Início » Computador » Tudo o que você precisa saber sobre SSDs

Tudo o que você precisa saber sobre SSDs

Como funciona? Quais as vantagens? Quanto custa? Vale a pena?

Por
5 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Nos últimos anos, a capacidade de armazenamento dos HDs aumentou bastante, mas a velocidade não sofreu avanços significativos. A limitação é do próprio conceito de disco rígido, que utiliza cabeças de leitura e gravação para fazer operações em discos magnéticos que normalmente giram a uma velocidade de 7.200 RPM. Essas partes móveis não existem numa recente solução de armazenamento, o SSD (sigla para solid-state drive ou disco de estado sólido).

Muito mais rápido que os velhos discos rígidos, o SSD está ficando cada vez mais atraente. O preço por gigabyte está diminuindo, as capacidades de armazenamento estão aumentando e as velocidades de transferência e os tempos de acesso ficaram ainda mais rápidos com a adoção de novas tecnologias.

Como funciona um SSD? Quanto custa no Brasil? A vida útil é muito curta? Vale a pena comprar um SSD? Para descobrir a resposta dessas e outras perguntas, leia os próximos parágrafos.

Como funciona?

Os SSDs mais comuns no mercado possuem dois componentes fundamentais: a memória flash e o controlador.

A memória flash guarda todos os arquivos e, diferente dos discos magnéticos dos HDs, não necessita de partes móveis ou motores para funcionar. Todas as operações são feitas eletricamente, tornando as operações de leitura e escrita mais rápidas, além de deixar o drive mais silencioso e resistente a vibrações e quedas.

O controlador gerencia a troca de dados entre o computador e a memória flash. Formado por um processador que executa diversas tarefas no drive, é um dos principais responsáveis pela performance de um SSD. O chip é capaz de gerenciar o cache de leitura e escrita de arquivos, criptografar informações, mapear partes defeituosas do SSD para evitar corrompimento de dados e garantir uma vida útil maior da memória flash.

Um controlador SandForce e oito chips de memória flash dentro do OCZ Vertex 3

O avanço tecnológico nos controladores fez com que a velocidade dos SSDs aumentasse rapidamente. Enquanto os primeiros SSDs de uso doméstico, como o Intel X25-M, atingiam velocidades de 250 MB/s para leitura e 70 MB/s para escrita, os mais recentes chegam a 555 MB/s de leitura e 520 MB/s de escrita, como o Corsair Force GT, com controlador SandForce SF-2281. A quantidade máxima de operações de escrita por segundo cresceu absurdamente, sendo 8,6 mil para o Intel X25-M de 160 GB e 85 mil para o Corsair Force GT de 180 GB.

A SandForce não revela o segredo por trás do seu controlador, mas grande parte de toda essa velocidade é resultado de uma técnica de compressão de dados. Como é necessário manipular menos dados na memória flash, uma operação de gravação de arquivo acaba se tornando mais rápida em muitos casos.

Assim como os HDs, os SSDs também possuem divisões internas. Um disco rígido possui duas divisões fundamentais: setores (menor parte física) e clusters (menor parte reconhecida pelo sistema operacional, formada por vários setores). Um SSD, por sua vez, possui páginas (menor parte física) e blocos (um agrupamento de páginas).

Vantagens e desvantagens em relação ao HD

A ausência de partes móveis, principal característica de um SSD, traz diversas vantagens. Como não é necessário mover cabeças para lá e para cá, muito menos deixar um disco girando a uma velocidade altíssima, um SSD é silencioso, possui taxas de transferência maiores, tempos de acesso menores e não sofre com usuários desastrados que derrubam coisas no chão.

As taxas de transferência dos SSDs são realmente impressionantes se comparadas com as dos HDs voltados ao uso doméstico, que geralmente ficam entre 60 MB/s e 100 MB/s. Mas é no tempo de acesso que ele brilha: enquanto um HD comum demora 10 ou 15 milissegundos para acessar um arquivo aleatório, um SSD comum faz a tarefa em 0,1 ou 0,2 milissegundo. Isso, além de resultar em um tempo de boot menor, agiliza todas as operações do sistema. Eu costumo dizer que, hoje, o maior responsável pela lentidão nos PCs é o disco rígido.

A Samsung produziu um vídeo bem legal para comparar o desempenho entre um HD e um SSD. Monitoraram o tempo de inicialização do Windows, a abertura de um arquivo PDF de 25 MB, a capacidade de suportar altas vibrações e o consumo de energia em um notebook. Confira abaixo:


(Vídeo do YouTube)

A grande desvantagem dos SSDs ainda está no preço: o custo por gigabyte ainda é bem alto em comparação com os HDs, especialmente no Brasil. Pesquisando rapidamente, é possível encontrar um SSD de 120 GB por R$ 519, resultando em um custo por GB de R$ 4,32. Um HD de 500 GB pode ser encontrado por R$ 249, apenas R$ 0,50 por GB.

Memória síncrona e assíncrona

Corsair Force GT, um SSD com memória síncrona

A memória flash de um SSD pode trabalhar de dois modos: síncrona e assíncrona. Essa informação geralmente está disponível na ficha de especificações técnicas do produto, mas os usuários não dão muita importância a isso porque não há muito conteúdo sobre o assunto.

A memória síncrona é mais cara e oferece melhor desempenho para manipular dados que não podem ser comprimidos, como músicas, fotos e vídeos. Já a memória assíncrona é menos cara e não possui uma performance tão boa para gravar dados que não podem ser comprimidos.

Num teste com o CrystalDiskMark feito pelo The SSD Review, o Corsair Force GT (memória síncrona) conseguiu 504,4 MB/s de leitura de dados não comprimidos, enquanto que o Corsair Force 3 (memória assíncrona), obteve apenas 212,6 MB/s. O primeiro certamente é uma opção melhor para pessoas que trabalham com arquivos de áudio e vídeo.

Apesar de o usuário comum não perceber diferença significativa entre um SSD com memória síncrona e outro com memória assíncrona, como a diferença de preço não é tão alta, na maioria dos casos vale juntar um dinheiro a mais e comprar um SSD com memória síncrona, como o OCZ Vertex 3 e o Corsair Force GT.

Preços dos SSDs

Os preços dos SSDs no Brasil ainda não estão uma pechincha e são bastante altos principalmente em comparação com os valores adotados em lojas norte-americanas. Fizemos uma pequena pesquisa de preços para comparar alguns dos principais SSDs do mercado:

OCZ Agility 3 (120 GB)

  • Velocidade: 525 MB/s (leitura) e 500 MB/s (escrita)
  • Máximo de operações de escrita de 4 KB por segundo: 85.000
  • Preço no Brasil: R$ 519,00
  • Preço nos EUA: US$ 93,90

OCZ Vertex 3 (120 GB)

  • Velocidade: 550 MB/s (leitura) e 500 MB/s (escrita)
  • Máximo de operações de escrita de 4 KB por segundo: 85.000
  • Preço no Brasil: R$ 599,00
  • Preço nos EUA: US$ 93,49

OCZ Vertex 4 (128 GB)

  • Velocidade: 560 MB/s (leitura) e 510 MB/s (escrita)
  • Máximo de operações de escrita de 4 KB por segundo: 90.000
  • Preço no Brasil: R$ 639,90
  • Preço nos EUA: US$ 114,99

Corsair Force 3 (120 GB)

  • Velocidade: 550 MB/s (leitura) e 510 MB/s (escrita)
  • Máximo de operações de escrita de 4 KB por segundo: 85.000
  • Preço no Brasil: R$ 499,90
  • Preço nos EUA: US$ 116,99

Corsair Force GT (120 GB)

  • Velocidade: 555 MB/s (leitura) e 520 MB/s (escrita)
  • Máximo de operações de escrita de 4 KB por segundo: 85.000
  • Preço no Brasil: R$ 535,00
  • Preço nos EUA: US$ 125,49

Intel 320 Series (120 GB)

  • Velocidade: 270 MB/s (leitura) e 130 MB/s (escrita)
  • Máximo de operações de escrita de 4 KB por segundo: 14.000
  • Preço no Brasil: R$ 716,90
  • Preço nos EUA: US$ 149,99

Intel 520 Series (120 GB)

  • Velocidade: 550 MB/s (leitura) e 500 MB/s (escrita)
  • Máximo de operações de escrita de 4 KB por segundo: 80.000
  • Preço no Brasil: R$ 822,90
  • Preço nos EUA: US$ 128,50

Kingston SSDNow V+200 (120 GB)

  • Velocidade: 535 MB/s (leitura) e 480 MB/s (escrita)
  • Máximo de operações de escrita de 4 KB por segundo: 55.000
  • Preço no Brasil: R$ 521,90
  • Preço nos EUA: US$ 91,99

Eu, pessoalmente, gosto muito do OCZ Vertex 3 e do Corsair Force GT, drives que oferecem um excelente desempenho sem cobrar preços absurdos como fazem alguns fabricantes.

Perguntas frequentes

A vida útil de um SSD é muito curta?

Por ser baseado em memória flash, assim como pendrives e cartões de memória, os SSDs possuem vida útil limitada pela quantidade de ciclos de escrita. E, curiosamente, com a miniaturização do processo de fabricação das memórias flash, essa quantidade está diminuindo. Convencionou-se que a memória flash dos SSDs suporta 10 mil ciclos de escrita, mas os drives mais novos possuem vida útil estimada em 3 mil ou 5 mil ciclos, segundo o AnandTech.

Mas não há motivo para pânico: você não vai detonar seu SSD novinho em folha em um ou dois anos de uso. O controlador do SSD possui uma tecnologia chamada wear leveling, que pode ser traduzida como “distribuição de uso”. Essa tecnologia evita que um mesmo bloco da memória flash seja utilizado muitas vezes. Quando um arquivo é criado ou alterado, o controlador automaticamente grava os novos dados em blocos menos utilizados.

Sabendo do wear leveling, vamos simular um cenário hipotético onde você comprou um SSD com capacidade de 120 GB e vida útil de apenas 3 mil ciclos de escrita. Por ser um usuário extremamente avançado, você é capaz de gravar 120 GB de dados todos os dias, o que nem de longe é algo normal. Fazendo as contas, isso significa que você terá pouco mais de 8 anos até que o SSD comece a falhar. Num ritmo mais normal, gravando 20 GB de dados por dia, esse tempo subiria para 49 anos. Em 49 anos, pode ser que nem você esteja funcionando. 😛

Geralmente, os fabricantes são mais conservadores e estimam a vida útil de um SSD como sendo de 5 a 10 anos de uso intenso. A garantia de fabricantes como OCZ e Corsair no exterior é de 3 anos. Como você provavelmente já terá trocado de computador ou feito um upgrade durante esse tempo, não deverá ter problemas.

É necessário desfragmentar um SSD?

Você até pode desfragmentar um SSD, mas vai acabar gastando ciclos de escrita desnecessariamente, diminuindo a vida útil do dispositivo. Em outras palavras: não, não é necessário e muito menos recomendável praticar esse tipo de tortura com um SSD.

Como um SSD possui um tempo de acesso extremamente baixo, não há perda significativa de desempenho quando fragmentos de arquivos estão espalhados pelo disco, diferente de um HD, que sofre para mover sua cabeça de leitura para juntar várias partes de um arquivo.

Não desfragmente (nem otimize) um SSD

Um SSD fica mais lento com o tempo?

Isso era verdade nos SSDs lançados há alguns anos, mas o problema não ocorre nos drives mais novos.

Assim como no HD, excluir um arquivo no Windows não significa que ele será apagado fisicamente do disco. Isso não seria um problema se não fosse uma limitação da memória flash: não é possível apenas regravar dados como em um HD, em que você grava por cima de um arquivo. É necessário restaurar a página do SSD ao estado original e só depois gravar o novo dado, o que acaba diminuindo o desempenho.

Também não há meios para restaurar páginas ao estado original de forma independente, é necessário apagar o bloco inteiro. Se o sistema operacional precisar apagar só uma das páginas, o controlador deverá copiar todos os dados de um bloco para um cache, restaurar os dados em outro bloco, apagar o primeiro bloco e então gravar a nova informação.

Para evitar todo esse trabalho, o controlador do SSD procura gravar dados preferencialmente em páginas vazias. O problema é que, depois de um tempo, quando todos os blocos já foram usados pelo menos uma vez, o controlador precisaria executar a tarefa sempre.

Felizmente, os novos SSDs possuem um comando chamado TRIM, utilizado pelo sistema operacional. Esse comando basicamente “adianta” o trabalho do controlador e limpa os blocos que tiveram arquivos deletados, deixando o SSD como novo. Mas há algumas limitações: o SSD deve suportar o TRIM e o sistema operacional também. Windows 7, Windows 8, Linux 2.6.28+ e OS X 10.6.8+ suportam o comando.

Vale a pena?

Se você está juntando dinheiro para fazer um upgrade no PC, vale a pena começar a pesquisar preços de SSDs. Com um disco rígido, o desempenho da máquina acaba sendo limitado em tarefas cotidianas, como abertura de programas, carregamento de jogos e qualquer outra operação que envolva leitura e escrita de dados, não importando quão rápido seu processador seja ou quanta RAM você tenha instalado – o resto dos componentes precisará esperar o lento HD fazer seu trabalho para finalmente entrar em ação.

Infelizmente, os SSDs são muito mais caros que um HD e devem continuar assim por um longo tempo. Para gastar menos e ter um retorno maior, vale a pena utilizar um SSD apenas para instalar o sistema operacional, os aplicativos e jogos mais usados e seus arquivos de trabalho. Filmes, músicas, fotos e outros arquivos gigantes podem ser armazenados num HD – ou até mesmo na nuvem.

O problema de utilizar um SSD e um HD ao mesmo tempo é que, nos notebooks, pode não haver espaço físico suficiente. Nesse caso, a recomendação para quem guarda muitos arquivos é utilizar um HD híbrido, como o Seagate Momentus XT. Esses HDs possuem uma pequena quantidade de memória flash utilizada como cache dos arquivos e programas mais acessados, o que melhora a performance geral do sistema após algum tempo de uso.

Por fim, tenha em mente que, após comprar, instalar e usar um SSD, você seguirá um caminho sem volta: após alguns dias, qualquer computador com HD parecerá lento.

  • Parabéns…

    Depois de ler por aí tanta bobagem a respeito de discos sólidos enfim um post com algo realmente bom para leigos entenderem as vantagens (quase não há desvantagem que não o preço) de optarem por SSDs…

    Valeu!

    • Scheldon

      Na verdade esse é de longe o texto mais cheio de erros técnicos e “exageros” (a parte que fala que não tem problema nas taxas absurdas de fragmentação do ssd foi um tiro no testículo esquerdo).

      • Scheldon,

        Eu agradeço se você puder especificar quais são os “erros técnicos e exageros” para que o texto seja corrigido. Essa não é a primeira vez que você critica um texto do TB sem citar nenhuma referência, mas espero que dessa vez seja diferente. 🙂

        Sobre a fragmentação de arquivos, isso é apenas um indicativo que o wear leveling do SSD está funcionando corretamente. Não faz muito sentido armazenar arquivos de maneira contínua se for necessário sacrificar blocos e diminuir a vida útil da memória flash.

        Só citando a Raxco, que desenvolve o desfragmentador PerfectDisk: “Since there is no mechanical seek time on an SSD, traditional file-based defrag really doesn’t provide any performance benefit”.

        A OCZ diz: “Defragmentation is a process typically meant for traditional hard disks; defragging a SSD can cause excessive writes, thus lessening the lifespan of the drive. SSDs utilize a technique called “wear leveling” to prolong the lifespan of the drive and ensure smooth functionality”.

        E a Corsair: “What about services or programs in my operating system such as indexing, pre-fetching, write-caching, defrag etc? Corsair SSDs require no maintenance programs or operating system tweaks”.

        Abs!

        • FATALITY! Pena que não existe o “Thumb down” pro cidadão que falou bobagem…

        • UgOw

          Esse ai não aparece mais aqui no TB….

        • Eu não sei se é um erro técnico, mas eu acabei vendo um ou dois errinhos (talvez de digitação mesmo) de semântica. E fiquei com uma dúvida também, se você puder confirmar seria interessante… Onde está escrito: “A quantidade máxima de operações de escrita por segundo cresceu absurdamente, sendo 8,6 mil para o Intel X25-M de 160 GB e 85 mil para o Corsair Force GT de 180 GB.”, é realmente 85 mil ou seria 8,5 mil?
          Talvez o camarada aí em cima não gostou, com parcial razão, do exemplo da escrita de 20 GB de dados que proporcionaria uma vida útil de 49 anos. Particularmente só achei que faltou falar que não é só o “usuário” que escreve coisas na memória permanente; existe o SO, swap, instalações, updates, descompactação (até mesmo de programas e jogos em execução) que o fazem o tempo todo. Mas o exemplo é válido, desde que apontadas as ressalvas.
          No mais foi um ótimo artigo. Parabéns!
          P.S.: O teste da Samsung talvez tenha dado esses resultados pq foi usado o Windows que todo mundo sabe que tem o pior sistema de arquivos dos SOs mais utilizados, sendo um grande gargalo. Creio que se fosse utilizado um Mac ou Linux secão a diferença ia ser menor nos testes.

      • Rafael

        Tiro no testículo é ler um comentário desses, sem argumentos e sem fundamentação.
        O texto está muito bom.. a questão de desfragmentação é “NO BRAIN”… Baste estudar um pouco sobre composição de memória flash… Nada de errado no texto…
        Parabéns ao Paulo e ao TB…

      • Kessler

        Parabéns, amigão, você tentou parecer muito esperto e falhou miseravelmente.

        Nos próprios HDs magnéticos a fragmentação não é um problema, a não ser que você seja um usuário muito pesado – leia-se:apaga e cria milhares de arquivos todos os dias-.

      • é herói… se não tem o que falar, o silêncio é o melhor negócio.

      • Hattori Hanzo

        Esse troll vive infernizando os blogs, dizendo bobagens sem fundamentação para chamar a atenção. Pelo menos dessa vez levou uma enfiada com elegância! Parabéns pelo artigo. O mais esclarecedor que li sobre o assunto.

  • Claudio H.

    Matéria muito interessante, eu ainda tinha certas dúvidas sobre o custo-benefício do SSD sobre o HD convencional.

    Estou pensando sériamente em trocar o HD do meu notebook por um SSD. O que falta é o $$.

  • Ramon Melo

    O artigo ficou muito bom, mas faltou falar dos SSDs da Crucial, que possuem um custo-benefício muito bom.

  • Guilherme Harrison

    Deixa eu ser o primeiro a chover no molhado e dizer que a diferença de preço nos EUA e aqui é absurda. Pronto, podemos falar de coisas que nem todo mundo sabe de novo.

  • Eu estava pensando em fazer um upgrade no meu Asus A43E, trocar o hd por um híbrido de 500gb e trocar um pente de 2gb por um de 4gb, o que aumentaria a memória dele de 6gb para 8gb, mas não sei se o cu$to vai valer o ganho de performance.

    • Henrique P.

      Acho que pegar um híbrido não compensaria, se planeja ficar com ele por mais pelo menos um ano e meio, um ssd mesmo seria melhor pra você. Se não, fique assim mesmo. Híbridos são incontestavelmente melhores que hds comuns, mas o preço não fica tão longe de um SSD normal, que por sua vez possuem performance bastante superior em comparação com os híbridos. Sobre a RAM, não creio que vá notar um aumento na performance, 6GB já é bom.

  • Bom dia Paulo,

    utilizo HD híbrido em meu Macbook que é bem mais barato que um SSD e muuuuito mais rápido que um HD normal.
    Esse HD possui 8GB de SSD como cache e 750GB (7200) de unidade normal. Paguei por ele cerca de R$ 480,00.
    Seu funcionamento inclui um algoritmo que deixa em cache SSD os arquivos mais utilizados, geralmente do SO.
    O tempo de boot do Mac OS, abertura de programas melhorou de uma forma espetacular.

    Esse vídeo mostra uma boa idéia de ganho http://www.youtube.com/watch?v=rJ-9eOQnzTQ

  • Ótima matéria, estão de parabéns! Uma dúvida que ficou: formatação completa também não é recomendável, certo? Se funcionar como nos HDs tradicionais, é quase um assassinato de SSD. 😀

    Eu fico tentado a comprar um, mas meu notebook meio antigo (2010) e, provavelmente, meu próximo será um ultrabook que pode não ser compatível com um drive 2.5. A solução ideal, para meu uso, seria um ultrabook com 128GB SSD e um dispositivo similar a TimeCapsule, mas ai tem o preço disso né… 🙁

  • Gaba

    Preço no Brasil: R$ 822,90
    Preço nos EUA: US$ 128,50

    Caramba que discrepância ridícula… alguém sabe explicar porque aqui é tão mais caro que nos EUA??

    • Porque aqui o povo aceita pagar qualquer preço…

      Nem com o dólar a R$ 3,00 o preço deveria ser esse

    • O leite das crianças.

    • Bruno Cesar

      Simples, Brasil é uma porra, aqui o povo não sabe escolher quem coloca no poder, por isso o Brasil não desenvolve, não vai pra frente…
      fico pensando comigo, quando sera que isso vai acabar ?…

  • raphael

    E esse aqui? É SSD?

    http://eshop.macsales.com/shop/SSD/PCIe/OWC/Mercury_Accelsior/RAID

    Accelsior delivers accelerated speeds up to 820MB/s read and 763MB/s write for the most demanding needs. With up to 100K IOP/s, business critical applications are given an instant boost while Accelsior’s extreme performance speed dramatically reduces level-loading and save times for games.

    • Sim, é um SSD que usa slot PCI Express e custa os olhos da cara. 😛

      A OCZ tem o RevoDrive 3 X2, um monstro que faz 1.500 MB/s de leitura, 1.300 MB/s de escrita e 230 mil IOPS: http://www.ocztechnology.com/ocz-revodrive-3-x2-pci-express-ssd.html

      • Fico imaginando o que usa isso. Um servidor? Ou usuários “comuns” que precisam de um velocidade absurda? Entusiastas?

        • Beneduzi

          Se voce lida com arquivos muito grandes compactados, sei la coisas monstruosas tipo 150 ou mais GB o seu HD gargala o processo e faz seu processador parar esperando a leitura elevando a carga dele a números absurdos, é ai que um desses entra. Pode ser um servidor de armazenamento, ou processamento. Nunca tinha visto isso acontecer ate ver um colega sofrendo com isso devido ao gigantesco banco de dados que ele usa na sua tese de doutorado. Mas tem outros jeitos de melhorar isso, como o uso de armazenamento RAID, que é um tema que eu acho que valia um post aqui no Tecnoblog.

  • Welington Souza

    Ótimo artigo! Bastante esclarecedor!!

    “Em 49 anos, pode ser que nem você esteja funcionando.” – Ri muito com isso!!! 🙂

  • Vinicius Kinas

    Legal é dar boot no Windows 8 com um Corsair Force 3 que a empresa comprou pra mim 😛
    É muito rápido pra compilar os projetos. 😀

  • diego

    Eu usei por um tempo HS SSD, e realmente é muito superior, so queria deixar minah experiência. Comprei um OCZ Vertex 3, que em 5 meses simplesmente parou de funcionar. Nos fóruns muita gente reclamou disso. Como na queria voltar ao HD normal, comprei outro, Corsair de 64 gb, e ele nunca funcionou, travamentos e muito problemas. novamente nos fóruns muita reclamação. Resumindo não sei como estão os novos modelos, mas ainda esta muito instável essa tecnologia.

  • GameT

    Eu estou curioso quanto a instalação, não é só conectar na placa mãe e fonte né?
    Precisa configurar a BIOS e provavelmente atualizar o software dele dentro do SO pra ter ele funcionando perfeitamente

    Confirma?

    • Vinicius Kinas

      Não confirma.

      O protocolo é o mesmo (SATA). Basta conectar em uma placa mãe com suporte à SATA (1, 2 ou 3).

      MAS, no caso do Windows XP tem que desconfigurar a desfragmentação automática. O Windows Vista/7 já faz isso.

      No meu caso aqui, foi assim. 🙂

      • Kessler

        Nem se deve usar SSD no Windows XP porque ele não tem suporte a TRIM.

        • Vinicius Kinas

          Agora, que eu vi, aparentemente o Vista também não tem suporte nativo. Precisa instalar um driver =P.

          • Kessler

            Verdade, jurava que o Vista tinha suporte nativo.

    • UgOw

      Dos noobs, sou o mais hard… Comprei um SSD Cossair Force 3 (minha mobo tem suporta sata 3) de 120Gb no mercadolivre na cara e na coragem, finquei nele os cabos de dados e força do meu finado HD e meti-lhe o Seven. Simples assim… Funfando linda e perfeitamente… Boot do windows (não vejo tanta importância nisso) incrivelmente mais rápido que antes (tudo bem, uma instalação limpa sem muitos programas iniciando junto)… Então pra comprovar coloquei msn, livemail, steam, e outros iniciando junto com o sistema (tipo aquele pentium do seu primo que ele liga qando chega em casa e só loga depois de tomar banho)… Foi quase que instantânea a abertura dos programas… Os loading’s de Crysis, Diablo 3, COD4: MW2 são muito, muito mais rápidos que antes! Vale a pena mesmo!

  • Davi

    Meu caro, uma pergunta não sei se muito idiota, mas se eu colocar um hd SSD para o sistema operacional e continuar com meu HDD para os arquivos ajuda muito ?

    • Ogg

      Você terá mais espaço para armazenar as coisas, amigão…

    • Sim, essa é a técnica mais recomendada se você não for milionário. 🙂

    • Rafael

      Sim, muito… você pode instalar os programas e jogos que mais acessa no ssd, também…

    • Pode fazer tranquilo, foi isso que eu fiz em casa.
      Acredite quando você não esta acessando os arquivos do seu HD o Windows 7 desliga o HD e nada de barulho de agulha.
      Quando você vai acessar o HD ele volta a girar na hora.

    • diogod

      É o que eu faço. Meu SSD de 60GB da e sobra pro OS e vários programinhas. Arquivos vão pro HD.

      Agora o que quero saber mesmo é quando os HDs voltam pro preço normal, porque olha, to usando meu HD de 1,5 TB que comprei por 220 reais (há uns 2 anos), que era pra ser só de backup esperando os preços voltarem ao normal e um HD de 500 GB HOJE custa mais caro que o meu de dois anos atrás 3x mais espaço…. Fantasmas da enxente até quando?!

  • Diogo

    Tenho xps 15 antes com o hd normal ligava o note em 3:30.
    Depois que coloquei o ssd o note liga em 0:28.

    Olha a diferença. SSD e a melhor coisa. Vale o investimento.

    • UgOw

      Já deu uma olhada no seu msconfig???

      • Sim, ele carrega muitos programas na inicialização.
        Mas não creio que esse era o ponto que ele queria destacar.

  • Gostei do post. Bem explicado. Parabéns.

  • Muito boa a matéria!

    Sem dúvida alguma meu próximo notebook será apenas em SSD. A diferença é MUITO grande. Da pena de um MacBook Pro (tirando o de retina milionário) ao colocar um Air do lado dele.

    E ainda sonho o dia que não teremos mais HDs externos, e sim SSDs externos de 500 GB para cima num preço normal. Algo me diz que esse dia ainda está meio longe, mas aguardo ansiosamente 😀

  • Faltou falar sobre esses discos híbridos, que gravam os dados mais acessados no SSD de forma transparente para o sistema operacional.

    São uma solução barata e prática.

    • Diogo

      Esse disco não e bom não. Estava olhando teste com ssd e disco hibridos e hd. O Disco hibridos estava quase a mesma velocidade do hd.

    • Barata em termos… No mercadolivre eles são bem caros… Concordo que mais baratos que os SSD’s, mas comparados a HD normais, são bem mais caros!

  • Paulo,

    Ótimo artigo!

    Uma dúvida: um amigo, no início do ano, sentiu que seu MacBook estava com uma performance ruim. Estava em dúvidas se trocava o HD por SSD ou se mantinha o HD e aumentava a RAM para 8gb. Acabou que ele optou por trocar para SSD, o que melhorou absurdamente o desempenho da máquina e o custo-benefício acabou sendo melhor por conta do preço da memória ser mais alto do que do SSD.

    Então, te pergunto: como avaliar se vale mais a pena investidor no SSD ou na RAM, levando-se em consideração apenas o aumento de performance da máquina?

    • Um SSD com certeza dará mais performance do que memória RAM. Em especial em casos como o citado, onde 4 GB aguentam bem o tranco na maioria das situações.

      Acho que um bom parâmetro é ver o quanto de RAM está sendo utilizada durante suas atividades rotineiras. Se estiver em até uns 60%, acho que não é o caso de aumentar a RAM para melhorar o desempenho. Pra cima disso, já vale o investimento em uma memória maior também.

    • Olha amigo se tiver mais do que 4GB de memoria você não sentira mais velocidade colocando mais 8GB ou a quantidade que for.

      Considere que se você já tem um PC com 4 nucleos com clock altos como Phenom II, Dulldozers ou I5 e I7 a melhor opção é o SSD.

      Acredito que os SSD estão caros porque a procura não é alta logo quem compra realmente sabe dos benefícios ai entra naquela velha historia de querer tirar proveito em cima de todo mundo.

      Outra coisa é que todo mundo pensa que os preços dos SSD nunca baixam, mas na verdade as tecnologias aumentam as Taxas estão cada vez maior, existem SSD que são ligadas na PCI-EX 4X do PC que dão taxa de leitura e gravação de aproximadamente 1500 Mbs.

  • Eu ia comprar um Corsair ano passado pra mim, 800gb > 2000 reais.
    Acabou que comprei um carro e até hoje estou sem meu SSD =(

    • UgOw

      Seu carro é mais rápido que um SSD?

      • Não, mas no carro posso transar.

        • *fire hadouken*

        • Kessler

          Mas quem precisa transar se tem um drive SSD?

          (alguém achando que eu realmente prefiro um SSD a sexo em 3…)

        • Marcus

          Garota que aceita transar em carro — e ainda popular? Ficou sem o SSD, mas o importante é que gasta só 1/20 do preço quando pode usar o carro e de quebra ganha sempre uma nova DST… Ótimo investimento!

          • Garota que aceita transar em carro > qual que não aceita? Só se for muito fresca.
            “e ainda popular” > Honda Civic.
            Gasto é gasto, isso é normal.
            Sobre a DST eu não pego, não fico com vadias, só com a minha namorada ( não só nele, mas é uma opção a mais ).
            =)

          • Guto

            Eu tbm acho que uma transa é melhor que qualquer ssd !! Real life rules !

  • Olá a todos.
    Realmente o SSD é muito superior ao HD, eu comprei o meu tem 3 semanas, apos pesquisar muito escolhi o SSD Force GT 120. (550 Dividido em 2 vezes com nota fiscal, no mercado livre achei por 430 sem nota apenas recibo).

    Eu li que os Vertrex estavam dando muito problema de RMA e o melhor custo beneficio seria o Cosair.

    Pessoas que querem aumentar o desempenho do computador e já tem de 4 GB ou mais a melhor solução é um SSD.

    Faltou um detalhe importante que para tirar proveito do maximo dessa tecnologia o controlador tem que ser SATA-3 o SATA-2 limita bastante a velocidade.

    Outra curiosidade é que placa mães para processadores Intel, até onde vi só possuem 2 controladores para SATA-3 já os AMD são de 4 a 6 Portas SATA-3.

    • UgOw

      Curioso isso que você falou… Realmente Tenho um PC com i5 2400 e minha mobo possui apenas 2 entradas sata3.

  • Alexandre

    resumindo, custo-beneficio de SSD eh bom soh nos USA

    creio que o melhor momento do SSd foi quando alagou o parque industria la na Asia e os HDs subiram… afora isso, o HDD ainda tem o diferencial que eh o preço. Espero que em breve, com a produçao em escala, os SSD dominem tudo!

  • Parabéns pelo texto de bom entendimento!
    Utilizou um intel series 320 de 80gb e ja encomendei o meu OCZ Vertex 4 !
    SSD é outra história mlk !

  • Há cerca de dois ou três anos eu parti para o uso de SSD como drive principal. Por conta do custo, que na época era ainda mais salgado, eu peguei um de 128Gb.

    O fato é que a simples troca de um SATA 7200RPMs por um SSD, fez com meu micro (rodando Windows7) ficasse mais de duas vezes mais rápido. É impressionante, cold boot em cerca de 30 segundos.

    O lado ruim, é que vc precisa aprender a usar o Junction, que cria links simbólicos no Windows (semelhante so ‘ln’ do Linux), para não precisar ficar brincando de malabarismo com programas instalados e dados… MAS mesmo desta forma pelo menos uma vez a cada seis meses eu preciso fazer uma faxina, e voltar o consumo para a casa dos 80Gb.

  • Ah.. só pra avisar.. a foto é de um Corsair Force GS e a legenda diz que é um GT 😉

  • Carlos Ferrari

    Gostei do artigo, estou prestes a trocar de computador ainda neste ano e já estava pesquisando SSDs, agora acabo de descobrir que escolhi os modelos ‘certos’ hehehe

    Aliás, nem sei se pode, mas já vou dando a dica: OCZ Vertex 3 120GB e Kingston SSDNow V+200 120GB tem o melhor custo/espaço no eBay chegando a verdadeiras ‘barganhas’ principalmente quando comparados com preços daqui.

  • leandro sampaio

    pensando em comprar um ssd antes de atualizar meu processador(atualmente quad core Q6600 2.4ghz) ou placa de video(atualmente geforce 285gtx 1gb) pois estão dando conta do recado em mtos jogos ainda, espero que assim acabe com o lag de hd que tenho em alguns jogos, sabe quando vc ta no meio de um tiroteio e dá aquela lagada de hd que leva uns 3 segundos pra normalizar novamente ? =(

  • Guto

    Qual a fonte dos preços nos EUA ?

  • muito boa a matéria!
    sempre quis saber um pouco mais sobre os SSDs e se já valiam a pena começar a procurar pra comprar um PC com um.
    dúvidas esclarecidas.
    vlw!

  • Paulo Zanatta

    Gostei muito do texto, foi direto aos pontos mais importantes pra quem está pensando em adquirir um SSD. Valeu, Paulo Higa!

  • dwerbert

    ótimo post ,cala a boca Scheldon se não gostou vai atras de outra fonte de informação , tanto “zé mané” que não tem oque fazer , vai lá cria um blog e escreve melhor,desculpem por usar o espaço para desabafar mas continuando , muito bom entender melhor os comparativos entre as velocidades , e principalmente a explicação sucinta sobre as memórias sicronas e assincronas, continuem assim sempre inovando e voltem logo com os podcasts estão fazendo falta 🙂

  • Muito bom o post, adorei.

    Para o meu uso, que é apenas doméstico (raramente abro programas pesadíssimos ou jogos), não vejo necessidade de usar um SSD. Quem sabe no próximo notebook/PC.

    Realmente, a opção de usar um HD em conjunto com o SSD parece uma das melhores escolhas para quem não precisa rodar algo pesadíssimo.

    Eu, particularmente, estou satisfeito com HDs. O brasil precisa melhorar muito em internet e impostos para depois a gente pensar que o HD é o mais lento.

  • ” Em 49 anos, pode ser que nem você esteja funcionando. :D”

    Jon Maddog não curtiu isso! kkkk

  • joacaa

    “Por fim, tenha em mente que, após comprar, instalar e usar um SSD, você seguirá um caminho sem volta: após alguns dias, qualquer computador com HD parecerá lento.”

    Disseram tudo, ótimo post, agora poderia pesquisar um para mim e responder as perguntas sobre ssd. Abraço.

  • Bom… então acho que fiz uma boa escolha:
    SSD 256GB + 3TB HDD 7.200
    i7 3a. Geração: 3.4GHz (3.9GHz Turbo Boost 2.0) / (8MB Cache) 8 Threads.
    16GB DDR 3 1600MHz
    Vídeo Radeon 7870 2GB DDR 5 – 256 bit
    Blu-Ray 6X BD-R
    Tela 23″ Led / Som 7.1
    Windows 7 ultimate
    3 anos garantia / suporte
    3 anos Security Center (anti-virus, firewall, etc).

    Teclado e Mouse Microsoft 5000 (Caixas JBL, microfone, fone e câmera Microsoft)

    Apple Time Capsule 3TB
    WD MyBook World II 4TB (2X 2TB) + WD 750GB
    HDD externo USB 3.0 1TB + HDD externo USB 2.0 1TB
    DVD-RW externo

    D-Link DI-LB604 Load Balancing Router 20Mbps (2X links 10Mbps reais)
    Multifuncional com Bulk System.

    e umas outras tralhinhas…
    Finalmente vou dar uma arrumada nos arquivos. 😀
    E foi-se um tempão de poupança. 😀 Ainda bem que deu pra dividir em 12X sem juros! hehe Quem sabe um dia eu morarei no Canadá… preços por lá são ótimos. 🙂

  • Diego Fenner

    Ola comprei um SSD kingston de 32 Gb, e depois de formata-lo com W7, não notei uma diferença visível, vi vários videos com uma qualidade muito superior em termos de velocidade, ao olhar a nota de classificação do windows o “HD” ficou com 5.9 e já vi essa nota com outros HDs que eu tinha, sera por causa dos meus outros 3 HDs, uso o SSD pra sistema principal, e pra dados HDs de 160, 500 e 1T, o que pode estar acontecendo?

  • Arthur Araujo

    Somente pra complementar, tem esse vídeo aqui: http://www.youtube.com/watch?v=FznW_Ag4iOc

  • AHH

    Tenho Um SSD da OCZ de 240Gb que deu problema não reconhece mais na bios e o Led dele fica ligado ja baixei o linuz da OCZ para tentar reconhecelo mas não adianta o que posso fazer.
    a loja que vendeu não quer dar suporte detalhe passou uns dias dos 6 meses de uso e a garantia é de 3 anos?
    estou decepcionado com OCZ.

  • Bruno Cesar

    Parabéns cara, de tudo que eu li sobre os SSDs o seu foi o mais esclarecedor de todos…
    parabéns, agora sei realmente o que é um SSD e como ele funciona !!

  • sg.mariam

    olá! sou bastante leiga no assunto, minha duvida se alguem puder me ajudar. um note com 2gb ram + 32 gb ssd, como funciona o ssd juntamente com a memoria ram, ele funciona como um pendrive, pra ter acesso ao que salva nele tenho que buscar em pasta especicifa, ou esse ssd ira somente auxiliar a memoria ram?

  • Marcello Lucyanno Sylwa Brytto

    Tenho um notebook CCE 745B Core i7 com 4GB de RAM.
    Quero acrescentar mais 4GB.
    Usar um adaptador SSD no lugar do drive ótico.
    Instalar o Windows ou Linux.
    Se for o Windows, qual o tamanho do SSD?
    Que marca devo comprar?
    Como deletar o Windows do meu HD de 500GB para que eu use só para dados?

  • SSD é o melhor UP para empresas em seus pcs de escritório, hj já tem por 300,00. Só para ter uma ideia um Semprom 140 com SSD Kingston de 120 GB sata3 abre o win7 e os programas mais rápido do que um phenon2 955 com HD de 500 GB. Isso para uso de Windows , office, corel, photoshop, ler pdf e cads.

  • aaa

    O Windows ocupa pouquíssimo espaço no seu disco rígido, assim como o Linux. Eu te recomendo comprar um SSD de 60 ou 120Gb p guardar o sistema operacional e os jogos q vc mais usa nele (vão carregar mais rápido).
    Os SSDs da Kingston são baratos e bons pelo q eu sei… Tem de 120gb por uns 300 reais.

    E p apagar o windows é só formatar seu hd… Mas se vc n tiver um cd do windows, pede p alguem instalar um novo no seu ssd, ou transfere o windows do hd p ele com algum programa.

  • aaa

    Pelo q parece vc provavelmente nem vai usar todos esses gigas… 120 já e mto bom pra quem n vai baixar jogo… No ultimo caso compra um hd externo ou instala mais um interno no seu note/pc

  • aaa

    Mds…. Primeiro, ram e memoria do disco rigido são coisas totalmente diferentes… Se vc n usar mto o pc (só entrar na net, facebook etc, 2gb d ram ja ta bom).
    Esses 32gb do ssd servem p deixar o computador mais rapido (pra ligar, transferir os arquivos dentro dele, etc), pq ja vem com windows instalado nele (provavelmente).
    Ah, e procura ou bota um hd externo ou interno no seu computador, pq 32gb e mto pouco p até guardar fotos, arquivos etc

  • KLeider Kennedy

    OLÁ!! PRECISO DE PROFISSIONAIS DE CONHECIMENTO E ”RESPONSA” PRA ME AJUDAR EM ALGO. TENHO UM DELL INSPIRION 15R 5537-A20, 16GB RAM, CORE i7, PLACA VIDEO 2GB DEDICADA, DISCO RIGIDO 1TB, 15″.. E TRABALHO COM SOFTWARES ALTAMENTE PESADOS! SÃO PROGRAMAS E FERRAMENTAS DE RENDERIZAÇÃO (DA PESADA), PROJETO ARQUITETÔNICO EM PLATAFORMA BIM, SOFTWARES COMO LUMION, REVIT, etc. FOTOSHOP É O “CAFÉ COM LEITE” DE MEU NOTE (SÓ PRA ESCLARECER MELHOR). O NOTEBOOK JÁ É UMA EXCELENTE MÁQUINA, MAS QUERO DEIXÁ-LO VOANDO AINDA MAIS!! PRINCIPALMENTE PELO FATO DE EU TER QUE TRABALHAR MUITAS VEZES COM VÁRIOS DESSES SOFTWARES ABERTOS SIMULTANEAMENTE. EU GOSTARIA DE COLOCAR UMA MEMÓRIA SSD NELE. QUERO MAIS POTÊNCIA! QUERO MAIS PROCESSAMENTO! EM FIM, TRABALHAR COM TRANQUILIDADE. QUERO QUE ME AUXILIEM NA MELHOR MANEIRA DE FAZER ISSO! EU INCLUSIVE NÃO FAÇO QUESTÃO DO DRIVE DE DVD, E O NOTEBOOK É GRANDE (15.6″), ENTÃO POSSO COLOCAR ALGO NO LUGAR?.. QUERO UMA MEMÓRIA DE SSD CONSIDERANDA GRANDE. ENTÃO QUAL MELHOR MARCA? QUAL A MARGEM DE PREÇOS? PRECISA TIRAR O DISCO RIGIDO OU POSSO DEIXAR OS DOIS? QUAL A DIFERENÇA NAS DUAS OPÇÕES? ME AJUDEM AÍ!! QUAIS TIPOS DE MUDANÇA MAIS POSSO FAZER PARA DEIXAR SEU DESEMPENHO BEM MELHOR DO QUE JÁ É? ..DE ANTEMÃO AGRADEÇO, E PEÇO POR GENTILEZA TIRAR TODAS MINHAS DÚVIDAS E ME AUXILIAR. ABRAÇO!!

    • Eric

      a unica forma de ter um ssd e um HD no mesmo notebook é tirando o drive de cd (que atualmente é inutil) mas com toda certeza renderiza mais rapido, mas só se o windows, o programa de projeto e o projeto estiverem no ssd.

    • Elvalter

      Compra um Mac você é o profissional trabalhando com a ferramenta errada.

      • Marcos Jacoby

        Que é um PC com grife e um sistema operacional diferente.

    • Marcos Jacoby

      Sendo profissional com você eu posso dizer que o SSD influencia na velocidade de leitura e gravação de arquivos. Apenas isto.
      Como vc usa um notebook vc fica restrito nas opções de drives SSD já que só poderá usar drives SATA, a não ser que ele tenha um conector M2 o que eu acho que ele não possui pelo que vi no site da Dell sobre este modelo.

      Se fosse um desktop vc poderia usar o slot PCI-E 8x ou PCI-E 16x e colocar um drive SSD com interface PCI-E.
      Estes modelos normalmente oferecem taxas de gravação a partir de 1.000 Mb/s prá mais, portanto o dobro ou mais de um SSD SATA, mas o preço é de lascar.
      Sugiro que vc foque em performance e procure pelo Google benchmarks entre SSD, algo tipo os 10 mais rápidos ou assemelhados (use os termos em inglês).
      Depois de ter em mãos o SSD escolhido, ligue ele no caddy e faça a transferência do sistema presente no HD pro SSD. Ou através do programa fornecido em CD acompanhando o SSD, ou se não houver veja no site do fabricante se há algum específico ou se pode usar qualquer programa que ofereça esta funcionalidade.
      Depois de completa a transferência vc desliga o sistema e o note, inver o SSD e o HD que vai pro caddy, liga de novo e a não ser que após ter dado boot o Windows peça prá reiniciar vc vai estar operando direto do SSD.
      Não precisa ser um SSD com grande capacidade. Um de 256 Gb deve dar conta do gasto. Procure deixar só o sistema e os programas que usa no SSD.

      Os projetos depois de terminados devem ser guardado no HD, já que os SSD ainda tem uma taxa de vida bem mais curta que os HD, processo diretamente ligado a escrita de arquivos, ou seja, quanto mais rapidamente escreve dados, mais rapidamente chega próxima a vida útil dele.

      Mas sinceramente a única vantagem é a velocidade no boot do sistema, na abertura e também gravação de arquivos.
      O sistema até pode se beneficiar porque o pagefile também vai estar no SSD o que talvez suavize os gargalos no sistema.

      Mais que isso só montando um desktop com processador mais bala, memória DDR4 e é claro um SSD com interface PCI-E.

      • Kleider

        Você respondeu bem amigo. Muito obrigado. Mas como já tem um tempo, eu já realizei o procedimento no meu e inclusive no de um colega de faculdade que gostou do que fiz. Eu comprei um hd de 500 GB com velocidade de leitura e escrita muito boas. Foi um Samsung 850 evo. O procedimento que fiz – uma vez que meu notebook é 15,6″ e possui drive de DVD – retirei o Disco Rígido dele do lugar, e pluguei o SSD direto na placa mãe na SATA, pra garantir imediatismo nas tarefas. O disco rígido que “retirei”, apenas mudei de lugar. Comprei um adaptador com entrada SATA, encaixei o HD no adaptador e coloquei no lugar do gravador de DVD. Já que pouco uso este. Ele já encaixa plugando. O resultado é que fiquei com o SSD de 500GB na função principal, com o sistema operacional e softwares principais instalados nele, e o disco rígido de 1TB ficou como uma espécie de HD “externo” só que interno. Perfeitamente encaixado no notebook no lugar do drive de DVD. Com o Drive de DVD, comprei um caser e um cabo, fazendo dele um Gravador de DVD externo. Nas poucas vezes que eu precisar usar algo com mídia física, ele estará a um plug disso. Agora melhorei a velocidade do notebook e fiquei com 1, 5 TB. Só salvos os arquivos no HD, e quando preciso instalar um software de trabalho mais pesado faço isso no SSD. Processamento e memória RAM eu já tinha suficiente. Core i7 4ª G, e 16GB de RAM respectivamente.

  • LUÍS ÉF

    Gostei muito do que li nesta página, muito bem! Obrigado ao autor(es)
    LUÍS ÉF

  • LUÍS ÉF

    Será que alguém me pode ajudar??
    Procuro um SSD EXTERNO com MEMÓRIA SÍNCRONA com ligação THUNDERBOLT e com a capacidade mínima de 1T (ou mais, o ideial seria 3 ou 4 T) obrigado.

    LUÍS ÉF
    ([email protected])

    • Marcos Jacoby

      Tem no ML de 4Gb via thunderbolt mas não baixam de 2 milhas…..

  • Bruno Augusto

    Apesar de ser uma matéria um pouco antiga, me serviu para esclarecer coisas que eu não sabia, inclusive quando ao tipo de memória síncrona e assíncrona. Diante disso, se possível, gostaria de saber se haveria alguma recomendação de modelo(s) de 128GB, com faixa de preço moderada (300~400 reais) cujos produtos não sejam “gato por lebre”.

  • Carlos

    Eu tenho notebook CCE com HD de 500 G.
    Ao instalar caddy com SSD de 240.
    Teremos 740 G.
    Pergunta: Como o notebook irá saber se é para ler primeiro o SSD ?
    Pergunta: Se o notebook ler primeiro o HD o SSD não cumprirá o dever de acelerar o note.
    Pergunta: Então, como é que funciona o negócio?

    • Marcos Jacoby

      Vamos separar as coisas.

      Eu aconselho a inverter as coisas.

      Botar o SSD no lugar do HD que vai pro caddy.

      Mas antes faça o seguinte.

      Também veja se acompanha com o SSD um CD com aplicativo para transferir o sistema do HD pro SSD.

      Se não tiver, faça uma pesquisa no Google e instale este aplicativo.

      Faça a cópia do sistema que está no HD pro SSD.

      Terminada a operação, desligue o sistema e o notebook e inverta o HD e o SSD, ficando o HD no caddy.

      Tudo conectado ligue o note. O sistema deverá dar boot pelo SSD já que por padrão nas BIOS o sistema sempre dá boot pelo primeiro HD, mesmo que você troque o HD por outro diferente.

      Depois do note dar boot e de vc botar o queixo no lugar (vai estar junto com teus pés) de uma conferida se todos os arquivos estão nos lugares corretos, principalmente ao usar os navegadores da internet.

      Se tudo estiver ok vc até pode apagar as pastas de programas, dos usuários e do sistema que ficaram no hd, prá liberar espaço, ou manter eles lá caso dê xabu e vc precise recuperar o sistema com os dados, algo facim de ocorrer com virus e trojans da vida.

  • Gilson Santana de Melo

    Bom dia, eu tenho um Acer Aspire E5-571G Core I7 2.4Ghz e que pode chegar a 3.00Ghz com turbo booster, e 8 gb de ram. Ele veio com 1 tb de HD, mais é esse meu gargalo, trabalho com edição de video e foto, renderização, virtualização com WIN SERVER 2008 (Hyper-v), o HD chega a 100% performace quase travando a maquina, mesmo com o processador bom… Estou pensando em tirar o leitor de DVD por o HD no lugar e colocar um SSD de 120 ou 256 GB no lugar do HD, vale a pena? Sei que é caro, mas…

    • Marcos Jacoby

      No teu caso seria o mais recomendável. Vc até pode gastar mais com um SSD de 128 ou 64 Gb com as melhores taxas de gravação pois normalmente eles são mais caros que os SSD de baixo custo que se saem bem na leitura mas na gravação e a metade da velocidade ou menos.
      Daria até prá editar um vídeo no SSD e depois de pronto passar pro HD!

  • Marcus Mendes

    Meu computador é um core 2 duo de 2.4 ghz.
    A placa mãe tem interface sata de 3gbs por segundo.
    Compensa trocar o HD de 320 gb hd por SSD?

  • Carlos Morais

    Bela matéria. Parabéns! Sugestão: poderia atualizar o material, já que os HD’s atuais estão em novas versões e os SSD’s agora já estão em versão M2 (placa), seria legal!