Início » Brasil » Governo quer antecipar faixa de 700 MHz para o 4G

Governo quer antecipar faixa de 700 MHz para o 4G

Alguns canais de televisão podem ser desligados

Lucas Braga Por

O 4G mal chegou ao Brasil e novamente teremos uma licitação para a tecnologia. O governo está disposto a brigar com o setor de televisão para liberar a faixa de 700 MHz  – atualmente utilizada pela TV analógica. A ideia era que todo esse processo burocrático começasse apenas no segundo semestre desse ano. Entretanto, o governo está disposto a acelerar a implantação do 4G no Brasil e resolveu antecipar as licitações. De acordo com a Folha, a decisão sobre a licitação deverá ser informada em reunião na Anatel ainda hoje.

Para que a faixa de 700 MHz seja liberada, alguns canais de TV aberta analógica deverão ser realocados em outra frequência e número. A faixa necessária para o 4G compreende os canais 51 a 69, sendo que os canais de 60 a 69 são reservados para emissoras públicas, direta ou indiretamente ligadas ao governo.

4G LTE pode chegar a 100 Mbps

4G LTE pode chegar a 100 Mbps – clique para ver o infográfico especial

A vantagem de tudo isso é que a frequência de 700 MHz é atualmente utilizada no padrão de 4G americano. Se essa faixa for liberada e as operadoras implantarem o 4G através dela, é possível que seu iPhone 5 ou iPad de terceira ou quarta geração funcione nas redes de altíssima velocidade. Não apenas os dispositivos da Apple, outros tantos smartphones e tablets poderiam chegar ao Brasil sem uma versão específica, algo que facilitaria o suporte e a gama de aparelhos disponíveis no Brasil.

Outra vantagem é que a penetração da frequência de 700 MHz é muito maior em relação aos 2,5 GHz atualmente reservados para o LTE. Frequências mais baixas conseguem maior alcance em ambientes fechados, de forma que as operadoras precisariam utilizar menos antenas para cobrir grandes áreas. Em contrapartida, redes baixa frequência suportam um menor número de usuários na rede, de forma que frequências mais altas sejam indicadas para locais com alta concentração de pessoas, como em grandes cidades.

Leia maisConfira o teste do 4G da Vivo na Campus Party

Apesar de tudo isso, ainda não tem data para que as redes em LTE de 700 MHz sejam oficialmente lançadas. Um problema maior é o investimento necessário: a licitação é estimada em R$ 40 bilhões. As operadoras acabaram de pagar muito para a frequência de 2,5 GHz, e um investimento tão alto com um curto período de tempo pode não ser uma boqa ideia.

Ainda assim, considerando todo o processo burocrático de novas tecnologias, não acredito que essas novas redes cheguem ao Brasil antes da Copa de 2014.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Yago G. Oliveira
Podiam liberar para Voz e Dados juntos.
Yago G. Oliveira
Pensei o mesmo.
Júlio Netto
Quer dizer que, a conexão do meu Atrix e Galaxy Tab 7.7 vai funcionar normalmente? Que coisa boa...
Diogo Paiva
Acho que o pensamento do Governo é tentar fazer com que a faixa de 700Mhz esteja pronta ainda para a Copa. Pensemos o seguinte além do Brasil e Austrália (que eu saiba), nenhum outro país usa a faixa de 2600Mhz. Então, quando os gringos chegarem por aqui vão ter seus dados 4G inutilizados por indisponibilidade.
Edison Luiz
Até o Brasil ser o maior mercado consumidor do mundo. Ou seja, sempre. Não compensa para as fabricantes lançarem um modelo para um único mercado. É muito investimento para pouco retorno. Ou você acha que celulares 4G venderiam como água para justificar o investimento?
Vitor
Só acho que o governo não tem que se mover para atender às necessecidades ou palhaçadas das fabricantes. Se elas realmente quisessem fariam um celular compatível. Se não fazem é porque não ligam... Até quando esta mentalidade de que o Brasil tem que ser moldado para os gringos vai existir?
Gabriel Vedana Queiroz
Mas é o mais certo a se fazer, como o texto diz : " outros tantos smartphones e tablets poderiam chegar ao Brasil sem uma versão específica, algo que facilitaria o suporte e a gama de aparelhos disponíveis no Brasil." Não teria que alterar os aparelhos e o iPhone ainda vai funcionar, menos custo a longo prazo e mais acesso. melhor pra todos. Não é so babação de ovo para Apple.
daviddiniz
O (des)governo e a ana(l)tel querem mostrar serviço para os gringos isso sim. As operadoras com certeza estão com o caixa zerado para comprar as novas licenças e ainda mais sem caixa para comprar os equipamentos em 700Mhz e creio que também estão concentradas na implementação do 2.6Ghz.
Rodrigo Tschope
Não sei pq, mas acho q alguem do governo tem iPhone 5 e está chatiado q não tenha 4G nele! AhHahHA