Início » Aplicativos e Software » Líder do Android Open Source Project abandona iniciativa e alerta para falta de liberdade na plataforma

Líder do Android Open Source Project abandona iniciativa e alerta para falta de liberdade na plataforma

Emerson Alecrim Por

O Android Open Source Project (AOSP) é uma iniciativa que visa disponibilizar versões do Android totalmente baseadas em código-fonte aberto. Mas esta ideia tão interessante pode estar ameaçada: o desenvolvedor Jean-Baptiste Quéru, líder do projeto, decidiu abandonar o barco por causa de problemas envolvendo o Nexus 7 e a Qualcomm que estariam limitando os trabalhos de desenvolvimento.

O AOSP teve início pra valer no segundo semestre de 2008, quase no mesmo tempo da chegada do Android ao mercado. O projeto foi criado com o intuito de permitir a qualquer interessado em estudar ou trabalhar com a plataforma obter o código-fonte completo de uma versão limpa do Android, isto é, sem aplicativos do Google, sem recursos proprietários e assim por diante.

Android Open Source Project

Não sem sentido, o Android Open Source Project tomou forma pelas mãos de alguém bastante próximo à plataforma desde os seus primórdios: o francês Jean-Baptiste Quéru (JBQ, para os mais íntimos), que trabalha como engenheiro de software no Google desde 2007.

A decisão de abandonar o projeto foi noticiada rapidamente pelo próprio em sua página no Google+ (em tradução livre):

Não faz sentido algum ser o mantenedor de um sistema operacional incapaz de executar a tela inicial do seu principal dispositivo por causa da falta de suporte à GPU, especialmente quando estou sendo considerado culpado por algo que eu não tenho autoridade para corrigir, ainda que eu tenha alertado sobre o problema há seis meses.

Jean-Baptiste se refere ao Nexus 7, como informado no início do post. O desenvolvimento da versão mais recente deste tablet começou há pelo menos seis meses. O problema é que o seu processador é desenvolvido pela Qualcomm, empresa conhecida não só por ter chips equipando boa parte dos dispositivos móveis da atualidade, como também por proteger sobremaneira a sua tecnologia.

Por causa desta “superproteção”, apoiada inclusive por aspectos legais, é que a Qualcomm não possibilitou a liberação de uma “imagem de fábrica” completamente funcional do Nexus 7. Como consequência, não foi possível habilitar o uso da GPU do dispositivo no AOSP por não haver como criar drivers abertos compatíveis.

Depois de meses de negociação sem sucesso com a Qualcomm, Jean-Baptiste decidiu abandonar o Android Open Source Project, embora continue como funcionário do Google. Uma vez que o desenvolvedor era o principal envolvido com a iniciativa desde a sua criação, o futuro desta agora é uma incógnita.

Se não bastasse, a desistência de Jean-Baptiste também alerta para outro problema para o qual o engenheiro já havia tentado obter atenção (e talvez tenha conseguido só agora): uma aparente perda progressiva de liberdade de desenvolvimento na plataforma Android.

Com informações: Android Police

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Antonio Caser

Ledo engano, o Android é a plataforma "Open Source" mais fechada de todos, e vai se fechar ainda mais. Veja este site:
http://info.abril.com.br/no...

Antonio Caser
Ledo engano, o Android é a plataforma "Open Source" mais fechada de todos, e vai se fechar ainda mais. Veja este site: http://info.abril.com.br/noticias/tecnologia-pessoal/android-e-o-mais-fechado-diz-pesquisa-05082011-10.shl
Marcos Freitas
Mano, daqui a pouco a google tá produzindo os próprios processadores. Sei nem se isso é viável ou plausível aqui kkk
Lucas Alves
ÊÊÊÊ caraiii ! FAILLLL!!
EFG
Não vai, já deu.
Gedson Junior
O Galaxy Y esta (ou estava, nao sei como esta a situação) com o mesmo problema com a Broadcom, q nao libera os drivers da GPU
Wendel Schelhan
Não consigo entender muito a lógica disso. O SoC do Nexus 7 novo não é o mesmo do Nexus 4? É um S4 com Adreno 320, ou não? Então, qual a dificuldade, se é tão fácil programar pro Nexus 4?
Lucas De Eiroz Rodrigues
imagens abertas do sistema não são imagens abertas do SoC.
Lucas De Eiroz Rodrigues
Não. Primeiro, não é a empresa mantenedora do Nexus 7 que não quis colaborar, é a fabricante DO PROCESSADOR que não quer liberar o código fonte do mesmo, que possibilitaria o funcionamento da GPU. Segundo, a falta de liberdade ocorre mesmo dentro do AOSP. Pode-se notar em alguns aplicativos como a câmera, que até agora não liberou o código do Photosphere. Além de coisas dentro do Android que não fazem parte do AOSP, ainda tem também coisas fora do Android (relativo a hardware) que necessitam fazer parte do AOSP para que ele funcione em certos dispositivos.
Henrique Dourado
cara isso não tem nada a ver , ja que o windows que vc usa é totalmente fechado, então não coloque chifre em cabeça de cavalo cara o que eu intende foi que o problema ta no driver da GPU da qualcomm no qual ela não libera da mesma forma que é o Android ,em codigo aberto A Android é e sempre será de codigo aberto , ja o driver que a qualcomm faz, seria bom ser aberto , mais infelizmente é fechado
Henrique Dourado
cara o que eu intende foi que o problema ta no driver da GPU da qualcomm no qual ela não libera da mesma forma que é o Android ,em codigo aberto A Android é e sempre será de codigo aberto , ja o driver que a qualcomm faz seria bom ser aberto , mais infelizmente é fechado
Daniel Dias
fikdik LOL
Silvio Sousa Cabral
Estranha essa história. Achei que o processador do Nexus 7 fosse o mesmo Snapdragon S4 Pro que equipa o Nexus 4. Tem imagens abertas do smartphone por todo lugar.
Emerson Alecrim
JQB tem sentido "falta de liberdade" dentro da AOSP, tanto é que teve gente que, quando soube que ele abandonou o projeto, pensou que ele tinha saído do Google. Isso porque há uma sensação no ar entre os desenvolvedores de que o Google não se esforçou o suficiente para resolver este e outros problemas parecidos.
Silvio Ney
Acho que entendi errado ou a matéria podia tratar de outra forma, ao invés de citar como "falta de liberdade na plataforma" A meu entender, a empresa mantenedora do Nexus não quis disponibilizar a imagem aberta funcional para que os desenvolvedores pudessem criar drivers para rodar a GPU no mesmo. Consequentemente, JQB (por ser líder) foi criticado e amordaçado pelo Nexus 7 não conseguir rodar a GPU... Da forma como está sendo mostrada, dá a entender que ele não tem liberdade no AOSP, mas a falta de liberdade está afora da AOSP, né? Como diz a matéria toda...
Exibir mais comentários