Início » Aplicativos e Software » É assim que o HoloLens vai funcionar com modelagem 3D

É assim que o HoloLens vai funcionar com modelagem 3D

Parceria com a Autodesk e uso do software Fusion 360 levam os projetos do virtual para o real

Por
4 anos atrás

microsoft-hololens-autodesk-1

A Microsoft deu mais um grande passo com o HoloLens, seu projeto de realidade aumentada. A empresa anunciou uma parceria com o Autodesk Fusion 360, um software que permite a criação e modelagem de produtos em 3D. Com as duas plataformas unidas, será possível levar os produtos para o “mundo real” e combinar o design com as peças mecânicas.

As empresas passaram o último ano trabalhando no projeto juntas e, segundo o post no blog da Autodesk, eles já imaginavam que o HoloLens seria muito útil para a área de engenharia industrial. Será possível, por exemplo, levar um produto desenhado no Fusion 360 para uma mesa, em vez de visualizá-lo apenas no computador.

microsoft-hololens-autodesk-2

Software avisa se há incompatibilidade das peças mecânicas com o design exterior

“O maior desafio para os designers e engenheiros é estarem de acordo [nas modelagens], o que é a chave para tomar as melhores decisões e fazer melhores produtos no geral. É apenas uma questão de comunicação”, diz Michael Sagan, designer industrial na Autodesk.

Então, quando essas plataformas são combinadas, é possível trabalhar nos ambientes separadamente, mas visualizá-los como se fossem um só. Como o HoloLens permite ao usuário visualizar um conteúdo holográfico, podemos ter uma ideia de como será o produto final em alta definição e em tamanho real, ao lado de objetos à sua volta.

Essa abordagem pode até reduzir a necessidade de criação de vários protótipos para um só produto. Como você já está vendo o projeto em tamanho real na sua frente, aliado às peças mecânicas que também estão na escala correta, já dá para ter uma ideia de como o produto pode ficar. Afinal, você desenha o projeto em 3D e nada mais justo do que ter a possibilidade de levá-lo ao mundo real sem gastar tantos materiais.

Ainda que a impressão em 3D seja uma tendência e facilite bastante a criação de protótipos, o HoloLens continua sendo uma vantagem porque você pode interagir com a peça em tempo real. Aquela placa não cabe dentro do controle? Sem problemas, só arrastá-la para uma posição em que tudo se encaixe perfeitamente.

No entanto, não é como se os protótipos fossem acabar: o campo de visão do HoloLens não traz uma experiência exatamente igual a do mundo real, o que impossibilita uma fiel representação do produto, principalmente se ele for grande, como um robô ou uma parte de um carro, por exemplo.

Como aponta o PC World, essa parceria com a Autodesk é muito importante, uma vez que a companhia é líder nesse setor e seus softwares são usados por basicamente qualquer profissional da área.

microsoft-hololens-autodesk-3

Braço mecânico sendo ajustado e visualizado em tempo real para ter o tamanho correto

Outro benefício do HoloLens é ser útil também para várias outras áreas fora do âmbito industrial, como na educação. Em parceria com uma universidade, a Microsoft já demonstrou como o HoloLens pode ajudar os estudantes a visualizar a projeção em vários ângulos e até explorar estruturas internas.

São grandes avanços, mas que não devem aparecer por aí de imediato. O projeto do HoloLens com o Fusion 360 ainda está em desenvolvimento, e os desenvolvedores interessados podem se inscrever para receber o kit de testes da Microsoft, que começará a ser enviado no primeiro trimestre de 2016. O produto custa US$ 3 mil.

Realidade aumentada e o futuro dos wearables

Não está familiarizado com o conceito de realidade aumentada? No Tecnocast 019, conversamos sobre como essa tecnologia pode se adequar ao mercado, contamos a nossa experiência e damos um palpite sobre dois temas. A realidade aumentada, como o que a Microsoft faz com o HoloLens, pode vingar? Como os wearables vão se adaptar ao mercado? O botão de play fica logo abaixo!

Realidade aumentada e o futuro dos wearables