Já no Android, o picture-in-picture é uma realidade desde 2018.

Só para assinantes

No Brasil, é necessário assinar o YouTube Premium para usar o picture-in-picture. O pacote custa R$ 20,90 por mês e tem como principal atrativo remover propagandas do site.

Além disso, ele inclui o serviço de streaming musical YouTube Music, downloads de vídeos para reprodução offline e conteúdos exclusivos do YouTube Originals.

Nos EUA, o PiP é liberado para todos os usuários, mas não funciona em conteúdos musicais.

Com informações: The Verge, MacMagazine.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados