RIAA

Sobre

RIAA (sigla para Recording Industry Association of America) é uma organização que representa a indústria fonográfica nos Estados Unidos. Tem como objetivo proteger os direitos de propriedade intelectual dos artistas, fazer pesquisas sobre a indústria da música e monitorar e analisar leis. Ficou conhecida na internet após processar em 2003 usuários do Kazaa, popular software de compartilhamento de arquivos, especialmente músicas. Em outubro de 2010 venceu um processo contra o software de P2P LimeWire. Três dias depois o site da organização foi tirado do ar em protesto.

Artigos de RIAA

Sites para baixar vídeos do YouTube estão saindo do ar

às 18h26 por

Uma das principais ameaças para a indústria fonográfica são os sites que permitem baixar músicas do YouTube. Graças a eles, as gravadoras deixam de receber a receita que viria de serviços de streaming e da venda de CDs. Como baixar vídeos do YouTube (sem usar sites) Por esse motivo, as empresas realizam uma forte pressão judicial, que faz muitos sites encerrarem suas atividades voluntariamente. Nos últimos dias, três serviços decidiram seguir esse caminho: Video-download.co, Easy

Site que extrai músicas do YouTube fecha acordo com gravadoras para sair do ar

às 16h49 por

O YouTube-MP3 é um dos sites mais visitados do mundo, e o Brasil é uma das principais origens de seu tráfego. Ele permite extrair áudios do YouTube para arquivos MP3, útil para obter músicas. O site estava na mira das gravadoras desde o ano passado, quando foi processado pela RIAA. Ele é acusado de violar direitos autorais, e de burlar o mecanismo de proteção contra cópia do YouTube, violando o DMCA — lei que regula

A RIAA quer mais uma "aliada" no combate à pirataria: a BitTorrent

às 16h51 por

"Mantenha seus amigos próximos, mas seus inimigos mais próximos ainda". Essa emblemática frase foi a primeira coisa que veio à minha mente depois que eu li a carta que Brad Buckles, vice-presidente da divisão antipirataria da RIAA, enviou a Eric Klinker, CEO da BitTorrent Inc. O documento é um convite — um tanto provocati

Comissão Europeia: fechar sites de pirataria não funciona

às 19h40 por

Site pirata bom é site pirata "morto". Essa é a linha de pensamento que associações como RIAA e MPAA defendem. Mas será que uma medida tão extrema resolve o problema da pirataria? A Comissão Europeia fez um estudo para descobrir. A resposta é um sonoro "não". A gente já sabia. O Capitão Óbvio também. Mas levantamentos como esse ajudam autoridades e a própria indústria a compreender melhor a dinâmica do problema e, eventualmente, a buscar soluções razoáveis para todo mundo. Para chegar à conclusão, pesquisadore

Indústria da música vence mais uma: o Grooveshark fechou as portas

às 14h25 por

Foram quase dez anos de atividade, muitos deles resistindo bravamente aos ataques de gravadoras e distribuidoras. Mas a indústria fonográfica finalmente venceu a batalha: o Grooveshark, um dos serviços mais populares de compartilhamento e streaming de música, fechou suas portas para nunca mais abri-las. A decisão faz parte de um acordo de "rendição" firmado com gravadoras, entre as quais, Universal Music, Sony Music e Warner Music. A luta entre ambos os lados começou há seis anos, quando as gravadoras acionaram judicialmente a Escape Media, empresa responsável pelo Grooveshark, so

Indústria fonográfica quer que ICANN combata domínios de sites de pirataria

às 14h23 por

A indústria fonográfica mantém o que parece ser uma eterna guerra contra a pirataria na internet. Na batalha mais recente, o "alvo" é a ICANN: a RIAA, associação que reúne as maiores gravadoras dos Estados Unidos, quer que a entidade seja mais rigorosa contra domínios que são usados para distribuição de conteúdo ilegal. O foco sobre a ICANN tem uma única razão: a entidade é responsável pela distribuição de endereços IP e nomes de domínio da internet. Na visão da RIAA, empresas de registro de domínios não tomam as medidas necessárias para combater a pirataria, por iss

Gravadoras reclamam de pirataria nos resultados de busca do Google (de novo)

às 14h28 por

Sim, a RIAA voltou a fazer o tradicional alarde relacionado à pirataria em resultados de busca nas páginas do Google. O grupo que reúne as maiores gravadores musicais americanas diz – sente só o nível – que os esforços do buscador para reduzir a quantidade de links com material de terceiros na rede não estão satisfatórios o suficiente e ainda tem muito conteúdo pirata no índice do buscador. Eles vão além: reclamam que lojas virtuais de música não aparecem com o devido destaque nas páginas de pesquisa. "O que quer que o Google tenha feito

Mulher perde nos tribunais e deve pagar US$ 222 mil a gravadoras

às 19h48 por

Uma das mais célebres disputas judiciais entre cidadãos comuns e gravadoras por causa de downloads ilegais teve mais um capítulo hoje. as notícias não são exatamente boas. Um colegiado formado por três juízes na Corte de Apelações dos EUA determinou que a navegante Jammie Thomas-Rasset é culpada pelo crime de compartilhar músicas protegidas por direitos autorais na rede. Ela deve pagar indenização de US$ 222 mil (R$ 447 mil) à RIAA.

Homem é condenado a pagar US$ 675 mil por ter baixado 30 músicas

às 13h59 por

Um cidadão americano foi condenado pela corte federal de Massachussets a pagar US$ 675 mil de multa. Motivo? Ele baixou ilegalmente 30 músicas de um software de compartilhamento de arquivos. Segundo as gravadoras, o usuário já havia sido alertado diversas vezes, inclusive por seus familiares, mas continuou fazendo downloads de materais protegidos por direitos autorais por mais alguns anos e tentou apagar as evidências do crime. Fazendo as contas, dá um total de US$ 22,5 mil de multa para cada música baixada. Parece muito, mas o juíz acredita que o v

Vendas de músicas digitais superaram mídias físicas em 2011

às 10h25 por

A querida (só que ao contrário) RIAA anunciou segunda-feira que, depois de registrar consecutivas perdas em seus balanços financeiros por quase uma década, a indústria fonográfica fechou 2011 no azul. Pela primeira vez desde 2004 o setor registrou um aumento real na venda de músicas, encerrando o ano com um notável crescimento de 0,2%. De acordo com o órgão, no ano passado as vendas de músicas chegaram a US$ 7 bilhões, e metade desta quantia veio de meios digitais. As vendas de discos, singles e assinaturas de serviços como Spot

Em retaliação Anonymous tira do ar sites do FBI, Casa Branca, RIAA e outros

às 00h02 por

O grupo Anonymous voltou à ativa e entrou em ação de forma bruta: os ativistas derrubaram diversos sites ligado ao combate contra à pirataria. Nessa lista, se inclui o site do FBI, do DoJ (Departamento de Justiça Americano), da Casa Branca, da MPAA, da Universal Music e da RIAA. Foi o maior ataque já visto: em 20 minutos foram 10 sites derrubados, de acordo com o grupo.O anúncio foi feito através do

Carregar mais posts